Campanha da NOB para ajuda no combate ao vírus

04/04/2020 12:08

Pensando em fazer a diferença neste momento crítico, a Nob vai produzir uma edição especial de camisas com proteção UV.

Vai ser uma edição limitada com a assinatura do maior atleta olímpico brasileiro da história, Robert Scheidt.

A renda será revertida para a compra de viseiras (protetores faciais / Shields) para profissionais da saúde trabalharem no combate ao coronavírus.

Com o apoio de Robert, a estampa é uma comemoração à participação do atleta em sua sétima olimpíada.

Como participar?

As camisas estão à venda exclusivamente pelo site www.nobmultisports.com/loja. Comprando a sua você vai fazer bonito dentro e fora d’agua.

A entrega será feita a partir de 01 de junho.

North Sails ajuda na confecção de máscaras faciais em Ilhabela

02/04/2020 21:24

A North Sails do Brasil, parceira da Semana Internacional de Vela de Ilhabela, solicitou à prefeitura municipal de Ilhabela um alvará especial para produzir máscaras faciais de combate ao COVID-19 nas instalações para fornecer à população local.

No projeto proposto, a North Sails fornecerá know-how vindo das fábricas North Sails da Itália e França (que já produzem máscaras desde o inicio da pandemia), mão de obra e maquinário.

A prefeitura fornecerá tecido, elásticos e linhas de costura.

Foto: Aline Bassi | Balaio

The Ocean Race ajudando a ‘vizinhança’ em Alicante

31/03/2020 23:00

A pandemia do COVID-19 impactou comunidades, famílias e indivíduos no mundo todo.

E a The Ocean Race lançou uma campanha para apoiar todos que estão na linha de frente para conter o vírus e minimizar seu impacto.

Os funcionários da The Ocean Race têm adotado uma medida para ajudar aos prestadores de cuidados de saúde locais, em Alicante, na Espanha, que se esforçam para cuidar de pacientes com COVID-19.

A equipe de tecnologia da regata, que normalmente gasta seu tempo desenvolvendo os sistemas que trazem mídia dos barcos, redefiniu a impressora 3D do escritório.

A máquina é normalmente usada para construir suportes personalizados para equipamentos de mídia.

Agora está a todo vapor fabricando máscaras protetoras faciais na sede da regata.

O hospital de Elda, localizado a 40 km de Alicante é o mais afetado pela crise, pois empresas locais de fabricação de calçados tiveram representantes em uma feira no norte da Itália, pouco antes da crise da saúde.

As autoridades acreditam que isso tenha contribuído para um surto localizado nos casos COVID-19.

Estefania Esteve, diretora financeira da The Ocean Race identificou uma necessidade em Elda através da comunicação com um contato local.

A regata também está conversando com hospitais locais em Alicante sobre se há uma maneira de fornecer ajuda na cidade também.

Nos últimos dias, usando um design compartilhado na internet, o diretor de tecnologia Samuel Piñeiro tem operado a impressora 3D da Race 24 horas por dia em um quarto de sua casa, produzindo escudos protetores para ajudar a facilitar um sistema sobrecarregado.

“Todos sabemos como aguda é a crise aqui na Espanha”, disse Piñeiro. “Essa é uma coisa pequena e concreta que podemos fazer, com as ferramentas que temos, para fornecer alguma ajuda.”

Na segunda-feira, a The Ocean Race forneceu um lote inicial de 18 escudos para os profissionais de saúde.

Usando um design ligeiramente modificado, mais 14 máscaras devem estar disponíveis na quinta-feira.

Da mesma forma, Iker Martinez, um veterano da The Ocean Race em 2011-12 e 2014-15, passou seu tempo em máscaras de costura de ‘auto-isolamento’ para os profissionais de saúde de sua casa em Palma de Maiorca.

Clique na matéria e saiba mais sobre a história de Íker — https://diarinho.com.br/abordodoesporte/2020/03/31/2066/

A crise na Espanha atingiu todos os cantos do país.

Com sede em Alicante, a The Ocean Race está comprometida em ajudar de qualquer maneira possível.

”Somos eternamente gratos aos médicos, enfermeiros, prestadores de cuidados e todos os outros trabalhadores essenciais que se colocam em risco todos os dias para ajudar a todos nós nesses tempos difíceis”, finalizou o comunicado.

Skipper espanhol campeão olímpico produz máscaras. Saiu no MARCA

Iker Martínez é um dos maiores velejadores da história da Espanha.

Campeão olímpico em 2004 ao lado de Xabi Fernandez, o skipper de barcos da The Ocean Race como MAPFRE e Telefónica virou capa do jornal MARCA, diário 100% esportivo assim como o LANCE no Brasil.

A publicação ocorreu no dia 28 de março.

Sem costurar há anos, Iker Martínez não hesitou por um minuto em pegar uma máquina novamente e começar a trabalhar, a fim de se esforçar para combater a expansão do coronavírus.

“É evidente que eu não vou fazer isso tão rápido quanto os profissionais, mas não há máscaras, pessoas estão sendo infectadas e eu tenho muitos conhecidos no mundo da saúde que estão muito preocupados”.

”Sinto-me mal ao pensar que não podemos proteger os anciãos, nossos pais e avós que se preocuparam tanto conosco. Então, quando me propuseram a fazer máscaras, eu disse que sim”.

A proposta veio pelo WhatsApp e o velejador colocou sua família em Palma de Maiorca, onde vive há dois anos, para ajudar.

Os fabricantes enviaram o material para casa e deram instruções sobre como cortá-lo e como costurá-lo.

Iker Martínez vive no País com um dos maiores índices de contaminação e morte do mundo, perdendo apenas para Itália e EUA.

“Lembro-me de costurar as velas que haviam sido quebradas com Jordi Calafat na de 2008 a bordo da Telefónica Azul, no caminho da África do Sul. É muito semelhante ao que é agora porque é também um material moldável. As velas foram costuradas em zig zag e com ponto triplo. É mais fácil, apenas as borrachas em zig zag, o resto é linear”, explicou.

O velejador faz campanha olímpica de Nacra 17.

Leia a matéria na íntegra (em espanhol) — https://www.marca.com/otros-deportes/2020/03/28/5e7e15f3e2704eea2f8b458f.html

Vídeo: Brincadeira de polo aquático em casa

30/03/2020 16:34

A pandemia de coronavírus e a quarentena obrigam os pais a criarem brincadeiras e outras atividades para entreter seus filhos.

Pensando nisso, a Liga PAB (Polo Aquático Brasil) lançou um desafio para as crianças jogarem polo aquático sem sair de casa.

As simulações do jogo foram enviadas pelos pais e veiculadas nas redes sociais da entidade, que completa em 2020, quatro anos de existência.

A PAB possui aproximadamente 500 atletas nas principais categorias de base: sub 14 e sub 16.

No masculino, todos os clubes filiados possuem as duas categorias citadas, são eles: Associação Bauruense de Desportos Aquáticos (ABDA), Associação Brasileira

“A Hebraica” de São Paulo, Botafogo De Futebol E Regatas, Clube Athlético Paulistano, Clube De Regatas Do Flamengo, Clube Internacional De Regatas, Clube Jundiaiense, Clube Paineiras Do Morumby, Esporte Clube Pinheiros Fluminense Football Club, Sesi, Sociedade Hípica De Bauru e Tijuca Tênis Clube. No feminino, os principais clubes formadores da base são o Flamengo, SESI, ABDA, Sociedade Hípica de Bauru e Clube Paineiras do Morumby, nos demais clubes o feminino vem sendo implantado.

“Ações como esta servem para difundir a modalidade entre os fãs e reforçar para todos a força que tem o esporte, mesmo em tempos difíceis como este”,  comentou Alessandro Moscal Checchinato, Presidente da Liga Polo Aquático Brasil (PAB).

“Dentre as metas no curto prazo estão ampliar a captação de recursos públicos e privados para desonerar os clubes filiados e assim facilitar com que novos clubes se interessem em desenvolver a modalidade, aumentar a visibilidade do polo aquático nos meios de comunicação e mídias digitais, ampliar a governança, a transparência e a quantidade de atletas no polo aquático feminino.

Segundo o Presidente, a PAB tem todos os requisitos para continuar crescendo e contribuindo para o polo aquático alcançar o destaque merecido entre os esportes coletivos no Brasil, o belo trabalho desenvolvido pelas gestões anteriores aumenta a responsabilidade desta gestão.

“O foco agora é manter a união dos clubes filiados, disponibilizar as melhores condições possíveis de estrutura física para as competições, finalizar a construção do novo site da PAB e ampliar a participação da comunidade do polo aquático na gestão da entidade, finalizou Checchinato.

Sobre a PAB 

A Liga Brasileira de Polo Aquático (PAB) foi criada com o objetivo de difundir a modalidade no Brasil. Para isso ela busca o protagonismo de clubes, atletas e técnicos com foco no fomento do esporte no médio e longo prazo, evidenciando a visão coletiva que representa os interesses do polo aquático.

Com base na ética, transparência e planejamento participativo, por meio de diversas ações socioeducativas, os diretores priorizam o fomento da modalidade e estimulam os jovens para a prática do polo aquático.

A Liga Brasileira de Polo Aquático foi fundada com a participação de dez clubes em março de 2016: Club Athletico Paulistano (SP), Clube Jundiaiense (SP), Clube Paineiras do Morumby (SP), Clube de Regatas do Flamengo (RJ), Esporte Clube Pinheiros (SP), Tijuca Tênis Clube (RJ), Fluminense Football Club (RJ), Clube Internacional de Regatas (SP),  Serviço Social da Indústria – SESI-SP (SP) e Associação Brasileira “A Hebraica” de São Paulo.

Pan-Americano Masters Rio 2020 adiado

Depois de monitorar cuidadosamente o atual surto de Covid-19 (Coronavírus) foi tomada uma decisão conjunta do Comitê Organizador e da IMGA (Associação Internacional dos Jogos de Masters) de adiar os Jogos Pan-Americanos de 2020, que seriam realizados no Rio de Janeiro.

O comunicado diz que ”foi uma decisão muito difícil, mas é fundamental que o evento possa ser realizado em um ambiente seguro e agradável para todos os participantes do mundo”.

A competição seria realizada de 4 a 13 de setembro na Cidade Maravilhosa. Modalidades como a vela estão na lista de disputa.

Devido à complexidade de mover um evento desse tamanho, uma nova data de abertura ainda não foi estabelecida.

A entidade informará as novas datas em breve.

As inscrições foram encerradas e o reembolso será efetuado.

”O Comitê Organizador e a IMGA agradecem aos Atletas Masters, Co-organizadores, Apoiadores, Patrocinadores, Organizações de Apoio, Parceiros de Mídia e todos os nossos amigos pelo imenso apoio a esses jogos até agora, e expressam nossas sinceras desculpas pelo inconveniente causado por esses imprevistos. circunstâncias”.

Clipe da regata JL Marina Bracuhy

28/03/2020 20:59

A regata JL Marina Bracuhy seria realizada neste sábado (28), com mais de 100 barcos esperados em Angra dos Reis (RJ).

É uma das provas que mais crescem na vela oceânica nacional.

Aqui um vídeo pra ficar no gostinho dos velejadores

 

 

 

Torben Grael e Robert Scheidt concorrem ao prêmio de melhor olímpico do Brasil do século

27/03/2020 16:32

Torben Grael e Robert Scheidt somam juntos 10 medalhas olímpicas.

Torben Grael e Robert Scheidt (Saulo Cruz/Exemplus/COB) …

São os maiores medalhistas da história do País como atletas, em uma modalidade de um tiro só, ou seja, só uma medalha em jogo para cada categoria.

O Globoesporte e o programa ‘Esporte Espetacular’ da Rede Globo idealizaram uma votação com 10 nomes.

Ao lado de Robert e Torben, Sheila (vôlei), que deve levar na votação popular, Giba (vôlei),  Adhemar Ferreira da Silva (atletismo); Cesar Cielo (natação); Joaquim Cruz (atletismo); Isaquias Queiroz (canoagem); Oscar (basquete); e Marta (futebol).

O colegiado e o público ainda vão ajudar a escolher o maior atleta olímpico brasileiro de todos os tempos.

O resultado será divulgado no próximo domingo, no Esporte Espetacular.

Os resultados serão divulgados ao longo de março no Esporte Espetacular.

Link para votação

https://interativos.globoesporte.globo.com/olimpiadas/os-maiorais/materia/maiorais-maior-atleta-olimpico-brasil

Mas não podemos esquecer os parceiros dessas lendas, como Bruno Prada, que foi o proeiro de Robert Scheidt na prata de Pequim 2008 e no bronze de Londres 2012.

Schedit teve dois ouros de Atlanta 1996 e Atenas 2004, e a prata de Sydney 2000, na Laser, classe individual.

Torben teve Daniel Adler e Ronaldo Senfft na sua primeira medalha no Soling.

E Nelson Falcão como parceiro em Seul 1988.

Marcelo Ferreira foi proeiro de Torben Grael nas conquistas do ouro de Atlanta 1996 e Atenas 2004.

Os dois ouros de Atlanta 1996 e Atenas 2004 e a prata de Sydney 2000 foram na Laser, classe individual.

Homenagem a John Fish

Dois anos atrás, a família da The Ocean Race perdia o velejador John Fisher, que caiu no Oceano Antártico durante a edição 2017-18 da regata.

O velejador integrava o Scallywag na perna entre Auckland e Itajaí.

Em comunicado, a The Ocean Race diz que ”todos nós respeitamos e o amamos por sua natureza generosa e prestativa, Fish”.

”Enviamos todos os nossos melhores desejos a sua família e amigos quando nos lembramos de um tremendo velejador e companheiro de equipe”.

World Sailing apoia adiamento de Tóquio 2020

24/03/2020 19:06

O Comitê Olímpico Internacional e o Comitê Organizador de Tóquio 2020 emitiram uma declaração conjunta anunciando o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

A declaração diz: “Nas circunstâncias atuais e com base nas informações fornecidas pela OMS, o Presidente do COI e o Primeiro Ministro do Japão concluíram que os Jogos da XXXII Olimpíada de Tóquio devem ser remarcados até uma data posterior a 2020, mas o mais tardar no verão de 2021, para salvaguardar a saúde dos atletas, todos envolvidos nos Jogos Olímpicos e na comunidade internacional”.

A World Sailing apoia a decisão do COI e do Comitê Organizador de Tóquio 2020 para garantir a saúde e o bem-estar dos atletas, fãs e pessoal de apoio em todo o mundo.

O Presidente Kim Andersen e o Escritório Executivo da World Sailing estão em comunicação direta com o Departamento de Esportes do COI.

O COI está em contato com a World Sailing para desenvolver os planos necessários em plena parceria e para garantir total transparência com foco nas informações da World Sailing e dos atletas.

A curto prazo, a World Sailing não realizará eventos de qualificação olímpica para África, Ásia ou Europa.

A World Sailing está trabalhando com o COI em uma atualização do sistema de qualificação, onde nossa recomendação será a realização de eventos de qualificação no final de 2020 ou no início de 2021.

A World Sailing agora trabalhará com o COI e Tóquio 2020 no momento dos Jogos Olímpicos adiados, nas adaptações necessárias aos planos de entrega dos Jogos e nos sistemas de qualificação olímpica.

Após a decisão do COI, a World Sailing está trabalhando em estreita colaboração com a Federação Japonesa de Vela, o Comitê Organizador da Final da Série 2020 da Copa do Mundo Hempel e comunicará as decisões sobre o calendário de eventos de 2021 em breve.