Péssimo exemplo

21/05/2020 16:01

A coluna e o blog do JC, costuma levantar alguns exemplos de ações puramente eleitoreiras, de politicagem explícita, especialmente agora neste momento de pandemia do coronavírus. Mas ninguém tem superado a do ex-diretor na prefa peixeira e ex-presidente do Patriotas e, agora filiado ao PSL, Fabiano da Silva, que tem demonstrado ser um péssimo exemplo a ser seguido.

Ação orquestrada
Pré-candidato a vereador e oposição ao governo do paço da Vila Operária, Fabiano tem ignorado a Covid-19 e está quase que diariamente na prefa peixeira fazendo barraco, numa ação orquestrada e feita apenas pra tentar atingir a imagem do prefeito barbudinho Volnei Morastoni (MDB).

Sem educação
Fabiano vive no paço gravando lives, reclamando do prefeito pelos corredores e até ofendendo funcionários públicos, sem a menor educação e usando a desculpa de “porta-voz de categorias de trabalhadores”, como ACTs e agentes de educação e saúde.

Chamaram a polícia
Fofoqueiros de plantão contaram a este socadinho escriba que nesta semana foi preciso chamar a PM pra acabar com o showzinho que Fabiano tava dando na porta do gabinete do prefeito, falando alto e gravando uma live. O homem teria até destratado a mulher que trabalha na recepção.

Teve que sixplicar
A turma lasca que a barnabé deu queixa de Fabiano, que toda vez que aparece no gabinete a trata com grosserias e desta vez ela não deixou passar batido. Ambos conversaram com os policiais e rolou até um termo circunstanciado. É melhor Fabiano se acalmar porque seu histórico não é nada bom…

Agressão à mulher
Coçando aqui o cocuruto, não consigo entender como alguns grupos de profissionais, na grande maioria mulheres, confiam em Fabiano para “defendê-las”. Logo ele que foi condenado por agredir a ex-patroa. Isso mesmo, um cara condenado por bater em mulher agora é a salvação das mulheres? Será que essas profissionais sabem disso?

Coronhada na ex
Como a coluna já trouxe, Fabiano foi denunciado à dona justa pelo perrengue grave. Segundo relato da ex-companheira, em 2013 Fabiano tava embriagado e armado dentro da residência do casal. Com uma pistola 9 milímetros, teria começado a ameaçar a mulher de morte, batendo duas vezes com a pistola em seu rosto.

Cenas de terror
Apavorada, a mulher de Fabiano teria corrido e se trancado no quarto da filha do casal, mas a porta, segundo o relato, foi arrombada por ele, que a arrancou de lá. A fúria do presepeiro Fabiano só teria acabado depois que o irmão da vítima, que morava no piso superior, chamou a polícia. Fabiano fugiu.

Tentou fugir
Pra sair de casa, Fabiano pulou o muro, mas acabou caindo sobre a grade, que é de alumínio, fazendo um ferimento feioso no braço. Ele foi localizado pela PM e levado ao pronto-socorro do hospital Marieta pra cuidar do machucado.

Desculpa esfarrapada?
Ao MP, Fabiano negou qualquer tipo de agressão à ex-companheira e ainda disse que não fugiu. Ele justificou que pulou o muro porque teria uma reunião naquele momento e não localizava a chave do carro e do portão pra sair da residência. Acontece que o fato ocorreu às duas horas da madrugada. Papeleira.

Um ano de detenção
Em decisão de julho do ano passado, o juiz Mauro Ferrandin, da 2ª Vara Criminal de Itajaí, condenou Fabiano a ano de detenção, em regime prisional aberto, mais o pagamento de 10 dias-multa. A dona justa, porém, substituiu a detenção pela prestação de serviços à comunidade. Fabiano poderá recorrer em liberdade, mas teve que pagar todas as custas do processo.

Seguirão apoiando?
Após os acontecimentos recentes e também a lembrança da condenação de Fabiano por agredir a ex-mulher, será que grupos de ACTs e agentes de educação e saúde, por exemplo, que Fabiano afirma defender, estarão do lado dele no pleito eleitoral? Será que essas mulheres sabem e aprovam a conduta do “defensor”? Acredito que não…

Foto (Divulgação)

Autor: JC

JC é colunista político do Diarinho, o jornal que todo mundo lê, até quem diz que não. A missão do socadinho escriba é disseminar a discórdia, provocar o tumulto e causar o transtorno, para o bem da coletividade.

Compartilhe: