Pau tá pegando

19/09/2019 14:59

O pau tá pegando sem dó no funcionalismo da Barra Velha. Em greve desde a semana passada, servidores aumentaram nessa semana o tom de porradaria contra o atual prefeito, Valter Zimmermann (DEM) e sua secretária de Educação, Rosemari Silva dos Santos.

Piqueti
Reivindicando reajustes que não rolam há três anos por parte da administração da terrinha do pirão, os servidores montaram um piquete em frente ao paço, com apoio do Sintrambav, chefiado pelo Jossias Coutinho, curiosamente ex-cabo eleitoral do Valter Zimmermann e atual presidente do sindicato.

Todos de cabeça quente
Nessa semana, os ânimos se acirraram porque a secretária Rosemari, pela segunda vez, afastou a cozinheira de uma escola do município. A mesma que havia sido demitida semanas trás, e reconduzida pela Justiça, retomando o cargo.

Perseguição
Segundo Jossias, o rolo é pura perseguição contra a tiazinha. A cozinheira, segundo o sindicalista, teve sua casa arrombada em outro Estado, e se ausentou por dois dias pra resolver a bronca. Ao voltar, foi comunicada no último dia 11 pelo prefeito Valter de um afastamento de 60 dias, sem perder salário, prazo que serviria para instalação de novo Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

Cabeças doentes
Segundo Jossias, em nota pública do sindicato, a vingança tá rolando porque tanto o prefeito quanto a secretária Rosemari (contra quem Jossias coleciona uma penca de broncas) são “cabeças doentes” e que a chefona da Educação quer a senhora exonerada por “questão de ego, pessoal, assim como acontece com vários outros servidores”.

Sem fim
Ainda segundo o sindicalista, hoje há escola em que falta cozinheiro e sobrecarregam-se os demais, num assunto que bastaria uma conversa para resolver o problema. A greve dos barravelhanos segue sem dia pra acabar.

Foto (Divulgação)

Pendenga Naatz x PV

Desembargador Osmar Nunes Júnior, do Tribunalão de Justiça da Santa& Bela Catarina acatou recurso e deferiu pedido de antecipação de tutela do deputado estadual verdolengo Ivan Naatz (PV) suspendendo os efeitos de decisão proferida no mês passado pela direção executiva estadual do Partido Verde que determinava o afastamento do parlamentar de suas atividades partidárias pelo prazo de um ano.

Continua
O pedido havia sido indeferido no juízo de primeira instância , em que o deputado entrou com uma ação declaratória de nulidade e pedido de indenização por danos morais. Na pratica, Ivan Naatz poderá continuar desenvolvendo normalmente suas atividades partidárias e parlamentares, até o julgamento colegiado e de mérito final do recurso pelos bagrões do TJ.

Queda de braço
A decisão judicial é mais um capítulo na queda de braço que vem sendo travada entre o deputado e a direção estadual do partido. Além deste recurso, Naatz já ingressou na dona Justa, anteriormente, com uma ação de desfiliação partidária sem risco de perda do mandato, alegando discriminação pessoal por parte da executiva estadual e nacional, o que inclui a sua não convocação para reuniões decisórias do partido, ainda que seja membro nato da direção por ter mandato popular.

Nos bastidores, Ivan Naatz aguarda o desfecho dessa questão judicial para encaminhar nova filiação partidária. Enquanto isso, analisa convites de diversos partidos, sendo que as tratativas mais adiantadas são com o PL do senador Jorginho Mello, embora tenha recebido convites também do PP, PRB e,nesta semana, de lideranças do MDB na leleia.

Foto (Divulgação)

Ministério Público se diz de cara com Luciano Hang

18/09/2019 19:09

NOTA INSTITUCIONAL

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), por seu Procurador-Geral de Justiça, manifesta perplexidade pelas desrespeitosas publicações realizadas pelo empresário Luciano Hang, que, utilizando suas redes sociais, promoveu ataques aos trabalhos desenvolvidos pelo MPSC na Comarca de Balneário Camboriú e atentou contra a honra do Promotor de Justiça Isaac Newton Belota Sabbá Guimarães, com a divulgação de conteúdo difamatório.

O empresário, além de desrespeitar a legislação municipal, descumpriu acordo celebrado por sua própria empresa com o Município para a obtenção da autorização de instalação do empreendimento, em 20 de setembro de 2018 (Termo de Compromisso 001/2018). Pelo acordo, a empresa se comprometeu a respeitar os horários de execução de obras e utilização de equipamentos na construção civil, na forma da Lei Municipal nº 2377/2004, que veda tais atividades após as 12h, nos sábados.

Em razão de denúncia de que o empreendedor estaria executando serviços em desacordo com os limites estabelecidos, o Ministério Público instaurou procedimento e requisitou a constatação do fato pela Polícia Militar Ambiental, que confirmou a irregularidade.

O MPSC é favorável ao crescimento econômico, à geração de empregos e ao progresso consciente, valores consagrados constitucionalmente e próprios do povo catarinense. Porém, jamais deixará de agir em defesa da ordem jurídica, do regime democrático e, sobretudo, do tratamento igualitário a todos os cidadãos catarinenses, independentemente de sua posição política ou econômica.

Cumpre ressaltar que não se trata de episódio isolado e que referida postura, consistente na manifestação ofensiva dirigida a membros desta Instituição, transformou-se, lamentavelmente, numa prática reprovável de tentativa de intimidação de agentes públicos no regular exercício de suas funções.

Por tais razões, a Procuradoria-Geral de Justiça manifesta apoio à correta atuação da 5ª Promotoria de Justiça de Balneário Camboriú no caso em apreço, repudiando qualquer tentativa de cerceamento da atuação institucional do MPSC.

Fernando da Silva Comin
Procurador-Geral de Justiça

Foto (Divulgação)

Rui Garcia foi prestar contas aos vereadores

O secretário de (In)Segurança de Itajaí, esclareceu ao espaço que não foi pedir ajuda aos vereadores pra que a Guarda Municipal, tenha porte de arma.

A título de esclarecimento da edição de hoje, tenho a informar que este Secretário juntamente com o Sr. Coordenador da Guarda Municipal, nos dirigimos a Câmara Municipal de Itajaí, munidos de um relatório elaborado pela Coordenação da Guarda, onde contém 377 ocorrências diversas.

Isso com intuito de prestarmos conta a sociedade de seus legítimos representantes, onde colocamos aos senhores Vereadores a Secretaria de Segurança Pública para esses e toda comunidade, até o presente momento, fomos recebidos pelos senhores Vereadores, os quais enalteceram nossa atitude dessa visita de trabalho, esclarecemos ainda que em momento algum fomos solicitar apoio no sentido de reivindicar qualquer solicitação de Porte de arma.

Haja vista, a Procuradoria do Município de Itajaí já estar postulando o Porte no Ministério da Justiça, desta forma findar os atos administrativos, e se necessário impetrar em juízo Mandado de Injunção. Assim sendo ficamos gratos a atenção dispensada, nos colocando a disposição dessa para dirimir quaisquer dúvidas, mesmo podendo tratar-se de qualquer assunto de Segurança Pública a nível municipal.

Secretário de Segurança de Itajaí, Rui Garcia

Combate à corrupção

O prefeito pop star Fabrício Oliveira (PSB, por enquanto) assinou ontem a criação de um Comitê Municipal de Boas Práticas e Compliance, em parceria com o Sebrae, que traz para a Dubai brasileira normatização internacional desenvolvida para ajudar organizações na implantação de sistemas de gestão antissuborno.

Transparência total
Adotada por empresas privadas desde 2017, essa normatização, chamada ISO 37001, será implementada por este comitê criado por Fabrício que atuará em todos os departamentos da prefeitura determinando as normas que visam identificar, minimizar e monitorar onde há risco de fraude. A normatização é inédita no serviço público nacional.

Exemplo
O comitê de boas práticas da Dubai brasileira é formado por servidores efetivos de onze secretarias. Seus membros analisarão os pontos onde há risco de práticas de suborno e corrupção, identificarão esses riscos propondo medidas que tragam transparência a todos os processos. Show de bola. É isso que o povo quer.

Mais
A adoção de sistema de Compliance determinado pelo prefeito pop star se soma a outras ações de modernização administrativa e transparência já implantadas na prefa da Dubai desde 2017, como o livre acesso do Observatório Social aos processos do setor de compras municipais e a transmissão ao vivo pelo YouTube das licitações da prefeitura. Boas práticas mesmo! Fica o exemplo.

Foto (Ivan Rupp)

Deputada Paulinha faz plágio de discurso do Collor pra responder

A deputada bonitona Paulinha da Silva (PDT), ao responder sobre notas da coluna, plagiou trechos do discurso do senador Fernando Collor, na tribuna do Senado.

Abaixo texto da Paulinha:

Ao jornalista JC, colunista político do jornal “Diarinho”.
Referente à coluna do JC do jornal Diarinho veiculada dia 13 de setembro de 2019.

Prezado jornalista,
Não é de hoje que ser sobejamente aguilhoada por meios de comunicação tornou-se uma constante em minha vida pública e privada, em que muitas vezes a causa desta prática reside na altercação, um dos traços marcantes de minha personalidade e de minha conduta, diante de determinadas situações e de infundadas exposições a que gratuitamente me submetem.
Mas nem por isto a razão está sempre de um mesmo lado, por mais difícil que seja para alguns admitir a verdade. De minha parte posso admitir eventuais equívocos e impropriedades que venha a cometer em circunstâncias específicas e até mesmo me desculpando por elas, quando do exercício de qualquer função pública, aceitando, sobretudo, críticas políticas de natureza eminentemente administrativas. Por outro lado, espero que a compreensão e a justiça também prevaleçam, quando em determinadas ocasiões meu nome e minha intimidade são sordidamente envolvidos.
Artigo publicado na data de 13 de setembro do fluente ano faz alusões a um suposto envolvimento de meu nome em investigações da Polícia Federal sobre condutas relativas à minha pessoa enquanto Diretora de Qualificação do extinto Ministério do Trabalho e determinados convênios à época firmados.
A matéria desvirtua totalmente a realidade dos fatos, uma vez que todos os convênios foram firmados dentro das regras legais e os serviços foram prestados em sua integralidade, não havendo, em nenhuma esfera de instância, qualquer investigação formal realizada pela Polícia Federal envolvendo a minha pessoa.
Trata-se de apuração errônea do Sr., ou não efetuada conforme a boa prática jornalística, visto que sempre estive à disposição para qualquer esclarecimento relacionado às informações sobre os fatos descritos na matéria.

Deputada Estadual Paulinha da Silva

E, o discurso do senador Fernando Collor, em 2010:

O SR. FERNANDO COLLOR (PTB – AL. Pela Liderança. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, não é de hoje que ser sobejamente aguilhoado por meios de comunicação tornou-se uma constante em minha vida pública e privada. Muitas vezes, a causa dessa prática, reconheço, reside na altercação, um dos traços de minha personalidade e de minha conduta diante de determinadas situações e de infundadas exposições a que gratuitamente me submetem. Mas, nem por isso, a razão está sempre de um mesmo lado, por mais difícil que seja para alguns admitir a verdade. Se, de minha parte, posso reconhecer eventuais equívocos ou impropriedades que venha a cometer em circunstâncias especificas – e até mesmo me desculpando por elas –, de outra, espero que a compreensão e a justiça também prevaleçam quando em certas ocasiões meu nome e minha intimidade são sordidamente envolvidos. Artigo publicado semana passada faz alusões a uma suposta impugnação de minha candidatura ao Governo de Alagoas. Assinada por Bruno Marques, um apedeuta que se intitula jornalista, a matéria, além de induzir o leitor a um erro de interpretação com a chamada “Onde estão os fichas-limpas?”, desvirtua informações relativas à falta de certidões de “nada consta” na Justiça como impetitivo de minha candidatura. Trata-se de apuração errônea do dito repórter, ou mesmo não efetuada como recomenda a boa prática jornalística. Todas, absolutamente todas, as exigências da Justiça Eleitoral foram por mim atendidas, conforme aqui comprovo, mostrando, uma a uma, todas as certidões já devidamente entregues e que faço constar deste meu pronunciamento.

Foto (Divulgação)

Dona Justa aceita denúncia contra Paganelli e Frica

A dona Justa do outro lado da vala, em Navega-City, aceitou a denúncia formulada pelo bocudo careca, Evandro Argenton e abriu um processo criminal e improbidade administrativa, contra o vereador e ex-secretário de Saúde, Samuel Paganelli e, o Arilson de Moraes, o Frica que assumiu a secretaria de Saúde, quando Samuel deixou o cargo. A bronca é por conta da compra de medicamentos da Farmácia do Sesi sem licitação no ano eleitoral de 2016. Ai, ai, ai que dor!

Foto (Divulgação)

Pediu o boné

17/09/2019 09:54

O diretor de esporte comunitário e lazer da Fundação Municipal de Esportes (FMEL) da city peixeira, Mauro Rosenau, assinou um ofício colocando o cargo comissionado à disposição do prefeito. O documento elenca uma série de motivos que estaria broxando o homem de seguir na boquinha.

Motivos
Falta de apoio, cancelamento dos jogos da cidade, falta de pagamento para professores auxiliares do Programa Itajaí Ativo, falta de equipe e respaldo foram alguns dos motivos elencados pelo então bagrinho da FMEL.

Na mesma
O ofício assinado por Mauro percorreu os grupos de zapzap e mostraram o quanto o esporte peixeiro ainda anda largado. A impressão é de que trocam-se as moscas, mas a merda continua a mesma. Que dó.

Foto (Divulgação)

Promotor se manifesta

16/09/2019 19:15

O Promotor de Justiça Isaac Sabbá Guimarães, titular da 5a Promotoria de Justiça na Dubai brasileira, emitiu nota no final da tarde de ontem, onde esclarece que em momento algum houve notificação ou embargo à obra da loja de departamentos Havan em Balneário Camboriú.

Alvará
O Promotor afirma que solicitou a vistoria e que não é contra a construção da loja ou mesmo contra seu proprietário, mas trata de possíveis irregularidades cometidas por servidores públicos na fiscalização de projetos de construção.

Denúncia
O Promotor de Justiça já requisitou informações à Prefeitura para verificar a propriedade do que foi reportado, assim como iniciará a oitiva dos investigados e das testemunhas nos próximos dias. O Promotor conclui dizendo que o conteúdo da representação foi apresentado por meio da Ouvidoria do Ministério Público e encaminhado à Promotoria de Justiça.

Foto (Divulgação)

Paulinha se manifesta

A deputada bonitona Paulinha da Silva (PDT), se manifestou sobre notas na coluna, na semana que passou.

Ao jornalista JC, colunista político do jornal “Diarinho”.
Referente à coluna do JC do jornal Diarinho veiculada dia 13 de setembro de 2019.

Prezado jornalista,
Não é de hoje que ser sobejamente aguilhoada por meios de comunicação tornou-se uma constante em minha vida pública e privada, em que muitas vezes a causa desta prática reside na altercação, um dos traços marcantes de minha personalidade e de minha conduta, diante de determinadas situações e de infundadas exposições a que gratuitamente me submetem.
Mas nem por isto a razão está sempre de um mesmo lado, por mais difícil que seja para alguns admitir a verdade. De minha parte posso admitir eventuais equívocos e impropriedades que venha a cometer em circunstâncias específicas e até mesmo me desculpando por elas, quando do exercício de qualquer função pública, aceitando, sobretudo, críticas políticas de natureza eminentemente administrativas. Por outro lado, espero que a compreensão e a justiça também prevaleçam, quando em determinadas ocasiões meu nome e minha intimidade são sordidamente envolvidos.
Artigo publicado na data de 13 de setembro do fluente ano faz alusões a um suposto envolvimento de meu nome em investigações da Polícia Federal sobre condutas relativas à minha pessoa enquanto Diretora de Qualificação do extinto Ministério do Trabalho e determinados convênios à época firmados.
A matéria desvirtua totalmente a realidade dos fatos, uma vez que todos os convênios foram firmados dentro das regras legais e os serviços foram prestados em sua integralidade, não havendo, em nenhuma esfera de instância, qualquer investigação formal realizada pela Polícia Federal envolvendo a minha pessoa.
Trata-se de apuração errônea do Sr., ou não efetuada conforme a boa prática jornalística, visto que sempre estive à disposição para qualquer esclarecimento relacionado às informações sobre os fatos descritos na matéria.

Deputada Estadual Paulinha da Silva

Foto (Divulgação)