Começou e terminou…

31/07/2020 11:30

A semana começou e terminou quente na leleia. O 1º secretário da Alesc, deputado Laércio Schuster (PSB), notificou pessoalmente, na tarde de ontem, os citados na representação por crime de responsabilidade.

Lida
A representação foi lida oficialmente na sessão ordinária, na manhã de ontem que poderá resultar no impeachment do governador Carlos Moisés (PSL), da vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido) e do secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

Prazo
Com a notificação, passa a contar o prazo de 10 sessões ordinárias para que os citados apresentem suas respostas ao Parlamento catarinense. Moisés e o secretário de Estado da Administração receberam as cópias da denúncia no Centro Administrativo. Já a vice-governadora foi pessoalmente notificada na residência oficial, situada na área continental de Floripa.

Aumento
O ponto central da representação é a concessão de aumento salarial por ato administrativo, em 2019, aos procuradores do Estado, visando à isonomia salarial com os procuradores jurídicos da Assembleia Legislativa.

Crime
Segundo o autor do processo de impeachment, essa ação configura crime de responsabilidade porque foi feito por ato administrativo e não por projeto de lei autorizativo conforme prevê a legislação.

Fantasma do impeachment
O fato é que depois de mais de 20 anos, os catarinenses estão voltando a conviver com o fantasma do impeachment de um governador, já que Paulo Afonso, na década de 90, esteve ameaçado, mas se salvou, na última hora durante a votação que não atingiu o número mínimo necessário para afasta-lo do cargo.

Salvação
A propósito de salvação, da semana passada para cá, consta nos bastidores da Alesc de que foi intenso, e ainda estaria sendo, a confirmação de liberação das tais emendas impositivas (represadas há quase dois anos) por parte do atual governo de Carlos Moisés no sentido de “agradar” os deputados das mais diferentes bancadas.

Emendas…
Dizem até que tem emendas “a escolher” por município e região, de acordo com a preferência de cada um. A conferir, se ação vai resultar em mudança do clima de degola, já que ainda há bastante tempo para o governador “espernear”, digo defender-se, diante dos prazos que só estão começando.

Foto (Ricardo Wolffenbüttel/Secom)

Autor: JC

JC é colunista político do Diarinho, o jornal que todo mundo lê, até quem diz que não. A missão do socadinho escriba é disseminar a discórdia, provocar o tumulto e causar o transtorno, para o bem da coletividade.

Compartilhe: