Sem noção

24/03/2020 18:39

É um absurdo que pessoas esclarecidas, continuem colocando em risco não apenas a sua saúde, como de terceiros. Ontem, a bela praia de Cabeçudas, na city peixeira, estava vazia.

Diboa
Hoje, ao contrário tinha um povo caminhando na calçada e dentro do mar, na praia e, mais um mundaréu dentro de suas carangas, estacionados. É desobediência e falta de noção. Pra escrever o mínimo.

Deu BO
Ontem, na Dubai Maravilha um homem que tomava banho de mar, foi retirado do mar pelos bombeiros e a policia militar e, teve que assinar um termo circunstanciado pela desobediência com relação ao decreto do Governo do Estado.

Foto (Leitor)

Pra evitar o pior na leleia


 
Informações internas de bastidores dão conta de que a partir desta semana  as sessões virtuais da Alesc, devem ser gravadas na íntegra e só depois de concluídas, serão transmitidas ou liberadas via internet. O objetivo é impedir que vá ao vivo para o ar qualquer gafe ou contratempo técnico ou não. 

Pus no…
Evitar, purexemplo, o que aconteceu, nessa linha, no vizinho estado do Paraná, no inicio desta semana, segundo registrado pelo site de noticias Metropole. “O isolamento social exigido para frear a pandemia de coronavírus tem apresentado aos brasileiros uma série de novidades, como o trabalho remoto. Nesta segunda (23/03), primeiro dia de votações por teleconferência na leleia da terra do barro vermelho, um dos deputados teve dificuldades com o programa desenvolvido para as sessões virtuais e disse para o mundo algo que gostaria de ter mantido em privado: “Pus no cu do Romanelli”.  

Comemorou
O autor da gafe é o deputado estadual Nelson Justus, e Romanelli é seu adversário político, do PSB. Numa sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, Justos estava tentando vetar a fala de parlamentares que não fossem membros do colegiado (caso de Romanelli). Quando sua demanda foi atendida pelo comando da sessão, o deputado comemorou com pessoas que o acompanhavam em seu home office.”

Imagem ilustrativa

Capacitar os centros de eventos em centros de tratamento

Em apoio ao pleito dos prefeitos da Dubai Maravilha, o pop star Fabricio de Oliveira (PSB, por enquanto) e da city peixeira, barbudinho Volnei Morastoni (MDB), o deputado estadual Ivan Naatz (PL), apresentou na sessão virtual da leleia, nesta terça-feira indicação, reforçando pedido para que o governo do estado, por meia da secretaria de Saúde, estude projeto que viabilize a destinação de recursos financeiros, estrutura, equipamentos e equipes capacitadas para adequar os centros de eventos dos dois municípios em centros de tratamento do novo coronavírus.

Hospitais provisórios
Funcionariam como hospitais provisórios de campanha e triagem, incluindo a implantação de UTIs para atendimento regional considerando que ainda persistem as previsões de pico de contaminação do maledito Covid-19 no estado. A indicação, inclui, ainda, as instalações do antigo Hospital Santa Inês, de Balneário Camboriú, por sua estrutura e igual localização estratégica.

Iniciativas conjuntas
O parlamentar observa que neste momento todos os esforços integrados são necessários para as ações preventivas e de tratamento. “É um momento de somar esforços. Propus, também um projeto para proibir cortes de energia elétrica, água e gás por 180 dias, dos consumidores catarinenses, assim como outros parlamentares o fizeram, bem como sugerimos medidas de apoio à micro e pequenos empresários, além dos trabalhadores informais. Agora deveremos nos reunir e compilar tudo isso num só projeto. O momento é de união e solidariedade sem vaidades políticas”, conclui Naatz

Foto (Divulgação)

Atentai! Atentai!

O Blog do JC, recebeu um áudio onde um carro de som circula pela capital da pedrada e ex-do tiro ao vereador, exortando os moradores à permanecerem em suas casas. Acontece que a voz da gravação é do prefeito Elcio Bisturi Kuhnen (MDB). Será que não tinha mais ninguém pra gravar o áudio? Isso pode render complicações eleitorais lá na frente… Quem avisa…

Foto (Divulgação)

Itajaí sai na frente

O blog teve acesso a dois requerimentos apresentados pelas nossas amadas excelências excelentíssimas da oposição na piramidal casa do povo, em que solicitam à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal que destinem todo o recurso disponível dos fundos eleitoral e partidário para o SUS nas ações de combate e prevenção do malvado coronavírus/Covid-19.

Até aí tudo bem
Mas falar todo mundo fala. O que chamou mesmo a atenção deste escriba pançudo, foi que em um dos documentos os vereadores que aparentemente estariam liderados pelo futebolista Níkolas Reis (Podemos) e Robison Coelho (PSDB), requerem do presidente da câmara e do prefeito barbudinho Volnei Morastoni (MDB) que apresentem projeto de lei para que se corte 20% do salários deles próprios, do prefeito do vice e dois demais comissionados da Prefeitura, com exceção do da área da saúde e segurança pública.

Na carne
Além do Níkolas e do Robison, os requerimentos vão assinados pelo galego Rubens Angioletti (PSB, por enquanto), o pingo d´ouro Otto Quintino Júnior (PRB, por enquanto), o bonzinho Edson Lapa (PL, por enquanto?) e o vereador com nome de craque Roberto Rivelino, o Beto Cunha (PSDB), e tem como anexo um anteprojeto de lei, já estabelecendo tintim por tintim como deve ser feito. Se acatado, pode dar uma economia boa e ajudar quem mais precisa. Vamos ver … O requerimento segue abaixo.

Senhor Presidente:

Os vereadores que abaixo subscrevem, na forma regimental, após ouvido por teleconferência ou outro meio eletrônico o douto plenário desta Casa Legislativa, requerem:

a) O envio de ofício aos excelentíssimos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, dando conta que a Câmara Municipal de Itajaí, através de seus representantes, é favorável a utilização de todo o recurso disponível dos fundos eleitoral e partidário pelo Sistema Único de Saúde nas ações de prevenção e combate de referida pandemia.

b) O envio do anteprojeto anexo ao Prefeito Municipal de Itajaí com a atenção de vossa excelência, para que, como representantes dos Poderes Executivo e Legislativo, possam dar à apreciação da Câmara a proposta que visa, basicamente, a redução de 20% nos vencimentos de todos os agentes políticos e cargos em comissão de primeiro e segundo escalão, da Câmara, Prefeitura, fundações e autarquias, incluídos vereadores, assessores, prefeito, vice-prefeito e secretários, com exceção daqueles ligados à área da saúde e segurança pública.

Requer, por fim, visto a impossibilidade de apresentação física do presente documento, que o mesmo seja aceito no formato eletrônico.

Justificativa

• Pelo que indica o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, infelizmente a pandemia do Coronavírus/Covid-19 deve atingir seu pico em meados de abril, ou até mais tarde, e deve seguir até junho ou julho quando a imunidade estiver percentualmente bem representada na população brasileira. Isso quer dizer que o calendário eleitoral, que exige reuniões, encontros e uma série de ações presenciais, está comprometido.
• Se está comprometido, não há razão para 2 bilhões de reais ficarem à disposição dos partidos políticos, enquanto poderiam, e mesmo deveriam estar incrementando as ações de prevenção/combate da pandemia.
• Mesmo que as eleições aconteçam, aliás, terão necessariamente outra característica, e é injusta a utilização destes recursos.
• Soma-se a isto, o fato de que os prefeitos, vereadores, secretários municipais e outros atores políticos, sendo estes, oposição ou governo, se posicionam no momento a solidarizarem-se entre si com o intuito de as ações terem uma solução de continuidade e uma eficácia que não pode estar sujeita os naturais embates do jogo político eleitoral.
• Com relação ao corte nos salários, sabe-se que cada um se programa com os seus vencimentos, mas é hora de um esforço com vistas a, no menor tempo possível, se normalizar a situação. Se o setor privado sofre, se o trabalhador sofre, nada mais justo que os servidores públicos deem também sua contribuição, já que a queda na arrecadação será inevitável e os serviços essenciais precisam ser mantidos.
• Neste sentido, destaca-se que a presente proposta pode ser ainda mais radicalizada a depender exatamente dos desdobramentos da arrecadação e da pandemia, mas se apresenta como um primeiro esforço neste sentido, e pelas nossas estimativas pode chegar a uma economia de mais de R$ 1 milhão por mês e R$ 3 milhões no total, o que garante um incremento importante na assistência da população neste período de crise.

Ante projeto de lei:

Art. 1º Tendo em vista o Decreto Legislativo nº 18.332 de 20/03/2020, vigente, e a iminente crise fiscal porque pode passar o Município, o Presidente da Câmara Municipal de Itajaí e o Chefe do Poder Executivo Municipal deverão reter até 20% dos subsídios e salários de todos os agentes políticos investidos por mandato eletivo, bem como dos cargos de provimento em comissão, sejam eles de assessoramento, direção e/ou ordenação de despesas e outros, tanto da Câmara como da Administração direta e indireta, excetuando-se apenas os ligados às áreas da saúde e da segurança pública, pelo prazo de três meses, prorrogáveis por igual período a depender do desenvolvimento da pandemia do Coronavírus/Covid-19.

Parágrafo único. A retenção de que fala o caput pode se estender aos servidores efetivos no caso de estes, individualmente ou pela representação sindical, autorizarem tal desconto.

Art. 2º Os recursos retidos serão necessariamente vinculados ao Fundo Municipal de Saúde e ao Fundo Municipal de Assistência Social, em percentual preferencialmente equivalente, devendo sua utilização estar vinculada a ações de prevenção e combate à pandemia do Coronavírus/Covid-19, ou, de mitigação de efeitos econômicos e sociais, especialmente para aqueles mais necessitados como desempregados e profissionais autônomos.

Art. 3º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

SALA DAS SESSÕES, EM 23 DE MARÇO DE 2020

NÍKOLAS REIS MORAES DOS SANTOS -Podemos
EDSON ALEXANDRE LAPA DA SILVA VEREADOR – PL
ROBERTO RIVELINO DA CUNHA – PSDB
ROBSON COELHO – PSDB
RUBENS ANGIOLETTI

Foto (Divulgação)

Aposentados irão receber 13ª antecipado

O governo Federal publicou a medida provisória que confirma o estrebuchar antecipado do 13º salário dos aposentados do INSS. A primeira parcela será paga entre 24 de abril e 8 de maio. A segunda parte do pagamento cairá na conta entre os dias 25 de maio e 5 de junho.⠀A iniciativa é uma das medidas para combater os efeitos econômicos do novo coronavírus.⠀

Imagem ilustrativa

Vereador diz que vai estrebuchar ajuda pra empreendedores individuais

O vereador galego Rubens Angioletti (PSB, por enquanto) da piramidal casa do povo, revelou em vídeo, em suas redes sociais que vai ajudar 10 empreendedores autônomos e prestadores de serviço com R$ 300/mês, enquanto durar essa situação extrema por conta do pestilento coronavírus. Angioletti já tem esses dez empreendedores que vai colaborar.

Continua
Rubens, coloca que continuará ajudando as pessoas que já colaborava e, afirmou que dispende cerca de 40% de seu salário pra custear o mandato.

Prestar conta
O parlamentar, afirma que não faz isso, pra aparecer e, sim, postou apenas em sua rede social pra prestar conta. Conta que está tirando da sua fonte de renda, que nunca faltou uma sessão, que não tem empreiteira (tem algum vereador que tem?) e, que tá fazendo a sua parte, além de conclamar que mais políticos do Brasil, façam o mesmo.

Foto (Divulgação)

Mau exemplo

O vereador Eliseu Pereira (MDB) da Dubai Maravilha, deu um baita mau exemplo, quando as autoridades lutam para o isolamento social pra conter o avanço do maledito coronavírus, ao sair pedalando de zica pela orla da praia. Atitude feiosa.

Foto (Divulgação/redes sociais)

Imposto sobre grandes fortunas contra o maledito Covid-19

O senador Plínio Valério (PSDB-AM) sugeriu nas redes sociais a votação urgente do Projeto de Lei (PLP) 183/2019, de sua autoria que taxa as grandes fortunas. Plínio defende incluir o novo imposto entre as fontes de recursos para conter a disseminação do maledito coronavírus.

Acima de 22 milhões ⠀
De acordo com a proposta, o Imposto sobre Grandes Fortunas (IGF) vale para quem tem patrimônio líquido superior a R$ 22,8 milhões, com alíquotas entre 0,5% e 1%.

Devagar
A matéria tramita à passos de tartaruga na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e aguarda a designação de relator pelo presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM).

Desde 2019
O projeto foi encaminhado à CAE no longínquo agosto de 2019, mas, nadicadenada do relatório para que os abençoados da comissão o analisem. “Se nosso projeto de lei de taxação das grandes fortunas tivesse sido aprovado, o Brasil estaria contando com tantos bilhões a mais para combater o coronavírus. E o governo não precisaria estar esperando uma colaboração para equipar hospitais e comprar equipamentos para profissionais”, observou Plínio.

Foto (DIvulgação)