A ladainha do comunismo

12/11/2018 14:44

Realmente a corrupção é endêmica no Brasil. Abrange e atinge a sociedade como um todo, independente de classe social. É mais danosa quando envolve aqueles que elegemos para nos representar, mas que na verdade representam sim interesses escusos e inconfessáveis. Por isso o descrédito na classe política e a desilusão do eleitor, que mostrou nesta eleição que quer mudanças.

Os escândalos de corrupção têm demonstrado que políticos de todos os partidos são venais. Só não concordo com o discurso de que o PT é o único responsável por tudo de ruim que vem ocorrendo no país. Um balanço da corrupção nos últimos 15 anos revela que em número de políticos flagrados em ilicitudes, o PT está posicionado em oitavo lugar.

Mas a propaganda midiática feita de forma massiva nos últimos anos, procurou demonizar e desqualificar apenas, ou preferencialmente, o PT – Partido dos Trabalhadores e a esquerda de modo geral, inculcando o medo da instauração de um regime comunista que levaria a nos tornarmos uma Venezuela. Pura lavagem cerebral. O propalado comunismo nunca vingará no Brasil, e nem intenção existe por parte da esquerda em instalá-lo. Eu me posiciono à esquerda, mas não sou e nem pretendo ser comunista, um regime ultrapassado e que já mostrou ser ineficaz.

O que quero é que haja mais justiça, mais humanidade, menos desigualdade social e que todos possam viver com o mínimo de dignidade. Mas pensar assim parece ser pecado, e adepto do comunismo. Triste!

Em defesa do que deve ser nosso

07/11/2018 19:05

O prefeito Volnei Morastoni está fazendo circular nas superintendências e secretarias do município abaixo-assinado com manifesto que critica a exclusão de Itajaí no recebimento dos royalties do petróleo explorado em águas catarinenses e que vêm beneficiando o vizinho Paraná.

O recolhimento dessas assinaturas é de extrema importância, uma vez que nossa cidade perdeu após o veto presidencial na lei de distribuição de royalties do petróleo, em 2012, cerca de 14 milhões de reais em investimentos.

Com a aplicação da lei em 2012, o município de Itajaí receberia mais de 17 milhões de reais do Fundo Especial do Petróleo (FEP). Porém, com o impasse jurídico, chegaram aos cofres municipais apenas 3,4 milhões de reais, um déficit de 14,2 milhões.

Essas assinaturas estão condicionadas à campanha “Julgue os Royalties, Supremo”, que requer junto ao Supremo Tribunal Federal a liberação dos recursos para o município, conforme a Lei 12.734 de 2012, discutida e votada no Congresso Nacional.

Morastoni conclama a colaboração para a coleta de assinaturas de forma expressiva, pois só assim, segundo o prefeito, teremos a possibilidade de reverter o veto da referida Lei e retomarmos os valores para o nosso município. “Algumas secretarias já colaboraram encaminhando algumas listas, porém nosso empenho deve ser maior para ampliação dessa coleta”, destaca.

 

É no mínimo SUSPEITO

02/11/2018 16:49
 
A sofreguidão com que o juiz federal Sergio Moro atendeu ao chamado do presidente eleito Jair Bolsonaro, poucas horas após o fechamento das urnas, espantou até mesmo os observadores mais atentos da trajetória do magistrado.
 
Sai de cena o profissional sóbrio que aplicou a lei com rigor e mandou para a prisão os figurões que se associaram para saquear os cofres públicos. Sobe ao palco o juiz inebriado pela adoração popular e pela chance de entrar na política.

A cobra vai fumar

31/10/2018 17:48

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO DE INICIATIVA POPULAR ENTREGUE ONTEM AO CONGRESSO NACIONAL COM O NÚMERO RECORDE DE DOIS MILHÕES E QUINHENTAS MIL ASSINATURAS!! MAIOR DO QUE O DA “FICHA LIMPA”!

🇧🇷1.
Fica abolida qualquer sessão secreta e não-pública para qualquer deliberação efetiva de qualquer uma das duas Casas do Congresso Nacional. Todas as suas sessões passam a ser abertas ao público e à imprensa escrita, radiofônica e televisiva.

🇧🇷2.
O congressista será assalariado somente durante o mandato. Não haverá ‘aposentadoria por tempo de parlamentar’, mas contará o prazo de mandato exercido para agregar ao seu tempo de serviço junto ao INSS referente à sua profissão civil.

🇧🇷3.
O Congresso (congressistas e funcionários) contribui para o INSS. Toda a contribuição (passada, presente e futura) para o fundo atual de aposentadoria do Congresso passará para o regime do INSS imediatamente. Os senhores Congressistas participarão dos benefícios dentro do regime do INSS exatamente como todos outros brasileiros. O fundo de aposentadoria não pode ser usado para qualquer outra finalidade.

🇧🇷4.
Os senhores congressistas e assessores devem pagar por seus planos de aposentadoria, assim como todos os brasileiros.

🇧🇷5.
Aos Congressistas fica vetado aumentar seus próprios salários e gratificações fora dos padrões do crescimento de salários da população em geral, no mesmo período.

🇧🇷6.
O Congresso e seus agregados perdem seus atuais seguros de saúde pagos pelos contribuintes e passam a participar do mesmo sistema de saúde do povo brasileiro.

🇧🇷7.
O Congresso deve igualmente cumprir todas as leis que impõe ao povo brasileiro, sem qualquer imunidade que não aquela referente à total liberdade de expressão quando na tribuna do Congresso.

🇧🇷8.
Exercer um mandato no Congresso é uma honra, um privilégio e uma responsabilidade, não uma carreira. Parlamentares não devem servir em mais de duas legislaturas consecutivas.

A cobra vai fumar

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO DE INICIATIVA POPULAR ENTREGUE HÁ POUCO AO CONGRESSO NACIONAL COM O NÚMERO RECORDE DE DOIS MILHÕES E QUINHENTAS MIL ASSINATURAS! MAIOR DO QUE O DA “FICHA LIMPA”.

Lei de Reforma do Congresso de 2013 (emenda à Constituição) PEC de iniciativa popular, deve mudar radicalmente o cenário político ao acabar com privilégios inaceitáveis. Espero que Bolsonaro cumpra o que prometeu e canetei favoravelmente em favor dos anseios de mudança da sociedade brasileira. Leia abaixo o que prevê a bem-vinda lei.

🇧🇷1.
Fica abolida qualquer sessão secreta e não-pública para qualquer deliberação efetiva de qualquer uma das duas Casas do Congresso Nacional. Todas as suas sessões passam a ser abertas ao público e à imprensa escrita, radiofônica e televisiva.

🇧🇷2.
O congressista será assalariado somente durante o mandato. Não haverá ‘aposentadoria por tempo de parlamentar’, mas contará o prazo de mandato exercido para agregar ao seu tempo de serviço junto ao INSS referente à sua profissão civil.

🇧🇷3.
O Congresso (congressistas e funcionários) contribui para o INSS. Toda a contribuição (passada, presente e futura) para o fundo atual de aposentadoria do Congresso passará para o regime do INSS imediatamente. Os senhores Congressistas participarão dos benefícios dentro do regime do INSS exatamente como todos outros brasileiros. O fundo de aposentadoria não pode ser usado para qualquer outra finalidade.

🇧🇷4.
Os senhores congressistas e assessores devem pagar por seus planos de aposentadoria, assim como todos os brasileiros.

🇧🇷5.
Aos Congressistas fica vetado aumentar seus próprios salários e gratificações fora dos padrões do crescimento de salários da população em geral, no mesmo período.

🇧🇷6.
O Congresso e seus agregados perdem seus atuais seguros de saúde pagos pelos contribuintes e passam a participar do mesmo sistema de saúde do povo brasileiro.

🇧🇷7.
O Congresso deve igualmente cumprir todas as leis que impõe ao povo brasileiro, sem qualquer imunidade que não aquela referente à total liberdade de expressão quando na tribuna do Congresso.

🇧🇷8.
Exercer um mandato no Congresso é uma honra, um privilégio e uma responsabilidade, não uma carreira. Parlamentares não devem servir em mais de duas legislaturas consecutivas.

“A petição com os dois milhões e meio de assinaturas chegou ontem no congresso nacional

A profissão das profissões

15/10/2018 16:54
 
Lembrando meu saudoso pai, mestre que foi de inúmeros itajaienses, parabenizo a todos os professores na passagem do seu dia. Que um dia o sagrado ofício de educar/ensinar seja devidamente reconhecido. E que a Educação seja colocada na posição de destaque que merece, sendo reconhecida como a melhor arma para o desenvolvimento de uma nação melhor para todos. Afinal, professor é a profissão das profissões, é aquele que forma todos os profissionais, de todas as áreas do conhecimento.
 
A TECNOLOGIA NÃO TEM ALMA
 
Sempre que lembro do meu pai, o vejo deitado na cama, lendo um livro. Em casa, era assim que gostava de ler. Um leitor compulsivo e apaixonado. Não se tratava de hábito, muito menos obrigação. Era o seu maior prazer!
 
Dar a ele um livro de presente era uma tarefa dificílima. Um dia teimei, entrei num sebo, separei uma dezena de bons livros e liguei para ele. – Pois então seo Pedro Ghislandi, vou lhe passando os títulos e os autores e o senhor escolha aqueles que desejar. Inútil tarefa. A todos ele já tinha lido. Alguns, inclusive, mais de uma vez.
 
– Os livros mais cativantes, deve-se ler duas, três vezes. E garanto que a cada leitura farás novas descobertas, dizia do alto de sua vasta sabedoria. Conhecia a história da humanidade desde seus primórdios, discorria sobre qualquer assunto, filósofos citava às dezenas, escritores alemães, russos, franceses, tchecos, italianos, portugueses, ingleses, irlandeses, enfim. Um erudito na mais completa acepção da palavra.
 
Assíduo frequentador da Biblioteca Pública Norberto Cândido Silveira Júnior, era comum vê-lo lá, de cócoras em algum corredor, folheando livros e mais livros. Esta posição corporal inusitada, de cócoras, naturalmente chamava a atenção de todos, inclusive dos funcionários da biblioteca, tornando-o até certo ponto uma figura folclórica, além de querido pelos que tiveram a oportunidade de ali conhecê-lo. Ficar de cócoras jogando conversa fora é, na verdade, um costume dos colonos de origem italiana. Na boca, além dos causos, um cigarrinho de palha também não podia faltar.
 
Em certa ocasião, quis lhe dar um notebook. Assim, poderia ter milhares de livros virtuais à disposição. Claro que eu sabia que seria em vão. – Você acha meu filho, que eu poderia me adaptar a isto? Logo eu, que nem de bicicleta aprendi a andar!! E era assim, caminhando pelas ruas de Itajaí é que ele arejava os pensamentos. Mas o notebook foi apenas para sentir a sua reação, sabia que jamais ele trocaria o papel pela plataforma virtual.
 
– A tecnologia não tem alma!, disse enfático para encerrar o assunto. E eu concordo com ele. Nada como o saboroso ritual de ter o livro nas mãos, folheá-lo, admirar a capa, a contracapa, analisar a apresentação do tema, o projeto gráfico. É uma magia que não pretendo descartar. É o mesmo que você assistir a um filme na TV e no cinema. A emoção é outra! Mas há espaço para todos os suportes, sem que precisemos necessariamente abrir mão de um ou de outro. O mesmo vale para os jornais. O papel e a informação virtual podem conviver pacificamente, e assim penso que será ainda por um bom tempo.
 
Infelizmente o professor Pedro partiu para sempre em outubro de 2013, mas deixou um grande exemplo a ser seguido pelos filhos e por seus inúmeros alunos, a paixão pela leitura e o amor incondicional à língua portuguesa. Ele não merece cair na vala comum do esquecimento!
 
INESQUECÍVEL MESTRE – Faz cinco anos que vi meu pai pela última vez. Enquanto viveu, foi um farol a iluminar minh’alma e um estímulo para enfrentar os íngremes caminhos que tive que trilhar nesta tortuosa caminhada chamada vida. É a ele a quem recorria nos momentos mais difíceis, naquelas horas mais angustiantes, em que tudo parecia ruir à minha volta.
 
Era dos seus sábios conselhos e do vasto conhecimento que ele havia acumulado ao longo de décadas de leitura e de vivência que eu me nutria, como náufrago agarrado a uma boia salvadora em mar revolto. Sinto falta mais ainda da sua presença calma e apaziguante, dos momentos em que, deitado no tapete da sala, ouvindo ópera ou música erudita, via-lhe lágrimas a escorrer pelo rosto – tal era a sensibilidade ímpar -, de vê-lo deitado na cama em seu ritual diário de leitura, da paz e do saber que transmitia em suas palavras. Sim, as palavras, sempre bem colocadas e gramaticalmente impecáveis eram a sua paixão maior. Não deixou uma só frase escrita!
 
A sua vocação era a palavra falada, professor que foi de diversas gerações de itajaienses, especialmente no Colégio Salesiano, onde fez-se um dos fundadores, na época do padre Pedro Baron. Prefeitos, deputados, governadores e uma vasta gama de profissionais das mais diversas áreas do conhecimento passaram pelos ensinamentos do professor Pedro Ghislandi. Latim, francês, história, geografia, entre outras disciplinas, ministrou durante a sua longa trajetória docente.
 
Mas era à língua portuguesa que dedicava a sua mais fervorosa devoção. Lembro-me, desde a mais tenra idade, da sua intolerância a qualquer erro gramatical que eu ou qualquer dos seus quatro filhos ousasse cometer. Com a severidade própria que normalmente impunha em seu semblante, corrigia-nos sempre que pronunciávamos algo que se contrapunha às regras do bom português.
 
E assim aprendíamos, no dia a dia da convivência, qual o pronome adequado, qual a flexão correta do verbo, a concordância, a ortografia, enfim, como falar e escrever sem praticar nenhum sacrilégio à sua amada língua pátria. Este comportamento ele manteve até o final dos seus dias, e agradeço à sua persistência pois, não fosse assim, por certo não seria eu o que sou hoje.
 
Acabei seguindo seu exemplo e me apaixonando também pela palavra. Mas, ao contrário dele, dediquei-me à palavra escrita, formando-me jornalista e, agora, esboçando os primeiros passos como aprendiz de escritor. Acostumado ao exercício da reportagem, foram raras as ocasiões em que me desviei ou atrevi-me a escrever artigos ou crônicas.
 
E foi justamente depois do falecimento de meu pai que passei a exprimir-me não mais com a apuração dos fatos que resultam no texto jornalístico, mas na forma de escrituras que assumem a revelação de sentimentos e recordações que me assomam a memória e a alma. É como se tivesse hibernado por 20 anos e, de repente, acordado para um novo e iluminado mundo!
 
Penso que meu pai, no íntimo mais profundo, desejava que eu fosse dotado de alguma grandeza, notável de alguma forma, culto na mais perfeita acepção da palavra, que tivesse lido toda a enciclopédia literária já escrita pelo gênero humano. Gostaria de tê-lo orgulhado ainda enquanto vivo meu pai. Mas tentarei ser, pelo menos em uma ínfima parte, aquilo que sonhavas para mim! E se conseguir ser alguém de alguma grandeza, certamente deverei esta dádiva a você professor Pedro Ghislandi, de quem muito me orgulho de ter como pai e privilegiado confidente. Descanse em paz!

Numa tarde chuvosa e demasiado nostálgica

13/10/2018 14:38

Sei que desejavas, querido pai, que eu fosse grande, notável de alguma forma, culto, que tivesse lido toda a enciclopédia literária já escrita pelo gênero humano. Gostaria de tê-lo orgulhado ainda enquanto vivias, meu pai. Mas a vida do teu filho ainda é uma estrada aberta para o universo infinito do conhecimento. Busco acrescentar e multiplicar a cada dia tudo que aprendo e apreendo, produzir algo de bom para mim e aos que consigo alcançar com minhas parcas palavras.

E um dia, quem sabe, daí onde estás, possas abrir aquele teu reservado sorriso e dizer: – Nunca se baste meu filho, porque a vida nunca basta! A cada dia ela traz novos ensinamentos, experiências e emoções que modificam o teu olhar e as tuas atitudes diante do vasto mundo em que vives. Vá em frente sempre, não desperdices o teu exíguo tempo com fraquezas e lamentos vãos, pois a bom lugar não vão te levar.

– E filho, não esqueça nunca de olhar para os lados e dar as mãos àqueles que têm te acompanhado no tortuoso e extenuante caminho que vens trilhando. Àqueles que estiveram contigo nos dias bons e naqueles em que a tristeza turvou sombriamente tua alma.

– Demonstrarás, assim agindo, que és humano. E é de humanidade, acima de tudo, que o mundo necessita. Conhecimento é importante e necessário, mas pouco valor terá a sabedoria se ela não estiver impregnada do nobre sentimento chamado Humanidade. E tenhas a certeza, filho querido, que daqui onde estou, vou te aplaudir e me orgulhar de ti. E estarei confortado eternamente.

-Beijos e um abraço apertado meu filho amado! Até mais…

Beijos meu pai! E cuida bem da minha mãezinha, a amada dona Luiza, que aí contigo está, tua companheira de uma vida inteira. Amo vocês demais!!!

Saudades imensas, Émerson Ghislandi.

É Preciso Dizer

06/10/2018 23:17

Lula foi o melhor presidente que o Brasil já teve em toda a história. Governou para todos, ricos e pobres. Bostonaro, em 28 anos como deputado, nunca fez absolutamente nada, nenhum projeto de lei, nunca fez nada inclusive para o Rio de Janeiro, estado ao qual representa, nem ao menos para melhorar a segurança.

Não fez pelo Rio, vai fazer pelo Brasil? O que ele soube fazer bem na vida pública foi enriquecer a si e sua família. Tanto que possui um patrimônio incompatível com o que ganha. É um sujeito que não respeita as minorias, é preconceituoso, homofóbico, dissemina o ódio e a violência por onde passa.

Além de tudo é um incompetente. Com Bolsonaro na presidência, aí sim o Brasil poderia se despedir da democracia e da possibilidade de redimir o sofrido e esfolado povo brasileiro. A diferença fundamental é que Lula governou com os olhos voltados aos menos afortunados. Já Bolsonaro, se eleito, voltará as costas aos pobres, governará para aqueles que votam nele, ou seja, os ricos, os latifundiários, os ruralistas, os banqueiros, as companhias armamentistas a quem ele bem representa.

Por essas e outras é Fernando Haddad o iluminado político que trará ao país a volta do desenvolvimento e a alegria no rosto de cada cidadão brasileiro. Neste histórico 7 de outubro você, caro eleitor, tem a enorme responsabilidade de mostrar que a democracia caminha lado a lado com a justiça, com a fraternidade e com o desenvolvimento da nação.

Vote com consciência. Não vote com ódio no coração.

Um outro Brasil

10/09/2018 18:40

São inadmissíveis os privilégios de que gozam os parlamentares no Brasil. E não só eles, mas também o judiciário, cujos representantes ganham 35 mil por mês, fora o auxílio-moradia, auxílio-alimentação e outros penduricalhos, tudo com o nosso suado dinheirinho. Segundo a ONG Transparência Brasil, juízes, promotores e membros do Ministério Público recebem por ano em média 700 mil reais. Um absurdo num país cuja maioria de sua gente vive na miséria. E ainda querem reajuste salarial de 16 por cento. Numa conjuntura de crise por que passa o Brasil, soa como um verdadeiro escárnio e se constitui numa insensatez tamanha. Temos que nos mobilizar para acabar com essas benesses com o dinheiro público.

SALÁRIOS DOS JUÍZES NOS ESTADOS

MS R$ 100.607,69
SC R$ 74.174,49
TO R$ 72.125,56
RN R$ 63.448,86
GO R$ 63.365,41
BA R$ 60.710,39
RJ R$ 59.074,39
PE R$ 53.918,62
SE R$ 53.202,46
AC R$ 52.836,96
MG R$ 52.832,96
AP R$ 52.198,93
DF R$ 51.456,50
RO R$ 50.485,96
PB R$ 50.139,96
AM R$ 48.095,87
RR R$ 47.494,23
MT R$ 47.044,79
RS R$ 46.878,21
AL R$ 46.255,35
MA R$ 45.105,69
SP R$ 44.592,50
ES R$ 44.169,85
PR R$ 40.777,54
CE R$ 37.055,21
PI R$ 34.945,71
PA R$ 31.587,87

Fonte: CNJ

Somente nós podemos mudar o Brasil

06/09/2018 16:19

7 de outubro é a oportunidade de os brasileiros colocarem no Congresso Nacional, nos governos estaduais e Assembleias Legislativas, representantes dignos de seu voto. Eleger aqueles comprometidos principalmente com transformações estruturais do estado brasileiro.

Temos sim que fazer mudanças profundas na prática política e acabar com os privilégios concedidos aos parlamentares, que estão levando à degradação da Nação. Todos os governantes até aqui falam em cortar despesas, mas não agem nesse sentido. Querem sim é aumento de impostos, como se já não fôssemos o campeão mundial em impostos.

O terceiro Estado, que é o povo esclarecido, clama por justiça. A história nos mostra que muitos governantes caíram e até perderam suas cabeças exatamente por isto: aumento de impostos. Tem que ter fim as mordomias, tais como gabinetes abarrotados de apadrinhados, secretárias, assessores, adjuntos e suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, décimo quarto, décimo quinto salário, verbas parlamentares exorbitantes, assistência médica gratuita vitalícia para si e familiares, etc.

Nenhum governante fala em redução do número de deputados na Câmara Federal e nos seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países sérios. Não falam em acabar com as mordomias na Câmara, Senado e Ministérios, como banquetes e almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do povo.

Eles não falam em acabar com centenas de institutos e fundações públicas que não servem absolutamente para nada, e tem funcionários e administradores com segundo e terceiro emprego. Na redução drástica da quantidade de vereadores, diminuir os gastos das Câmaras Municipais e das Assembleias Estaduais. Isso eles não falam.

Acabar com o financiamento aos partidos, que devem viver da cotização dos seus associados e da imaginação – que aos outros exigem – para conseguirem verbas para as suas atividades. Aliás, cinco partidos seria mais do que suficiente, nada mais que isso.

Acabar com a distribuição de cargos a presidentes de partidos e das Câmaras, Acabar com os motoristas particulares 24 horas por dia, com o agravamento das horas extraordinárias, para servirem suas excelências, filhos e famílias, e até ex-famílias. Acabar com a renovação sistemática da frota de carros dos Estados.

Colocar chapas de identificação em todos os veículos do Estado, e não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular, como levar e trazer familiares e filhos à escola, ir a supermercados fazer compras, passeios, etc.

Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos políticos – central e local – de forma a saber qual o seu patrimônio antes e depois. Se os políticos e governantes que forem sufragados nas urnas nas eleições de 2018 não se movimentarem para fazer as reformas de fato, não quiserem passar o Brasil a limpo, caberá a nós, o povo esclarecido, fazer isto através das mobilizações em massa, indo para as ruas manifestar a nossa insatisfação.

Sem vandalismo, sem black blocs, que são contra a sociedade organizada. Juntos, vamos mostrar que o Brasil, o povo esclarecido, pode mudar os rumos da história.