Premiação da Transat Jacques Vabre ocorre em Paris

09/12/2019 00:33

Os vencedores da Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre foram oficialmente premiados neste sábado (7), no Nautic Paris, principal salão náutico da França.

As duplas ganhadoras nas três classes inscritas na regata oceânica receberam os troféus na cerimônia.

A competição de 2019 reuniu ao todo 59 barcos, que partiram de em Le Havre, na França, rumo à Salvador (BA).

Apenas sete embarcações ficaram pelo caminho no Oceano Atlântico, o que resultou no recorde de participação nas 14 edições do evento.

O campeão da Multi50, categoria dos multicascos, foi o Groupe GCA Mille et une sourires, comandado pelos franceses Gilles Lamire e Antoine Carpentier.

Os vencedores foram chamados ao palco ao lado dos adversários que completaram o pódio, as duplas do Solidaires En Peloton ARSEP e Primonia.

“Foi uma largada intensa! E a regata foi bonita por causa disso e graças aos nossos concorrentes”, reforçou Gilles Lamire, que levou seu multicasco a vencer a prova de 8 mil quilômetros em 11 dias, 16 horas, 34 minutos e 41 segundos.

Na IMOCA 60, o Apivia foi o campeão, seguido por PRB e Charal. Com um barco novinho em folha (com direito aos hidrofólios), os franceses Charlie Dalin e Yann Eliès fizeram o percurso em 13 dias, 12 horas e 8 minutos.

”A Transat Jacques Vabre é como uma boa caipirinha, você tem que beber três! Eu realmente aprecio essa prova em duplas, foi um grande prazer viver isso com Charlie!”, disse Yann Eliès.

“Foi o primeiro grande sucesso da campanha do Apivia! Fomos muito felizes!”, completou Charlie Dalin.

O campeão na Class40 entre os 27 que saíram de Le Havre foi o Credit Mutuel, que completou a prova em 17 dias 16 horas 21 minutos 23 segundos.  A dupla francesa foi formada por Ian Lipinski e Adrien Hardy.

A competição terminou no último dia 21 de novembro e teve ao todo 25 dias de travessia com a chegada do último da Class40, o Terre Exotique.

O Brasil já sediou por oito vezes a regata em duplas pelo Atlântico. A capital baiana recebeu por seis vezes e a catarinense Itajaí por duas. A prova já desembarcou também na Colômbia e na Costa Rica.

Os baianos agora se preparam para receber mais um campeonato internacional. Em 2020, a base naval de Aratu sediará o Mundial da Juventude da World Sailing. As regatas serão para atletas de até 19 anos e reunirá mais de 80 países.

A próxima edição da Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre será realizada em 2021. O local será anunciado no ano que vem.

Tudo pronto para a Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre

26/10/2019 04:00

A largada da 14ª edição da regata Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre será neste domingo (27), a partir de 8h (Horário de Brasília) com 59 barcos internacionais.

Os veleiros partem de Le Havre, na França, com destino a Salvador, na Bahia, em um percurso de 4.350 milhas náuticas ou 8 mil quilômetros pelo Atlântico.

O Brasil receberá pela oitava vez o evento, considerado o maior desafio de vela oceânica em duplas do mundo.

A Baía de Todos-os-Santos sediou as chegadas nos anos de 2001, 2003, 2005, 2007 e 2017. A catarinense Itajaí realizou a Transat Jacques Vabre nos anos de 2013 e 2015.

A edição 2019 bateu recorde de participantes com 59 barcos na linha de largada com 11 países: Alemanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália , Japão, Reino Unido, Suíça e Turquia.

”O número de barcos é impressionate e esperamos uma regata forte tecnicamente”, explicou Gildas Gautier, diretor da competição.

A previsão de chegada dos primeiros barcos no Terminal Turístico Náutico da Bahia, que fica atrás do Mercado Modelo e Elevador Lacerda, está em 9 de novembro.

A Vila da Regata de Salvador (BA), com atrações gratuitas, será aberta ao público em 6 de novembro.

Em Le Havre, na França, sede oficial da regata, os fãs da vela oceânica lotam os píeres da Bacia de Paul Vatine para ver os veleiros e os expositores. Mais de 500 mil pessoas são esperadas no local em dez dias de evento.

As equipes também montam suas bases, numa espécie de paddock de regata. Os barcos na disputam são os mais modernos na vela oceânica, incluindo 29 IMOCAs, 27 Class40 e três Multi50.

Os melhores velejadores do mundo participam da competição, como os franceses Paul Milhat, Vicent Riou e Jeremie Beyou, o alemão Boris Herman, os britânicos Pip Hare, Sam Davies e Alex Thomson e o norte-americano Charlie Enright.

”Eu velejei para o Brasil outras duas vezes com a Ocean Race, mas em outra direção. A última vez não foi do jeito que gostaria com uma parada na Ilhas Falkland. Mas da primeira vez chegamos no pódio em Itajaí. Espero agora ser novamente bem recebido no País”, contou o norte-americano Charlie Enright.

Os primeiros dias de regata devem ser duros para os velejadores no Canal da Mancha, trecho entre a França e a Inglaterra.

O alto tráfego de embarcações e uma entrada de uma frente fria devem complicar a vida das duplas.

Há a previsão de ventos contrários e de forte intensidade até a chegada ao Atlântico.

”A regata é uma das mais longas e uma das únicas, como Vendée Globe, que desce para a linha do Equador. As condições não são fáceis, com ventos fortes e contrários no começo e calmaria na metade. A tendência é que eles demorem mais do que o previsto pra chegar”, ressaltou a francesa Sylvie Viant, diretora de prova.

”Além disso, os velejadores gostam de ir para o Brasil porque as condições são diferentes e quando eles chegam são bem recebidos em um país tropical. Os brasileiros são muito simpáticos e acolhedores”.

O Brasil não terá representantes após duas temporadas consecutivas com velejadores na Class40.

Em 2015, o campeão olímpico Eduardo Penido velejou a bordo do Zetra ao lado de Renato Araújo.

Em 2017, foi a vez do angolano radicado em São Paulo (SP) José Guilherme Caldas navegar ao lado do baiano Leonardo Chicourel rumo à Bahia no Mussulo 40 Team Angola Cables.

”Foi uma experiência inesquecível e espero poder participar outras vezes da regata. Chegar em casa depois de quase um mês de navegação foi uma das maiores emoções da minha carreira”, disse Leonardo Chicourel.

 

Le Havre abre oficialmente a vila da regata da Transat Jacques Vabre

19/10/2019 10:35

 

A regata em duplas Transat Jacques Vabre vai para a sua 14ª edição, sempre partindo de Le Havre para um produtor de café.

Itajaí (SC) já recebeu a prova duas vezes: 2013 e 2015, mas desde 2017 os barcos voltaram pra Salvador (BA), onde devem chegar no início de novembro à Baía de Todos-os-Santos.

Como nas ocasiões anterior, há sempre uma abertura oficial, que rolou neste sábado (19) aqui na França.

A vila da regata vai receber mais de 500 mil pessoas. Isso mesmo, é o total nos 10 dias de evento.

Todos os 60 barcos que vão para o Brasil tem patrocinador por trás.

Leia o comunicado oficial — https://onboardsports.net/inaugurada-a-vila-da-regata/

Às 11h deste sábado (18), o prefeito da cidade de Le Havre, também presidente da Le Havre Seine Metropole, Jean-Baptiste Gastinne, e Sebastien Tasserie, secretário de esportes, cortaram a fita tradicional para oficializar a abertura da vila.

A vice-presidente da região da Normandia, Marie-Agnès Poussier-Winsback, a sub-prefeita de Le Havre, Vanina Nicoli e o presidente da JDE França, Juan Amat, participaram da cerimônia na Bacia de Paul Vatine.

A inauguração da vila também foi uma oportunidade de prestar uma homenagem emocionante ao famoso velejador de Le Havre, Paul Vatine, que morreu há 20 anos durante a regata. Sua esposa, Mireille, estava presente.

A regata começa no domingo (27) e terá 60 barcos na disputa. A prova é corrida em duplas e seu destino final é Salvador, na Bahia.

 

 

Regata Transat Jacques Vabre começou em 1993 e passou por Itajaí

06/08/2019 19:14

31 de outubro de 1993: 13 solitários velejadores iniciariam a primeira edição da Transat Jacques Vabre de Le Havre, na França, para Cartagena, na Colômbia.

Entre eles, estrelas como Loïck Peyron e Alain Gautier – que ganhou alguns meses antes a segunda edição da Vendée Globe. Mas também um jovem desconhecido que está no começo, Vincent Riou, 21 anos, patrocinado por … Maître Coq.

O evento foi construído a partir do zero pela empresa Jacques Vabre, que comercializa o café de mesmo nome e, que retornou ao grupo da Kraft Foods (então Kraft Jacobs Suchard, Mondelez e JDE).

“A regata nasceu do desejo estratégico da marca de criar um evento em sintonia com sua comunicação da época, centrada nas origens”, lembra Bruno Luisetti, que fazia parte da empresa.

Os veleiros partiam de Le Havre, o porto histórico de importação de café, e tinham chegada na Colômbia, onde era e ainda é produzido. O evento também foi chamado de Regata do Café, sem referência à marca, e logo depois demorou um pouco para ser aceito com o nome de Transat Jacques Vabre.

Esta primeira edição foi um sucesso esportivo, marcado pela vitória no multicascos de Paul Vatine e de Yves Parlier no monocasco.

Acontece, no entanto, que era extremamente complicado para organizar: “Nós não tivemos uma equipe muito séria e tivemos que levar tudo de volta no último momento, então para o próximo, fomos buscar pessoas mais profissionais” disse Bruno Luisetti. É foi para a empresa Pen Duick, criada por Eric Tabarly e Gerard Petipas, que o patrocinador se dirigiu.

”Quando eles entraram em contato comigo, eu disse a eles que poderia me interessar, desde que a Transat se tornasse uma corrida dupla, porque eu sempre fui muito a favor desse formato – eu também havia criado antes o Lorient-Bermuda-Lorient que funcionou bem”, disse  Gerard Petipas, que completará 80 anos em novembro.

”No começo, eles se recusaram e me pediram para mudar de ideia, mas eu não queria saber de nada! Eles finalmente retornaram duas semanas depois, dando-me sua concordância”.

Foi assim que a Transat Jacques Vabre passou a ser em duplas, um formato que se tornou parte integrante de seu DNA por 12 edições. Esse é um dos ingredientes de sua durabilidade, mas  não é o único, segundo Bruno Luisetti:

“A parceria com a cidade de Le Havre também foi um dos ponto-chave, tivemos uma forte relação tripartite entre Antoine Rufenacht [prefeito de Le Havre entre 1995 e 2010, Ed Gerard Petipas e eu. Tentamos inovar a cada edição, especialmente em torno do desenvolvimento sustentável”.

O sucesso está também na significativa cobertura da mídia. “A Transat Jacques Vabre rapidamente se tornou a terceira regata mais popular depois da Vendée Globe e da Route du Rhum”, contou Bruno Luisetti.

A regata parou em Itajaí nos anos de 2013 e 2015 depois do sucesso da Ocean Race em 2012.

Nesta temporada, os barcos terminam a prova em Salvador (BA) com largada prevista para o fim de outubro.

 

 

VelaShow 2019 tem 40 expositores confirmados

04/04/2019 16:08

A cidade de Itajaí (SC), que sediou regatas importantes como a Volvo Ocean Race e a Transat Jacques Vabre, recebe entre os dias 19 e 21 de abril, o VelaShow. O evento exclusivo para veleiros é inédito no Brasil e terá provas no calendário.

Ao todo, 40 expositores confirmaram presença no VelaShow, incluindo fabricante de velas de regata, estaleiros e empresas do segmento de turismo.

A feira traz em sua programação regatas, palestras, workshops, exposição de barcos, produtos e serviços, a possibilidade de se hospedar em um veleiro e muito mais.

Na programação estão três regatas: a Optimist, Ibis Rubra (ambas no dia 19 de abril) e a VelaShow (20 de abril).

A exposição acontece das 12h às 21h, nos três dias de evento. Confira aqui, alguns deles:

 

 

 

 

Boat’n Box

A missão da Boat’n Box é desmistificar e popularizar a construção naval amadora com compósitos de madeira. Com esse objetivo, a empresa desenvolve kits para construção de pequenas embarcações e pranchas SUP, possibilitando ao cliente o prazer de construí-las com facilidade e economia. Com os kits Boat’n Box, você constrói pranchas e pequenas embarcações, com a vantagem de personalizar ao seu gosto ou estilo e com custo mais acessível.

A Equinautic oferece toda linha de peças e produtos para equipar veleiros e lanchas de lazer, assim como equipamento pesado para embarcações de trabalho, diferenciando-se pela variedade de opções e pela qualidade das marcas que representa. Em 2018, em comemoração aos 30 anos de história, a Equinautic se expandiu e hoje possui uma loja com 420m² – um local com bastante espaço para expor todos os produtos, mostrar as aplicações e funcionalidades. Mais do que se sedimentar como referência em náutica no Sul, a empresa deseja continuar sendo o “ponto de encontro” dos muitos amigos que conquistou durante este tempo.

JettDeck

Pioneirismo é a palavra que melhor descreve os mais de 15 anos de trabalho da Jett Deck na produção de pisos náuticos em EVA. Localizada em Santa Catarina, a Jett Deck foi a primeira empresa do Brasil e a segunda do mundo a produzir pisos náuticos em EVA para jet skis sob a marca Jett Traction. Com a experiência adquirida ao passar dos anos, a empresa evoluiu e criou mais um produto inédito no país: os pisos náuticos para embarcações Jett Deck. A empresa conta com representantes oficiais em vários estados do Brasil, todos com treinamento realizado na fábrica para atender qualquer cliente no padrão da marca: seja ele estaleiro, loja ou cliente final.

Usekontiki

A Kontiki é uma marca de roupas desenvolvida para pessoas que são apaixonadas pelo mar e por tudo o que ele pode oferecer. Para o seu fundador, a paixão pelo mar veio desde pequeno, incentivado pela sua família, que frequentava todos os finais de semana a praia de Piçarras, em Santa Catarina. Foi lá, que motivado pelos pais e irmãos mais velhos, passava horas em contato com o mar, praticando diversas atividades utilizando a energia das ondas e dos ventos. Assim, formou uma forte ligação com o mar e um estilo de vida que busca inspirar as pessoas através das coleções de roupas da Kontiki.

Blackcat Sailboat – Veleiros

Os veleiros Blackcat são desenvolvidos para quem deseja iniciar no mundo náutico e também para quem já tem experiência, mas busca uma solução para os problemas de transporte, armazenamento e falta de tempo. Os modelos Blackcat são uma excelente alternativa para quem gosta ou gostaria de velejar com preços e custos de manutenção bem menores do que você imagina.

Rkr Seguros

A RKR conta com corretores com mais de 30 anos de serviços em corretagem de seguros, com registro SUSEP. A empresa oferece o que há de melhor em produtos de seguro, sempre com o melhor custo benefício, auxiliando os clientes do início ao fim da vigência do seguro. Ataulmente, a empresa possui mais de 6 mil clientes ativos.

TOM & CAT

Desde 1998, a TOM & CAT está presente no mercado náutico, atendendo diversos tipos de velejadores, de lazer e competição. A empresa conta com toda a estrutura para atender as classes de veleiros monotipos. A TOM & CAT é a fabricante do veleiro Day Sailer no Brasil, além de ser especializada em veleiros catamarans. A empresa dispõe de mais de 2 mil itens destinados à reposição de peças de veleiros, bem como equipamentos e acessórios.

Nautos Indústria Metalúrgica

A Nautos é uma empresa brasileira que há mais de 40 anos produz ferragens de excelente qualidade para veleiros. O que move a empresa todos esses anos é o espírito de velejador: espírito aventureiro, todavia, cauteloso, com muita atenção nos detalhes, além da cordialidade e honestidade, aproveitando sempre da melhor forma a direção dos ventos com muita paixão. É dessa forma que a Nautos desenvolve e produz seus produtos.

BeBlue Sailing Brasil

A BeBlue é uma operadora de turismo internacional especializada no mercado náutico de vela. A empresa organiza tours e flotilhas para os mais variados destinos da Europa, Ásia, Caribe e África. A BeBlue também providencia experiências totalmente personalizadas, incluindo equipe de bordo própria e a escolha do barco e roteiro ideal.

Yanmar Brasil

Presente em cinco continentes e em mais de 20 países, a YANMAR oferece soluções para os mercados de construção, agricultura, indústria, marítimo e energia. A empresa investe cada vez mais em tecnologia, melhoria contínua e em pessoas, pois seus princípios se baseiam no espírito de seus fundadores, que ao longo destas décadas foram passados para toda a companhia. Com isso, a YANMAR South America vem contribuindo para o desenvolvimento e viabilizando o avanço tecnológico do segmento no país sem deixar de lado a preocupação ambiental e seguir rígidos padrões de qualidade.

Quantum Sails Brasil

Uma coisa é fabricar velas excepcionais, outra é fazer dos desafios do cliente seus próprios desafios. Esta é a meta da Quantum. Com atendimento diferenciado e personalizado, a Quantum acompanha o cliente em cada etapa, como leal consultor, amigo e velejador. Localizada em Porto Alegre, a empresa vende, projeta e produz toda a linha de velas da Quantum®, incluindo velas para regata, cruzeiro e One Design.

Coppercoat Brasil

A Coppercoat é possivelmente o anti-incrustante mais poderoso e de longa duração disponível hoje no mercado. Desenvolvido nos anos 80 e disponível ao público desde 1991, o produto protege dezenas de milhares de embarcações ao redor do mundo, poupando seus proprietários de tempo e despesas com anual re-anti-incrustamento. Entre os diferenciais da Coppercoat estão sua duração imbatível, custo x benefício e a responsabilidade ambiental.

CS Yacht

A CS Yacht é herdeira da mais tradicional fabricação de embarcações em fibra de vidro para trabalho e pesca profissional. A partir de conceitos modernos aliado ao tradicional, a empresa oferece ao profissional do mar um equilíbrio entre beleza, robustez e funcionalidade. Com uma longa experiência em barcos de trabalho, a CS Yacht proporciona ao cliente maior segurança e melhor custo-benefício.

Para ser um expositor entre em contato com o setor comercial: (22) 2648-9751 | 📩 info@velashow.com, ou acesse o site: www.velashow.com, para mais informações.