Enquanto isso…

30/04/2020 17:01

A nova denúncia apurada pela imprensa (e, ainda tem idiota que quer demonizar a imprensa) de superfaturamento em compra de máscaras pelo Governo do Estado traz ainda mais dúvidas sobre a equipe do governador Carlos Moisés, enrolada para explicar a compra de 200 respiradores por R$ 165 mil cada e, ainda por cima, o pagório adiantado do equipamento. Que não será entregue no prazo, se é que vai ser entregue.

Não é comigo
Em pronunciamento ontem, Moisés disse estranhar pagamento antecipado e que mandou abrir sindicância e inquérito policial para investigar os fatos. Cumé que é? O Governo compra 200 aparelhos por, pelo menos, o dobro do preço, estrebucha pagamento adiantado, não tem garantida de entrega no prazo, é denunciado pela imprensa, e a solução é mandar abrir sindicância pra apurar o que aconteceu? Me abana!

Morro e não vejo tudo
Tá certo que ele é Moisés, mas não faz milagres. Mas, pelo menos, os dez mandamentos da seriedade na administração da coisa pública ele deveria saber. Que dispensa de licitação não é autorização para fazer de qualquer jeito. Que o zelo com a grana pública vale também em época de epidemia. E que rapidez não pode ser sinônimo de incompetência, para dizer o mínimo. Abrir sindicância… Pois sim.

Foto (Divulgação)

Autor: JC

JC é colunista político do Diarinho, o jornal que todo mundo lê, até quem diz que não. A missão do socadinho escriba é disseminar a discórdia, provocar o tumulto e causar o transtorno, para o bem da coletividade.

Compartilhe: