Ídolo do Corinthians acredita em Timão forte para as próximas Libertadores

08/09/2020 19:39

Os especialistas ouvidos pela Betfair.net acreditam que Corinthians poderá ter um time competitivo para voltar a sonhar com a conquista da CONMEBOL Libertadores nas próximas temporadas após acordo de venda dos naming rights do estádio.

No dia 1º de setembro, data do aniversário de 110 anos, o clube anunciou a Neo Química como dona do nome da arena, localizada na zona leste de São Paulo (SP).

O acordo milionário de 20 anos é visto como divisor de águas na montagem do elenco, já que o Corinthians  sofreu desmanches seguidos e a reposição não foi à altura do time, que foi campeão invicto da competição sul-americana em 2012, ao bater o Boca Juniors (Argentina) na decisão.

A CONMEBOL Libertadores de 2012, mais precisamente o duelo histórico contra o  Vasco da Gama, no Pacaembu, em São Paulo (SP), foi tema do sexto episódio da série “Todo Resultado É Possível”, da Betfair.net.

A defesa milagrosa de Cássio e o gol salvador nos minutos finais do volante Paulinho foram destacados por Mauro Cézar e Chico Garcia no vídeo.

Reveja a história da defesa de Cássio e o gol do Paulinho — https://youtu.be/IkutcPxbDzE

”Com certeza tudo isso pode mudar na vida do Corinthians, pois os encargos e agora entrando essa grana, o clube vai poder bancar direitinho os funcionários, colocar tudo em dia onde foi criticado”, disse Ronaldo Soares Giovaneli, ídolo do Corinthians e comentarista esportivo.

O goleiro com 602 jogos pelo Corinthians espera que a Neo Química ajude a trazer bons nomes para o futebol.

”A empresa veio também para fazer uma parceria forte com contratações ano que vem, acho que é isso que todo torcedor está esperando.Também sobrar dinheiro é o que vale para poder pagar as contas”.

”Então essa parceria da Neo Química veio em uma hora espetacular, ainda mais em pandemia. Eu penso assim”, completou Ronaldo, que fez a apresentação do naming rights ao lado do ator Dan Stulbach.

E falando em CONMEBOL Libertadores, o Corinthians não teve sorte nos últimos anos, com quatro eliminações nas oitavas-de-final – Boca Juniors em 2013, Guaraní do Paraguai em 2015, Nacional do Uruguai em 2016 e Colo-Colo em 2018.

Em 2020, a equipe ficou na pré-Libertadores ao ser derrotada pelo gol qualificado diante do Guaraní do Paraguai.

”O Corinthians nos últimos anos tem enfrentado dificuldade até em competições nacionais, então fica difícil projetar com otimismo uma participação na Libertadores, como visto na rápida passagem do time pela atual edição do torneio”.

”Acho que primeiro é acertar casinha pensando em Brasileirão pra aí sim, no futuro, formar um bom elenco com potencial de título sul-americano. O acerto do naming rights sem dúvida ajuda, mas trará retorno ao futebol corintiano só quando o estádio for pago, então não pode ser tratado como solução a curto prazo, contou Lucas Faraldo, do Meu Timão.

Já o embaixador da Betfair.net Chico Garcia, o primeiro passo com os naming rights é tornar o clube sustentável, com maior capacidade de arrecadação e melhorar a saúde financeira.

”Pela marca que tem o Corinthians, obviamente os investimentos serão feitos para montar equipes competitivas em busca de mais uma Libertadores. Haverá um direcionamento melhor dos recursos e o futebol será o mais beneficiado”.

A série “Todo Resultado É Possível” fará os fãs recordarem oito momentos memoráveis da competição, em que o futebol quebrou prognósticos e mostrou por que é o esporte mais popular do mundo. 

A atração da estreia foi o título do Flamengo em 2019, com uma vitória incrível nos minutos finais sobre o River Plate por 2 a 1, em Lima.

Em seguida, os embaixadores recordaram o fim da “maldição” das oitavas do Grêmio na Libertadores, com o triunfo sobre o Godoy Cruz (ARG), em 2017, a vitória de virada do Internacional sobre o Chivas Guadalajara (MEX) por 3 a 2 na decisão de 2010, o golaço de Cleiton Xavier que salvou o Palmeiras em 2009, e o triunfo do Santos sobre o Colo-Colo na fase de grupos em 2011, que marcou uma reviravolta para a equipe de Muricy Ramalho no caminho até o tricampeonato.

Resultados finais do Ubatuba Sailing Festival 2020

Ubatuba Sailing Festival define os campeões no feriado de 7 de setembro.

Veja mais no texto de Edu Grigaitis.

Parecia que este último dia do Ubatuba Sailing Festival ia “passar em branco”. Vento quase zero por volta do meio-dia ameaçava antecipar a volta dos competidores que já aguardavam por mais de uma hora boiando nas águas tranquilas da costa de Ubatuba, mas…

Eis que um vento “quase sul” deu as caras por volta da uma hora da tarde e a comissão de regatas não tardou a colocar os competidores “para correr” em uma regata barla-sota curta, para não correr o risco de estragar o terceiro dia de excelentes regatas.

Com vento fraco, na casa dos 8 nós, mar tranquilo e tarde ensolarada, a última regata da competição ratificou a boa campanha de várias equipes que não tiveram dificuldade para levar para casa um dos belos troféus em homenagem ao veleiro Brasil 1.

Foi o caso do Ruda/Blue Seal, de Mario Martinez, que venceu todas as quatro regatas da classe IRC. Coroando um campeonato impecável foi o primeiro colocado mostrando um velejar com muita qualidade.

Em segundo, na classe, o King, de Fabio Faccio, que com três segundo lugares e um terceiro. Por fim, na terceira colocação, Avohai, de Lars Grael.

“Eu acho que o Ubatuba Sailing Festival, uma competição que começou pequena, é um evento que cada vez mais vem ganhando espaço na vela de oceano nacional e está gerando uma reputação muito positiva para o Ubatuba Iate Clube, que nos recebe sempre muito bem. É de fato um prazer estar aqui velejando com estas equipes”, comentou Lars Grael.

O vencedor da RGS A, Torben Grael, comandando o veleiro Lady Lou, destaca que a competição, “apesar de ter o nome festivo tem uma dificuldade no velejar, porque é um local de ventos normalmente fracos e uma área com ondas. Não é a toa que temos aqui a ilha do Mar Virado. A gente tem muitos barcos de cruzeiro, como o meu, e a receptividade do clube com os participantes torna o evento muito agradável”.

Torben e a equipe do Lady Lou conquistaram a primeira colocação vencendo todas as quatro regatas, mas, entre o segundo e o terceiro colocados da classe a regata de percurso longo fez a diferença na somatória final em favor do Zeus. A equipe chegou em terceiro nesta regata enquanto o o Kamua, de José L. Ortega, foi o quarto.

Esta melhor colocação garantiu ao Zeus o segundo lugar. A equipe somou 7 pontos, contra 8 do Kamua.

Na RGS B as coisas foram mais espaçadas. O Fugaz SP, de Fernando Filoni, foi o vencedor, com 6 pontos acumulados, contra 8 do Escapada, de Eloi J. C. Souza. Em terceiro, na classe, o Mahalo, de Raphael M. de Paula, com 12 pontos.

A Classe C 30, confirmando o equilíbrio que lhe é peculiar terminou com os dois competidores rigorosamente empatados. Tanto o Kaikias/Via Italia, de Eduardo Mangabeira, quanto o Caballo Loco, de Mauro Dottori, venceram duas regatas e, naturalmente, tiveram dois segundo-lugares.

A decisão ficou pelo critério de desempate. A primeira vitória da competição foi do Kaikias, o que lhe rendeu a primeira colocação geral.

Na classe Multicasco o Maré XX, de Benoit Joufflineau, com três vitórias nas três regatas realizadas, foi o campeão. Em segundo, o Reforça, de Armando Oliveira, com 7 pontos. Logo atrás, em terceiro, o Guará III, de Valdeci Gonçalves, com 8 pontos.

E, na Bico de Proa, o troféu de primeiro lugar ficou para o Vó Monik, de Sidnei F. Plácido, com 4 pontos acumulados. Somando 7 pontos em quatro regatas, o Raggae, de Fabio Boranga foi o segundo. Na terceira colocação da classe, o Marvin, de Josimar Nascimento, com 11 pontos.

Vale lembrar que os resultados das classes IRC e RGS são válidos também para o Campeonato Paulista, disputado em etapa única, aqui no Ubatuba Sailing Festival.

A tarde terminou com a premiação das equipes, no salão social do Ubatuba Iate Clube.

“O Ubatuba Sailing Festiva é uma regata muito importante para o nosso clube. Não foi fácil organizá-la, mas ao final do evento tenho a sensação de que todos saíram felizes. Tivemos regatas de nível técnico muito bom, espero que tenhamos conseguido contemplar e satisfazer todas as classes.

Eu queria aproveitar e convidar todos para participarem do Troféu das Ilhas, uma competição de regatas de percurso que realizaremos no feriado de 12 de outubro.

Muito obrigado a todos que participaram, aos nossos apoiadores, nossos colaboradores, equipe técnica e todos que nos ajudaram a tornar esta edição tão especial”, resume Alex Calabria, diretor adjunto de vela do Ubatuba Iate Clube.

A 11ª edição do Ubatuba Sailing Festival teve apoios da North Sails, Balaio de Ideias, Tintas International, Farol das Tintas, Postos Flutuantes Imola e Monaco, Farma Conde, VBros, Renew Boats, Telesmar, Secretaria de Esportes de Ubatuba, BRA-RGS, ABVO, e FEVESP.

 

Regata REFENO – Recife Noronha 2020 está oficialmente cancelada

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco informa que a edição 2020 da Regata Internacional Recife-Fernando de Noronha (Refeno) está cancelada. A decisão foi tomada pela maioria dos comandantes inscritos na 32ª Refeno, em votação através do site da regata.

Ressaltamos que, desde o anúncio da retomada das atividades, o Cabanga e a coordenação da Refeno planejaram uma competição segura para todos: tripulantes, staff e ilhéus.

Contudo, por conta do rigoroso protocolo imposto pela Administração da Ilha de Fernando de Noronha, a 32ª edição se tornou inviável.

Tal protocolo inviabiliza a realização da edição 2020 por haver redundância de quarentena para a prevenção da Covid-19, mesmo com os velejadores sendo testados no Recife na véspera da prova. Os inscritos já cumpririam 72 horas de quarentena no mar e iriam cumprir mais 48 horas de quarentena na ilha.

Com o cancelamento, os comandantes e velejadores inscritos poderão solicitar à Secretaria da Refeno (secretaria@refeno.com.br), a partir do dia 10 de setembro, a devolução integral do valor pago na inscrição 2020 ou a transferência para a edição 2021 da regata.

Aos barcos que já estão ancorados no Cabanga ou a caminho do Recife, o clube irá dar estadia de 30 dias gratuitamente. Casos especiais serão analisados pela coordenação.

O Cabanga ressalta que a decisão pelo cancelamento teve cunho democrático, com os comandantes de todos os barcos inscritos escolhendo entre duas opções: o cancelamento ou a realização da Refeno no modelo “bate-volta”, com toda a programação de eventos sendo realizada no Recife.

Texto: Cabanga Iate Clube