Tour de France 2020 é um dos mais equilibrados da história

01/09/2020 15:36

O Tour de France 2020 é apontado por especialistas como um dos mais equilibrados dos últimos tempos. A prova, que tradicionalmente é disputada em junho e julho, foi transferida pela A.S.O. para o período atual em função da pandemia de COVID-19.

O evento adota medidas de segurança contra o coronavírus, mudando inclusive a cerimônia de premiação aos vencedores de cada etapa, sem as podium girls.

A largada da principal prova de ciclismo do planeta ocorreu na cidade costeira de Nice, no Riviera Francesa, neste sábado (29/08), em uma etapa com muita chuva e repleta de tombos. Participante brasileiro de cinco olimpíadas e de três edições do Tour de France, Murilo Fisher espera uma competição equilibrada do começo ao fim na França.

”É um tour completamente diferente dos outros pelo nível de preparação. Foi difícil ter a certeza do que ia acontecer nesta edição após um período sem competição de ciclismo grande”, disse Murilo Fisher, que está acompanhando o Tour de France de perto nesta edição e é um dos parceiros do L’Étape Brasil.

”Os atletas estão como uma carcaça diferente, como dizemos no ciclismo. Mas o nível é muito alto, podemos apontar 15 novos competidores que estão bem perto”.

Link para os resultados em tempo real — https://www.letour.fr/en/rankings

A tradicional chegada do Tour de France permanece na Avenida Champs-Élysées, em Paris, desta vez em 20 de setembro. Serão ao todo 3.470km em 21 etapas. O evento conta com representantes de 45 países divididos em 22 times de oito ciclistas.

A competição dará €500.000 para o vencedor. No ano passado, o colombiano Egan Bernal se tornou o primeiro sul-americano a subir no lugar mais alto do pódio. O ciclista está entre os favoritos de 2020.

O Tour de France também terá quatro finais de etapas em topo de montanha: Orcières-Merlette (1.825m), Puy Mary (1.589m), Grand Colombier (1.501m) e Méribel Col de la Loze (2.304m). Estão programados 36 km de contra-relógio individual na 20ª etapa em 18 de julho de Lure até La Planche des Belles Filles. O estágio mais curto tem 122km.

”É a principal prova de ciclismo do mundo e isso já era garantia de muita atenção. Desta vez, o Tour de France ganha ainda mais notoriedade por ser, ao lado da Champions League, no futebol, um evento classe A sendo realizado durante a pandemia. Assim como os franceses, nós do L’Étape Brasil vamos adotar medidas rígidas de segurança em dezembro”, disse Bruno Prada, medalhista olímpico e organizador da prova brasileira chancelada pelo Tour de France.

L’Étape Brasil

A principal competição da modalidade no País, que se prepara para sua sexta edição em 6 de dezembro, adotará regras rígidas de segurança nos percursos oficiais de 107 e 66 km em Campos do Jordão (SP).

Em 2019, a prova teve pela primeira vez a presença do alemão Didi Senft, mais conhecido como o Diabo do Tour ou Didi, the Devil. O animador que se veste de demônio nas etapas do Tour de France esteve na cidade paulista apoiando os ciclistas.

Grandes nomes do esporte, como o treinador Bernardinho Rezende, o campeão olímpico Nalbert e o piloto Ricardo Maurício da Stock Car, participaram do Tour de France. As principais assessorias esportivas do País também mandaram seus representantes.

O título de 2019 do L’Étape Brasil ficou mais uma vez com o ciclista Otávio Bulgarelli, com a marca de 3h07min02s20. O resultado foi definido praticamente no photo-finish, na disputa com Ricardo Pichetta, segundo colocado, colado na linha de chegada.

No feminino, a alemã Nadine Gill não deu chances às adversárias e completou o percurso de 107 quilômetros em 3h15min36, com mais de 15 minutos na frente segunda colocada (Taise Benato). A ciclista amadora também foi bicampeã consecutiva da prova.

 

Autor: Flávio Perez

Flávio Perez é jornalista esportivo e gestor de esportes.

Compartilhe: