Desabafo de um cidadão indignado

20/03/2017 15:24

Além de ilegal, é indecente e imoral o que acontece no estacionamento de veículos da Univali, administrado pela Estapar. Fui fazer a matrícula de minha filha no Setor de Atendimento à Pessoa Surda. Após 22 minutos, que foi o tempo necessário para concluir os trâmites necessários para a efetivação da matrícula, na saída do campus universitário fui obrigado a pagar à Estapar o absurdo de nove reais pelo estacionamento.

Nove reais por menos de meia hora de estacionamento? Isto é um roubo descarado! O agente da Estapar, tentando explicar o inexplicável, disse que se o usuário permanecer por mais de 20 minutos no estacionamento, ele é obrigado a pagar nove reais, o equivalente a um dia inteiro de estacionamento. Um descalabro, e com a conivência da Universidade, que vive alardeando que a população precisa conhecer o campus, os cursos e a estrutura que é oferecida àqueles que desejam ali estudar.

Como eles querem que as pessoas conheçam a Univali tendo que desembolsar valores aviltantes para estacionar em suas dependências? Está mais do que na hora de a direção da Univali tomar providências para reparar esse tipo de coisa. Que seja elaborada uma tabela de preços que estabeleça a cobrança por hora de estacionamento. É uma questão de bom senso e de respeito ao bolso do já espoliado consumidor.

Se focarmos a questão legal, existe sim uma lei municipal – de autoria do então vereador Laudelino Lamim – que obriga a cobrança fracionada. Ou seja, o usuário está pagando por um serviço que não foi prestado, pois paga o equivalente a um dia inteiro de estacionamento e usa apenas 22 minutos, fato que fere inclusive o Código de Defesa do Consumidor. Por isto entendo que a cobrança, além de indecente e imoral, é ilegal! E nem Univali nem Estapar se pronunciam. Não estão nem aí para seus consumidores!

Acontece que ninguém procura seus Direitos. Isto ocorre também com a lei da fila nos Bancos, onde o cidadão é submetido a ficar horas na fila para receber um atendimento que deveria ser prestado em uma fração de hora. Voltando aos estacionamentos, os primeiros 20 minutos são gratuitos e depois o tempo tem que ser fracionado. Por exemplo: se você estaciona 25 minutos você paga os 25 minutos e não uma hora como os proprietários de estacionamento fazem. O usuário tem que levar os comprovantes no Procon. Prevê multa altíssima ao infrator, e na insistência da infração a empresa terá seu alvará cancelado.

A tal da ESTAPAR está em todas. Até nos hospitais e nas vias públicas, o que é inconstitucional. Quem são os donos deste monopólio privado?

Compartilhe: