Matéria oficial da The Ocean Race 2021-22 em Itajaí

16/10/2019 12:33

Brasileira Itajaí volta a sediar a The Ocean Race.

A Ocean Race vai parar pela vez consecutiva na cidade catarinense, que levou mais de 400 mil pessoas à Vila da Regata.

A organização da The Ocean Race 2021-22 confirmou, nesta quarta-feira (16), o retorno de Itajaí (SC) na lista de cidades-sede da regata de volta ao mundo.

Os catarinenses repetirão pela quarta vez a stopover brasileira depois do sucesso de público nas anteriores. Em 2017-18, por exemplo, foram mais de 440 mil visitantes na Vila da Regata montada no Centreventos.

Leg 8 from Itajai to Newport. Start day. 23 April, 2018

A prova marcou a estreia da campeã olímpica Martine Grael na competição.

Será a 11ª vez que o Brasil recebe os barcos da regata volta ao mundo em sua história de 45 anos.

Itajaí recebeu as equipes internacionais em 2012, 2015 e 2018, sempre nos meses de abril na etapa considerada a mais difícil da competição.

Em todas as edições anteriores, os velejadores partiram da Nova Zelândia com destino ao Brasil passando pelos temidos mares do sul e pelo icônico Cabo Horn.

“É fantástico voltar a Itajaí após três paradas bem-sucedidas nas edições anteriores”, disse Richard Brisius, presidente da The Ocean Race. ”Em 2018, ver a resposta da torcida local à velejadora Martine Grael foi um lembrete poderoso do que esse esporte significa para nossos fãs no Brasil”.

A Ocean Race está programada para começar no porto de Alicante, Espanha, no quarto trimestre de 2021, e terminar em Gênova, na Itália, em junho de 2022. Itajaí (SC) se junta a outras cidades-sede da regata como Aarhus, Dinamarca e Haia, Holanda, além da rápida parada em Cabo Verde, ilha no meio do Oceano Atlântico. Novos locais serão divulgados nos próximos dias.

”A Ocean Race se tornou uma das principais atrações de Itajaí, não apenas para visitantes locais, mas também um local turístico nacional e internacional”, disse Volnei Morastoni, prefeito de Itajaí.

”O impacto econômico do último evento aumentou 28% em relação às paradas anteriores e trabalharemos para garantir que isso continue”.

História brasileira na regata

O Brasil tem forte tradição de sediar etapas da Ocean Race desde sua primeira edição em 1973. Com a confirmação de Itajaí, o País recebeu o evento 11 vezes, sendo o Rio de Janeiro (RJ) o destino mais acessado com cinco, seguido pelos catarinenses agora com quatro.

Em 2005-06, uma campanha histórica colocou nas águas internacionais o veleiro Brasil 1, comandado por Torben Grael. A equipe terminou na terceira colocação.

Leg 7 from Auckland to Itajai. Arrivals in Itajai. 05 April, 2018.

A história registra nove velejadores do País na disputa, incluindo os campeões olímpicos Torben Grael, Marcelo Ferreira e Martine Grael. O primeiro foi Fernando Peres, no La Barca Laboratorio (1981-82).

O Brasil tem Torben Grael como único comandante campeão da regata. Em, 2008-09, o atleta liderou o Ericson 4 na campanha vitoriosa ao lado dos compatriotas Joca Signorini e Horácio Carabelli.

”Estou muito empolgado em saber que a The Ocean Race retornará a Itajaí. É uma ótima notícia para os velejadores e fãs de regata brasileiro”, disse Torben Grael, membro do conselho da World Sailing.

“Com uma possível entrada brasileira na próxima corrida, esse interesse pode crescer ainda mais”, disse Grael, que também comandou o Brasil 1 no evento de 2005-06.

Em 2018, Torben Grael, teve a honra de receber a filha Martine Grael a bordo do AkzoNobel em Itajaí após a pupila enfrentar os mares do sul pela primeira vez.

Sustentabilidade

Itajaí (SC) aproveitou as políticas rígidas contra o uso de plásticos descartáveis na última regata para evitar o uso de 300.000 copos no Race Village e, posteriormente, aplicou a medida em outros eventos na cidade e na região, criando um legado duradouro da sustentabilidade.

“É inspirador ver o legado de nossas iniciativas de sustentabilidade da última prova tendo um impacto significativo e duradouro”, disse Johan Salén, diretor administrativo da The Ocean Race.

Stopovers brasileiras

1973-74 – Rio de Janeiro
1977-78 – Rio de Janeiro
1997-98 – São Sebastião
2001-02 – Rio de Janeiro
2005-06 – Rio de Janeiro
2008-09 – Rio de Janeiro
2011-12 – Itajaí
2014-15 – Itajaí
2017-18 – Itajaí
2021-22 – Itajaí

Velejadores
*campeão

Horácio Carabelli
“2005-06 Brasil 1
2008-09 Ericsson 4*

Kiko Pellicano
2005-06 Brasil 1

Fernando Peres
1981-82 La Barca Laboratorio

Joca Signorini
2005-06 Brasil 1
2008-09 Ericsson 4*
2011-12 Team Telefónica

Marcelo Ferreira
2005-06 Brasil 1

André ‘Bochecha’ Fonseca
2005-06 Brasil 1
2008-09 Delta Lloyd
2014-15 MAPFRE

Torben Grael
1997-98 Innovation Kvaerner
2005-06 Brasil 1
2008-09 Ericsson 4*

Lucas Brun
2005-06 ABN AMRO TWO

Martine Grael
2017-18 team AkzoNobel

Barco
2005-06 – Brasil 1 (comandado por Torben Grael)
Terceiro lugar

Resultados em Itajaí

In-port races
2012 – Groupama 5
2015 – Team Brunel
2018 – MAPFRE

Vencedores de etapa
2012 – Puma
2015 – Abu Dhabi Ocean Racing
2018 – Team Brunel

Etapa anterior
2012 – Auckland (New Zealand)
2015 – Auckland (New Zealand)
2018 – Auckland (New Zealand)

Etapa seguinte
2012 – Miami (USA)
2015 – New Port (USA)
2018 – New Port (USA)

Velejadores brasileiros competindo em Itajaí
2012 – Joca Signorini (Telefonica)
2015 – André Fonseca (MAPFRE)
2018 – Martine Grael (team AkzoNobel)

Gosto D’água conclui a Refeno 2019

15/10/2019 09:38

”Gosto d’água cruzando a linha de chegada as 8:23 min. Levamos 43h 52min”

Assim Cláudio Coppello confirmava no grupo do WhatsApp  da vela sua chegada em Fernando de Noronha após concluir a Refeno 2019.

O veleiro foi o 61º a concluir a prova, umas das mais tradicionais regatas do Brasil.

A 31ª Regata Internacional Recife-Fernando de Noronha atracou no Porto de Santo Antônio.

O Patoruzú foi o Fita-Azul (primeiro a chegar) com 27h45min35s de travessia que saiu da capital pernambucana.

Quase 100 veleiros participaram neste ano.

Tempo de travessia da 31º Refeno
1º Patoruzú 27:45:35
2º Atrevida 29:52:32
3º Sagma 30:06:02
4º Algo+ 31:18:22
5º Tedesco 31:32:20
6º Boto V 32:22:17
7º Ukiukiu Nui 32:54:17
8º Ventaneiro 3 33:18:15
9º Zenith 33:22:49
10º Recreio X 33:31:32
11º Papa Léguas Sailing 34:02:32
12º Marujo’s 34:09:30
13º Kaze 34:33:47
14º Maná 35:13:26
15º Sara Kali 2 35:14:28
16º Suzy Dear 35:26:01
17º Invocado 36:09:56
18º Bolero II 36:41:00
19º Zen 36:43:49
20º Flashback IV 36:46:39
21º Aventureiro 3 36:48:22
22º Ventania 37:03:57
23º Lamin 37:25:02
24º Guruçá Cat 37:36:55
25º Skua II 37:49:20
26º Avatar 38:47:32
27º Asolo 38:57:48
28º Gentileza 39:37:03
29º Mohabon 39:51:03
30º A Travessia 40:32:54
31º Kamaiurá 40:34:23
32º Charada 40:36:58
33º Galego 40:37:37
34º Zagaia 40:58:37
35º Kabuletê 41:01:06
36º Yakare 41:08:17
37º Vendetta 41:16:12
38º Panda 41:18:30
39º Endurance 41:32:39
40º Tranquilidade 41:38:27
41º Labadee 41:42:32
42º Avenir 41:44:49
43º Jahú 42:00:47
44º Strega 42:02:00
45º Barba Negra V 42:02:14
46º Chegado V 42:07:36
47º Papangu 42:08:10
48º Lavienrose I 42:24:10
49º Guga Buy 42:28:08
50º Vorai 42:29:37
51º Alísios 42:37:46
52º Ideiafix 42:44:44
53º Nemos 42:50:48
54º Spray 42:56:21
55º Pappi 42:58:26
56º Sem Fim 43:03:05
57º Denise III 43:35:38
58º Tana 43:37:06
59º Viralata II 43:38:56
60º Tutatis 43:47:54
61º Gosto D’agua II 43:52:38
62º Carapeba 44:02:50
63º Matajusi 44:11:40
64º Mare Nostrvm 44:28:14
65º De Boa 44:31:41
66º Risco Zero 44:49:09
67º Beijupira III 44:49:46
68º Planckton 44:52:05
69º Coração de Leão I 44:52:56
70º Take Five 45:09:45
71º Toro 45:14:27
72º Maracatu 45:31:10
73º Equador II 45:32:01
74º Tucannus II 45:45:33
75º Jolupa 45:58:31
76º AAVentura II 46:05:24
77º Alquimia II 46:08:39
78º Mahalo Nui Loa 46:09:03
79º Entre Pólos 46:46:12
80º Free Wind 47:16:43
81º Prosperus 47:24:40
82º Pangeia 47:29:13
83º Fox 47:33:17
84º Asa Branca I 47:38:11
85º Serenata 1 48:32:22
86º Arribasaia 48:35:56
87º Brother Rafa 49:36:29
88º Wisdom 55:51:10
89º Caboges 55:56:06

Pré-Temporada da Formula E em Valência

O leitor do DIARINHO já está cada vez mais familiarizado com os esportes sustentáveis, como a vela!

Também, são três edições da Volvo Ocean Race no currículo.

No mundo, eventos esportivos que não poluem ganham cada vez mais atenção e importância.

A Formula E, mais conhecida como f1 dos carros elétricos, é um deles!!!!

O Brasil mais uma vez é representado por Felipe Massa (foto) e Lucas di Grassi.

Eu escrevo essa coluna desde Valência, onde ocorrem os testes.

Felipe Massa (BRA), Venturi, EQ Silver Arrow 01

Abaixo o que mandei pra agência On Board Sports  — https://onboardsports.net/testes-formula-e-2019/

Os testes da temporada seis da ABB Formula E começaram nesta terça-feira (15), em Valência, na Espanha.

Os brasileiros Felipe Massa (Venturi Team) e Lucas Di Grassi (Audi Sport ABT Schaefler) participam dos treinos no Circuito Ricardo Tormo até sexta-feira (18).

Os pilotos e suas equipes terão ao todo cinco sessões na pista valenciana para fazer os últimos ajustes para o início do mundial dos carros elétricos, marcado para novembro, na Arábia Saudita.

A competição está com o grid completo, pois contará pela primeira vez com 12 times com dois representantes cada.

Para imitar os circuitos de rua, a pista do circuito espanhol passou por modificações com a inclusão de chicanes apertadas para desafiar os competidores da Fórmula E.

O melhor da primeira sessão, na manhã desta terça-feira, foi o alemão Max Guenther. Lucas di Grassi fez o sexto melhor tempo e Felipe Massa o 18º.

A temporada 2019-2020 será realizada em 12 cidades.

Os primeiros E-Prix serão em 22 e 23 de novembro de 2019, em Ad Diriyah, na Arábia Saudita.

Na sequência, a Formula E visita Santiago (Chile), Cidade do México (México), Marrakesh (Marrocos), Sanya (China), Roma (Itália), Paris (França), Seul (Coréia do Sul), Jacarta (Indonésia), Berlim (Alemanha) e Nova Iorque (EUA).

A tradicional rodada dupla de fim de temporada será em 25 e 26 de julho, em Londres (Inglaterra).

Live Update dos testes https://www.fiaformulae.com/en/championship/valencia-test

 

Boxe brasileiro ganhando força com talentos e fortes parceiros

14/10/2019 10:11

As lutas principais do Boxing For You terão transmissão ao vivo da TV Bandeirantes, que volta a transmitir o boxe em sinal aberto depois de décadas.

O evento, que será na Arena de Lutas, já conta com patrocinadores de ponta como a Netshoes, Paris Filmes e a Strong.

O Boxing For You conquistou seu espaço no mercado ao longo dos anos, atraindo os melhores lutadores do País e interesse da mídia. Somando os dois evento, foram mais de dez horas de transmissão pelas principais emissoras de TV e mais de 200 veículos de todos os meios em todo o Brasil.

”Isso mostra que a paixão pelo boxe está viva. O que realmente faltava era evento e conteúdo de qualidade que valorizasse o esporte e os esportistas brasileiros”, explicou Sergio Batarelli, CEO do Boxing For You.

A sétima edição do Boxing For You será realizada na próxima sexta-feira (18), em São Paulo (SP).

A noite de lutas terá ao todo seis combates, incluindo a disputa do título mundial silver do Conselho Mundial de Boxe entre a brasileira Adriana Araújo e a argentina Claudia Lopez.

Eventos de sucesso

Será a terceira noite de lutas chancelas pelo Boxing For You em 2019. A primeira ocorreu em março, no Portobello Safari & Resort, em Mangaratiba (RJ). Os três últimos medalhistas olímpicos da nobre arte – Robson Conceição, Esquiva Falcão e Adriana Araújo – estiveram em ação.

Em agosto, Adriana Araújo voltou ao ringue para levar pra casa o cinturão latino-americano da sua categoria.

”O boxe brasileiro ressurgiu por meio de um trabalho estruturado do BSM Group, que incluiu muita pesquisa de mercado e escolha dos melhores profissionais para montar o show. A plataforma de entretenimento repete mais uma vez o apoio da Netshoes e da Paris Filmes, gigantes em seus seguimentos”, disse Reginaldo Ferrante, CMO do Boxing For You.

”A recente entrada da Strong como fornecedora de luvas e materiais esportivos mostra o aumento do interesse de marcas de prestígio no mercado”.

Gigante do e-comerce, a Netshoes está envolvida diretamente com o boxe desde 2014, quando decidiu apostar na carreira profissional de Esquiva Falcão, medalhista olímpico. A marca coloca sua logomarca e está envolvida em todos os processos de produção e realização da noite de luta desde a primeira edição.

”A Netshoes acreditou na nossa ideia desde o começo sendo pioneira no ressurgimento do boxe no brasil através de uma relação de confiança entre as empresas e a sua diretoria”, disse Sandi Adamiu, sócio da BSM Group.

Mangaratiba-RJ 31/10/2019 – Boxing For You, quinta edição. Pela categoria super-penas. Roger Guterres venceu Benito Neto. Foto: Mario Palhares/Boxing For You

As lutas

A luta principal vale o título silver do CMB na categoria super-leves (até 63,5kg) entre Adriana Araújo (4-0) e Claudia Andrea Lopez (25-10). O combate terá 10 rounds. A medalhista olímpica vem de vitória no Boxing For You.

Em agosto deste ano, Adriana Araújo tornou-se campeã latina do Conselho Mundial de Boxe ao superar a argentina Yamila Abellaneda por decisão unânime. Os três juízes deram para a medalhista olímpica, após dez rounds, os placares de 99 a 91.

”Minha carreira no boxe começou com a transmissão do Verão Vivo por Luciano do Valle no início dos anos 2000. Fico feliz por fazer a luta principal num evento transmitido ao vivo para todo País e poder trazer o cinturão mundial silver pra casa. Isso mostra o ressurgimento do boxe”, contou Adriana Araújo, bronze em Londres 2012.

A preliminar do cinturão mundial no Boxing For You será entre os pesos-pesados Igor Adiel (7-0) e Fernando Simões de Almeida (8-2). Igor Adiel é apontado por especialistas na nobre arte como promessa da divisão dos pesados, a mesma que coroou Adilson Maguila Rodrigues e Mike Tyson.

Outra luta do card será na divisão dos super-penas (até 58,967 Kg) no duelo entre Eduardo Costa Pará (3-1) e Peter Venancio Jr (5-0). Vitor Siqueira (4-1) enfrenta Walisson Henrique Fagundes (3-0) no médios-ligeiro (até 69,8 kg) fazem a segunda apresentação da noite. A luta que abre o Boxing For You será entre os leves (até 61,23 kg) Juscelino Pantoja (1-0) vs Dewis Junior (1-0).

Brasil faz dobradinha no pódio do Mundial de Snipe 2019

12/10/2019 21:14

O Mundial de Snipe 2019, disputado na Escola de Vela Lars Grael, em Ilhabela (SP), foi decidido na última regata.

Os brasileiros Henrique Haddad e Gustavo Nascimento foram campeões com apenas um ponto de vantagem para os compatriotas Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling.

Foi a 14ª conquista do Brasil no principal evento da classe em toda história.

A medalha de bronze ficou com os espanhóis Damian Borras e Jordi Triay. O campeonato reuniu 70 duplas de 11 países e teve ao todo nove regatas com descarte de dois piores resultados por barco.

O equilíbrio entre as duplas ficou até as provas finais, disputadas neste sábado (12). A comissão conseguiu fazer duas regatas, uma na Ponta das Canas e outra no Canal de São Sebastião.

Até o último instante era impossível dizer se Henrique Haddad e Gustavo Nascimento seriam os campeões, pois Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling estavam no pelotão intermediário na regata final.

”A ficha não caiu ainda. Sem palavras para descrever esse momento. Ganhamos por um ponto, nem sei ainda onde conseguimos essa vantagem”, disse Henrique Haddad, atleta que disputou a Olimpíada do Rio 2016 na classe 470.

”Somos apaixonados pelo que fazemos! A nossa ideia nas regatas era sempre a mesma”.

Os cariocas Henrique Haddad e Gustavo Nascimento somaram no Mundial de Snipe 34 pontos contra 35 de Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling, que sairiam vencedores se terminassem a prova nove em 12º.

”Formamos uma parceria rápida para correr o campeonato. Foi tudo muito intenso, ponto a ponto. Agradeço a todos que me proporcionaram essa experiência”, contou Gustavo Nascimento, que faz campanha olímpica de Laser.

Alexandre Paradeda ficou perto do bicampeonato na classe. O gaúcho, que mora e treina em Ilhabela (SP), era apontado como favorito e fez jus à previsão ao lado de Gabriel Kieling. Mesmo com o vice com quase nenhuma diferença, o campeão pan-americano e mundial parabenizou os cariocas.

”Foi brigado, mas foi muito justo em um campeonato com nove regatas e dois descartes. Eles fizeram uma média melhor”, completou Alexandre Paradeda, campeão mundial em Punta del Este 2001.

Troféus

O Isaack’s Trophy será entregue na noite deste sábado (12), na Marina porto Ilhabela aos campeões Henrique Haddad e Gustavo Nascimento. Os cariocas do Iate Clube do Rio de Janeiro entram no hall dos vencedores ao lado de lendas como Torben Grael, Lars Grael, Paul Elstrom e Santiago Lange.

O melhor proeiro da competição foi o atleta Gustavo Nascimento e a Snipe Class International Racing Association lhe concedeu o O’Leary Trophy.

A dupla vencedora da última regata disputada no Campeonato Mundial de Snipe foi Nicholas Grael e Fábio Horta. Os brasileiros ganharam o Eael Elms Perpetual Trophy.

Já a taça Bibi Juetz para a tripulação mista melhor colocada no mundial ficará com Brasil e EUA. Mateus Tavares e a companheira norte-americana Kathleen Tocke ficaram em sexto lugar no geral e levaram o prêmio.

”Estou muito feliz pelo prêmio. Nem esperava correr o campeonato e agradeço a Kathleen por me chamar. Competimos muito bem e terminamos bem entre os top 10”, comemorou Matheus Tavares, ganhador do mundial em 2015.

O Troféu Vieri Lasinio Di Castelvero de campeão mundial júnior ficou na semana passada com os brasileiros Gustavo Abdulklesh e Leonardo Motta. As regatas para atletas com até 22 anos foi disputada de 2 a 5 de outubro.

Resultados finais

1 – BRA – Henrique Haddad / Gustavo Nascimento – 34 pontos

2 – BRA – Alexandre Paradeda / Gabriel Kieling – 35 pontos

3 – ESP – Damian Camps / Jordi Triay – 40 pontos

4 – BRA – Mario Jesus / Gabriel Borges – 49 pontos

5 – ARG – Luis Soubie / Diego Lipszyc – 64 pontos

6 – BRA – Mateus Tavares / Kathleen Tocke – 75 pontos

7 – ESP – Gustavo Del Castillo / Rafael Del Castillo – 77 pontos

8 – BRA – Felipe Rondina / João Oliveira – 84 pontos

9 – BRA – Alexandre Tinoco / Matheus Gonçalves – 89 pontos

10 – BRA – Juliana Duque / Rafael Martins – 89 pontos

Regatas finais em Ilhabela (SP) do Mundial de Snipe 2019

11/10/2019 19:16

Decisão do principal campeonato da modalidade será neste sábado (12), em Ilhabela (SP). Os campeões do Mundial de Snipe 2019 serão conhecidos neste sábado (12), em Ilhabela (SP), com a realização das últimas duas regatas da competição.

VEJA RESULTADOS COMPLETOS

O equilíbrio pode ser notado na tabela de classificação com pelo menos dez barcos com chances reais de título. O evento conta com 70 equipes de 11 países.

Os espanhóis Damian Borras Camps e Jordi Triay assumiram a liderança provisória do Mundial de Snipe com 38 pontos após as provas desta sexta-feira (11).

2019 Snipe Worlds
© Matias Capizzano / SCIRA

Os vice-líderes são os brasileiros Henrique Haddad e Gustavo Nascimento, com 39. Os barcos que estão atrás seguem na briga pelo título, pois em caso de nove regatas completas, cada time pode descartar os dois piores resultados.

”O campeonato está muito equilibrado e nossa estratégia, por também não conhecer muito a raia, é ficar no meio. Isso tem dado certo e estamos contentes por estar em primeiro lugar em um evento tão difícil”, contou o espanhol Damian Borras Camps.

Das duplas com possibilidades reais de ficar com o Isaack’s Trophy, seis são brasileiras, duas espanholas, uma argentina e outra uruguaia.

As regatas finais do Mundial de Snipe 2019 serão disputadas neste sábado, a partir de 11h.

”Fica tudo pra amanhã! Temos que curtir esse momento de chegar no último dia com chances. Não está morto quem peleia”, disse Gustavo Nascimento, que faz dupla com Henrique Haddad.

As regatas de sexta-feira mostraram que a decisão do campeonato será apertada. Na primeira do dia, realizada na Ponta das Canas, com 12 nós de vento leste, a equipe local, formada por Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling venceu. Os espanhóis Damian Borras Camps e Jordi Triay ficaram em segundo.

Campeão mundial em Punta del Este 2001, Alexandre Paradeda sabe que a dupla não pode mais errar, após ter dois resultados ruins nos primeiros dias. Mesmo assim, o velejador acredita que tudo está em aberto. ”Estamos pendurados e nada vai mudar. Não podemos mais errar! Precisamos largar bem e conseguir bons resultados. Está tudo muito parelho”.

Na segunda regata do dia, Juninho de Jesus e Gabriel Borges sobraram e confirmaram o terceiro lugar na classificação geral.

”Nosso plano era ir para água e tirar pontos do primeiro colocado. A gente conseguiu e fica tudo para amanhã, não tem nada certo e vamos pra cima”, completou Gabriel Borges, campeão mundial em 2011.

”Amanhã tem uma previsão complicada, mas temos a missão de ganhar o campeonato. E quem quer ser campeão mundial tem que velejar com qualquer condição”.

 

Boxe volta para a TV Aberta

Temos novidade na TV depois de um longo e tenebroso inverno!

O Boxing For You 7 será disputado na sexta-feira (18), na Arena de Lutas, em São Paulo (SP), com transmissão na TV – aberta com exclusividade pela Band.

A emissora exibirá para todo País as lutas principais do card, com destaque da medalhista olímpica Adriana Araújo, que disputará o título mundial silver do Conselho Mundial de Boxe contra a argentina Claudia Andrea Lopez.

O co-main event da noite terá como protagonista o peso-pesado Igor Adiel, que colocará sua invencibilidade e sequência de nocautes em jogo contra Fernando de Almeida. Igor é uma das principais revelações do boxe nacional tem 7 lutas, como profissional, com 7 vitórias por nocaute.

O Boxing For You programou ao todo sete combates. O BSM Group, empresa que gerencia e promove as lutas do Boxing For You, fez o acordo com a o Grupo Bandeirantes de Televisão nos últimos dias.

O objetivo é que a emissora construa uma grade com pelo menos uma noite de lutas por mês do Boxing For You.

”É um momento histórico para o boxe brasileiro depois de décadas longe da TV aberta! Foi um trabalho árduo que nossa equipe multidisciplinar fez nos últimos anos em prol da nobre arte. Investidores acreditaram na minha visão, principalmente Sandi Adamiu e Marcio Fraccaroli da Paris Filmes. Mudamos os rumos do boxe brasileiro”, disse Sergio Batarelli, CEO do Boxing For You.

A partir de 2020, o Boxing For You terá pelo menos uma noite de lutas transmitida na TV Bandeirantes por mês. ”O Grupo Bandeirantes, na pessoa do José Emílio Ambrósio, acreditou no projeto. É um momento de muita alegria, mas com bastante trabalho e responsabilidade”.

O canal BandSports, do Grupo Bandeirantes, fará a transmissão de todos os combates da noite a partir de 21h30. O duelo valendo o título mundial será na madrugada, a partir de 0h30.

A pesagem do evento ocorre na quinta-feira (17), véspera dos combates do Boxing For You 7. A Arena de Lutas fica na Rua Conselheiro Brotero, nº 330, no bairro da Barra Funda, em São Paulo (SP).

Saiba mais sobre as lutas — https://onboardsports.net/boxing-for-you-7/

 

Brasileiros pegam a liderança do Mundial de Snipe 2019

10/10/2019 19:56

Como dizem os especialistas em vela, o Mundial de Snipe 2019 começou agora! A competição internacional, que reúne 11 países na Escola de Vela Lars Grael, em Ilhabela (SP), já passou da metade e os candidatos ao título já começam a surgir.

Nesta quinta-feira (10), o vento enfim deu as caras – batendo em rajadas de até 20 nós – e três regatas foram realizadas na Ponta das Canas, ao norte da ilha. Os brasileiros aproveitaram as condições clássicas da região e venceram todas.

A primeira prova do dia foi vencida por Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling, atuais campeões nacionais. Mas depois só deu a dupla Henrique Haddad e Gustavo Nascimento, com duas vitórias em três regatas! Os velejadores do Iate Clube de Rio de Janeiro assumiram a liderança da classificação geral com 27 pontos.

”Ainda faltam quatro regatas e tem muito campeonato pela frente, mas estamos confiantes, velejando super bem e entrosados a cada prova. Com mais vento fica bom pra gente”, disse Henrique Haddad.

Líderes do início das regatas de quinta-feira, os argentinos Luís Soubie e Diego Lipszyc caíram para terceiro lugar com 49 pontos com resultados ruins. Os brasileiros Juninho de Jesus e Gabriel Borges estão em segundo lugar na tabela com 46 pontos.

Os números devem mudar a partir de sexta-feira (11) com a entrada do primeiro descarte do pior resultado. O campeonato em Ilhabela (SP) pode ter no máximo nove regatas e dois descartes. A comissão deve fazer mais três provas amanhã.

As regatas

A organização do Mundial de Snipe 2019 teve a missão de aproveitar as condições de quinta-feira (10), que foram totalmente diferentes dos dias anteriores que tiveram pouco vento. O cronograma estava atrasado e por isso, logo às 11h, os barcos já estavam prontos para a largada na Ponta das Canas. As rajadas aumentaram constantemente, começando em 8 nós e terminando em quase 20 no fim da tarde.

Na primeira regata do dia, os brasileiros entraram para reverter a desvantagem no campeonato, que tinha os argentinos Luís Soubie e Diego Lipszyc na ponta. Mas nada como um dia após o outro. A flotilha verde-e-amarela mostrou conhecimento da raia e fez um mini-campeonato nacional, com alguns ‘intrusos’ estrangeiros no meio.

Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling, considerados um dos favoritos ao título, dominaram a prova número três do campeonato. Com mais vento, tudo mudou, como explicou Alexandre Paradeda. ”Nossa dupla está mais pesada, o que é ruim para o vento mais fraco”.

”Conseguimos largar bem ao contrário das outras regatas. O barco estava rápido e dali a gente não saiu mais. Agora tem mais campeonato e vamos estar no final brigando”, completou Gabriel Kieling.

Nas regatas seguintes, Henrique Haddad e Gustavo Nascimento sobraram. Na prova de número quatro, a segunda do dia, os velejadores ganharam após ultrapassar, na última boia, Juninho de Jesus e Gabriel Borges.

Na prova seguinte, com ventos fortes e muito mar, a comissão fez um percurso em forma de triangulo. Mais uma vez deu Henrique Haddad e Gustavo Nascimento, ainda com mais vantagem para o resto da flotilha.

”A gente é bem rápido com mais vento. A primeira não largamos bem e nas outras conseguimos andar bem desde o início e saímos com a vitórias”, completou Henrique Haddad.

Os brasileiro Juninho de Jesus e Gabriel Borges também tiveram um bom desempenho nesta quinta-feira, tirando um oitavo, um segundo e um sétimo lugares. Agora estão em segundo na tabela aguardando a entrada do descarte.

”Hoje fizemos um dia bom e colamos no pessoal da frente. Queremos chegar no último dia pra ganhar o campeonato. Nossa tripulação se dá melhor no vento forte e constante, diferente do fraco e rondado dos dias anteriores. O conhecimento da região também fez a diferença”, explicou Juninho de Jesus, que é de Ilhabela.

 

Mais um barco confirmado na The Ocean Race

Bouwe Bekking fará nona campanha na Ocean RaceHolandês anuncia campanha para a edição 2021-22 a bordo do barco batizado de World Childhood Foundation

A regata de Volta ao Mundo The Ocean Race terá mais uma participação do holandês Bouwe Bekking, com experiência de oito edições da prova.

O novo projeto para a temporada 2021-22 será o World Childhood Foundation na classe VO65.

A equipe terá bandeira da Suécia e o holandês dividirá o protagonismo com Pelle Norberg e Gideon Messink.

O barco fará importantes eventos do calendário mundial já em 2019 para se preparar. As primeiras serão no Caribe e o nome da embarcação será VO65 Childhood I.

“Estamos orgulhosos de velejar sob a bandeira sueca representando as crianças na vela”, disse Pelle Norberg, ex-CEO da Team SEB na Volvo Ocean Race.

A World Childhood Foundation assinou um contrato de um ano com o projeto. “Através da infância, recebo uma plataforma na qual podemos criar comprometimento e renda para nossas fundações em um contexto totalmente novo. Estamos obtendo novas formas para alcançar ainda mais pessoas e tomadores de decisão”, comentou Paula Guillet de Monthoux, secretária geral da World Childhood Foundation.

A World Childhood Foundation é uma organização de direitos da criança que trabalha para impedir a violência e o abuso sexual na infância. A visão da entidade é garantir um ambiente seguro e saudável. Foi fundada em 1999 pela Rainha Silvia, da Suécia.

Mundial de Snipe 2019: EUA lideram competição

08/10/2019 17:04

O Mundial de Snipe 2019 começou nesta terça-feira (8) com 70 barcos de 11 países. A principal competição categoria é disputada na Escola de Vela Lars Grael, em Ilhabela (SP), e terá ao todo nove regatas com dois descartes.

2019 Snipe Worlds
© Matias Capizzano / SCIRA

A primeira foi disputada no Canal de São Sebastião, mais perto do continente, com média de 8 nós de vento soprando na direção sul.

O vencedor da única prova do dia foi o barco norte-americano formado por Asher Zittrer e Watt Duffy. A dupla ultrapassou os japoneses Naoki Inoue e Matasataka Kojima na última manobra e garantiu o resultado quase ao cruzar a linha de chegada. Logo atrás dos asiáticos, em terceiro, finalizaram os brasileiros Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewski.

”O segredo da vitória foi o Asher [Zittrer]. É um velejador que treina muito e faz parecer fácil as coisas. Mas não são fáceis. Nossa comunicação a bordo foi ótima”, contou Watt Duffy.

Com apenas 18 anos, Asher Zittrer é um dos velejadores mais novos da competição internacional em Ilhabela (SP). Perguntado sobre o que esperar das próximas regatas, o jovem atleta texano disse que é preciso ter sorte como a de hoje.

Os Estados Unidos contam com dez equipe em Ilhabela (SP) e, para melhorar o desempenho do grupo, a delegação contratou dois treinadores: o argentino Leandro Spina e o brasileiro Juan de la Fuente, que conhece bem a raia com anos de experiências em regatas locais.

”Tentamos ajudar com algumas informações da ilha. Deu certo e eles se saíram muito bem na regata de estreia”, explicou Juan de La Fuente.

Resultados completos em https://2019.snipeworlds.org/

Em número de barcos, Brasil lidera com 24 barcos inscritos! A Argentina vem logo atrás com 12, seguida por Espanha, Estados Unidos e Japão. Os melhores brasileiros na primeira regata do Mundial de snipe 2019 foram Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewski, com o terceiro lugar.

”Foi uma regata bem difícil. Essa condição de sul já é difícil com vento constante, quanto mais com intensidade fraca. É preciso estar preparado e contar também com a sorte”, contou Rafael Gagliotti.

O proeiro Henrique Wisniewski reforçou que a dupla soube tomar boas decisões na regata, andando bem principalmente no vento de popa. ”O primeiro passo é conseguir largar numa regata com tantos barcos, o que é difícil. Agora esperar ventos melhores para o decorrer do campeonato”.

A comissão de regatas deve fazer até três provas nesta quarta-feira (9), mas a previsão para o litoral norte de São Paulo é de chuva durante o dia.

Mundial Júnior

O Mundial Júnior de Snipe 2019 foi decidido na última das nove regatas em Ilhabela (SP) no sábado (5). Os cariocas Gustavo Abdulklesh e Leonardo Motta ficaram com a medalha de ouro superando em pontos os portugueses Mafalda Pires de Lima e Tomas Pires de Lima, que terminaram com a prata.

A terceira colocação do evento foi para os baianos Rafael Rizzato e Gerald Wicks, vencedores da última prova do calendário neste sábado (5).

O resultado de Gustavo Abdulklesh e Leonardo Motta mantém a tradição brasileira na versão juvenil do Mundial de Snipe. Foi a nona conquista nacional na competição.

Os primeiros campeões foram Torben Grael e Eduardo Mascarenhas, em Mission Bay, nos Estados Unidos, em 1978. A última edição também teve o Brasil no lugar mais alto do pódio com os gaúchos Tiago Brito e Antonio Rosa, em La Coruña 2017.

A competição para atletas com até 22 anos teve ao todo 15 duplas de cinco países e precedeu o Mundial Sênior.

Brasil tem tradição no Snipe

O País sediou outras quatro vezes o Mundial de Snipe. A primeira vez foi em 1959, em Porto Alegre (RS), com o título ficando para o dinamarquês Paul Elvstrøma, lenda da vela internacional com quatro ouros olímpicos.

Em 1971, no Rio de Janeiro (RJ), o primeiro lugar ficou com os norte-americanos Earl Elms e Craig Martin. Em 1993, a capital gaúcha Porto Alegre sediou novamente o Mundial de Snipe e o ouro ficou para os argentinos Santiago Lange (campeão olímpico na Rio 2016) e Mariano Parada.

Em 2013, os brasileiros Bruno Bethlem e Dante Bianchi ficaram com o título na edição do Rio de Janeiro (RJ). foi a única vez que uma dupla nacional ganhou a competição em casa.

No entanto, o Brasil tem ao todo 13 duplas campeãs mundiais de Snipe. A última conquista foi em 2015, na edição de Talamone, na Itália. A dupla Mateus Tavares e Gustavo Carvalho subiu no lugar mais alto do pódio.

Vale destacar que o primeiro título mundial da vela nacional foi na Snipe. Em 1961, em Rye, nos Estados Unidos, os irmãos Axel e Eric Schmidt foram campeões.

Veja a lista de campeões