Promotor vai pra cima de prefeito

28/04/2020 11:23

O promotor de Justiça Alvaro Melo, da 6ª Promotoria da Dubai Maravilha, reafirmou em ofício à Subprocuradora Geral de Justiça da Santa & Bela, que o prefeito pop star Fabrício Oliveira (Podemos), mentiu dolosamente no Boletim de Ocorrência que o mesmo registrou contra a secretária de Saúde de Camboriú e uma procuradora da prefa de Porto Belo.

Doloso
O promotor afirma que teria em mãos, provas de que, mesmo sabendo da inocência das servidoras públicas de Porto Belo, Fabrício teria dolosamente registrado Boletim de Ocorrência contra ambas, em razão da negativa de entrada de pacientes daquela city com sintomas de covid-19 no hospital Ruth Cardoso.

Denuncia
O burgomestre poderá vir a ser denunciado pelo MP por crime de denunciação caluniosa, que é quando alguém dolosamente comunica fato que sabe não ser criminoso, ou seja mente oficialmente perante as autoridades, cuja pena é de reclusão de 2 a 8 anos de prisão e mais multa, caso se confirme a denúncia do promotor.

Discriminação
O promotor também faz referência às manifestações explícitas da prefa contra os munícipes das citys vizinhas, em especial, aos de Camboriú, “manifestações discriminatórias entre pessoas que dividem não só o mesmo espaço geográfico (Balneário Camboriú e Camboriú) como as mesmas atividades econômicas, de saúde, investimentos, relações de trabalho, consumo e familiar”, descreveu o promotor em oficio.

Improbidade
Além das consequências criminais, ainda de acordo com o MP, o alcaide poderá responder civilmente por seus atos, através de uma ação de indenização por danos morais. Também se constatado o uso do cargo para tal, poderá responder por eventual ato de improbidade, podendo perder os direitos eleitorais. Credo em cruz!

Foto (Divulgação)

Assessor de deputado manda fazer urucubaca pra ferrar com outro deputado

Um vídeo gravado por um pai de santo de Tubarão, no Sul do estado, já está dando o que falar na leleia (assista). Resumidamente, o cidadão revela que foi contratado por um assessor do deputado Jessé Lopes (PSL, por enquanto), apelidado de Kiko, para fazer um trabalho e “trancar os caminhos” de outro parlamentar, o também deputado estadual Felipe Estevão (PSL, por enquanto). A maldade também seria extensiva à equipe de Estevão.

Atacar
O deputado atacado, o que tem sido recorrente por parte de Jessé e sua equipe, que parecem ter abdicado de fazer qualquer outra coisa e se concentram em atacar de qualquer maneira Felipe Estevão, se mostrou tranquilo, porém triste. Ele é um líder cristão e aproveitou para reforçar à sua equipe uma passagem bíblica que diz que “Maior é o que está conosco (Jesus).”

Lamentou
Mas, Felipe Estevão, lamentou profundamente que tempo e recursos, nesse caso públicos, porque tanto o deputado Jessé como seu assessor recebem salários e benefícios da Assembleia Legislativa, sejam investidos numa situação dessas. Ainda mais em tempos de crise aguda, profunda, onde a população precisa mesmo é da união e convergência das autoridades para fazer o bem comum.

Foto (Divulgação)