Boxing For You ajuda Adriana Araújo a realizar sonho mundial

30/09/2020 11:16

O Brasil pode fazer história novamente no boxe em 4 de outubro, data em que a medalhista olímpica Adriana Araújo disputará o título mundial do WBC – Conselho Mundial de Boxe das super-leves contra a britânica Chantelle Cameron, em Londres, na Inglaterra.

A oportunidade foi construída e planejada pelo Boxing For You, plataforma de lutas em que a baiana fez todas as suas seis apresentações na carreira profissional.

A invicta Adriana Araújo está desde o fim de semana passado na capital londrina com o treinador Luiz Dórea e o manager e CEO do B4Y, Sergio Batarelli, um dos principais responsáveis pelo sucesso do Boxing For You.

O duelo será transmitido pelo plataforma DAZN e o Boxing For You faz atualizações diárias do dia-a-dia de treinamento da baiana Adriana Araújo.

”Tudo isso, até agora, só foi possível graças ao apoio dos nossos parceiros e através de um planejamento muito bem-feito e executado por mim e por toda a equipe do BSM Group”.

”As pessoas que estão de fora as vezes pensam uma coisa, mas, na verdade, o que se passa, é outra. Estamos adiantados nisso, tudo o que fazemos está planejado há muito tempo, não é nada sem propósito”, explicou Sergio Batarelli.

Nascido em 2017, o evento se tornou, rapidamente, a maior noite de lutas da nobre arte brasileira, e em sua segunda fase, iniciada em 2019, a principal da América Latina.

Idealizado por Sergio Batarelli, nome tarimbado no meio internacional de lutas, a empreitada consistia em tornar um evento com grande produção, transmissão na TV e boas lutas, em algo viável financeiramente ao ponto das carreiras dos atletas contratados pelo BSM Group (promotora do show) conseguirem ser feitas em solo brasileiro, de forma consistente, antes destes lutadores serem jogados aos lobos lá fora.

‘Essa demanda surgiu na nobre arte por aqui pois o Brasil assistiu, durante anos, uma safra de talentos sendo desperdiçada quando estes tinham que aceitar lutas no exterior sem o devido preparo já que quase não tinham a oportunidade de combaterem em solo nacional a contento e viajarem mais maduros.

”A construção de uma carreira no boxe é algo bem complexo, nada simples. Eu estive em Las Vegas e aprendi com a Top Rank o jeito deles de fazer. Mas a parte difícil não era nem essa, era conseguir fazer isso no Brasil, com o cenário que tínhamos”, disse Sergio Batarelli.

”Os lutadores só somavam vitórias, sem subir de nível, as vezes repetiam os adversários várias vezes, só para fazer cartel. Isso trazia dois problemas: Os eventos ficavam ruins e não agradavam ao público, e o atleta, quando lutava lá fora, não tinha chance contra ninguém por ter que pular de um nível baixo pra um muito alto sem se preparar”, completou.

O ideal, segundo Sergio, era que o evento conquistasse a TV, para atrair patrocinadores, tornando viável o seguimento dos atletas, sem se exporem fora do país da forma como vinha acontecendo. Aos poucos o Boxing For You conseguiu isso.

”Primeiro começamos na BandSports, depois o SporTV quis vir junto. Chegamos ao ponto de termos cinco televisões transmitindo um evento nosso ao mesmo tempo, algo inédito no Brasil. O B4Y foi o primeiro acontecimento esportivo da América Latina transmitido pela DAZN, em streaming. Voltamos com o boxe para a TV aberta na BAND e na Rede Brasil. E hoje temos contrato de exclusividade com a Fox Sports, do grupo Disney”.

Isso, inevitavelmente, chamou a atenção do mercado de publicidade, o que atraiu o apoio de empresas como o Grupo Paris Filmes e a Netshoes, que hoje são patrocinadores fixos.

Adriana Araújo e o sonho do mundial

Na terceira edição do evento, Adriana Araujo fez sua estreia no boxe profissional. A medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, primeira olimpíada em que as mulheres puderam competir na modalidade, de lá para cá, atuou sempre sob a tutela do BSM Group.

Depois do hiato de 2018, Adriana foi chamada para retornar aos ringues junto com o Boxing For You e assinou contrato de promoção com a empresa.

”A Adriana estava parada, sem perspectiva. Liguei pra ela a pedido do Sergio (Batarelli) e perguntei ‘tá a fim de voltar?’ ela prontamente respondeu que sim. Á partir daí planejamos a carreira dela como nossa lutadora, e já cumprimos o primeiro objetivo”, disse Daniel Leal, matchmaker do Boxing For You.

Este ‘primeiro objetivo’ seria a disputa pelo título mundial que acontecerá no próximo dia 4 de Outubro, na Inglaterra.

O convite veio depois de Adriana passar a ocupar a terceira posição do ranking do Conselho Mundial de Boxe (CMB), lutando somente no Brasil, inclusive por títulos internacionais e contra oponentes estrangeiras de bom recorde.

”O Batarelli tem uma rede de contatos muito forte lá fora, eu e ele conversamos, analisei os rankings e passei pra ele o melhor caminho para o cinturão mundial das super-leves, que era pelo CMB, no caso, então ele foi atrás de conseguir o que precisávamos pra viabilizar isso”.

”Primeiro fizemos o título latino, depois o ‘Bata’ conseguiu a autorização para o mundial Silver e fui escolhendo as lutadoras que a Adriana precisava para cada degrau. Nós já tínhamos esses nomes em mente antes mesmo da primeira luta de 2019 (em Mangaratiba, quando venceu novamente Elaine Albuquerque, por nocaute) e a gente sabia que assim íamos deixar ela na ‘cara do gol’ e foi isso mesmo o que aconteceu.” completou Daniel Leal.

Foram necessários somente seis lutas para se cumprir esta meta. Adriana venceu todas. Se vencer sua próxima oponente, a inglesa e dona da casa Chantelle Cameron, que também está invicta, ela se tornará apenas a segunda mulher no país a conseguir um dos quatro grandes cinturões mundiais. Mais do que isso, seria a primeira a sagrar-se campeã pelo Conselho Mundial.

”O problema do Brasil era esse, fazia-se eventos de boxe pensando no hoje, não no amanhã. Nós mudamos isso e os resultados estão começando a chegar e virão muitos mais, começando pelo título mundial da Adriana, que eu tenho certeza que virá!”, finalizou Sergio Batarelli.

A luta entre Adriana Araujo e Chantelle Cameron poderá ser acompanhada no Brasil, ao vivo, pelos assinantes da plataforma de streaming DAZN, no domingo, dia 4 de outubro.

Para quem ainda não possui o serviço, pode experimentar, de forma gratuita, por um mês, ao realizar o cadastro.

A história de sucesso do B4Y

Em 2019, o Boxing For You promoveu três noites de luta, reunindo os melhores atletas da nobre arte. Já em 2020 foram duas edições, incluindo uma com portões fechados e 100% dos envolvidos testados pelo HCA.

O evento inovou ao trazer os últimos três medalhistas olímpicos brasileiros para o mesmo card, ou seja, colocou Adriana Araújo, Esquiva Falcão e Robson Conceição em ação na cidade de Mangaratiba (RJ).

Ao todo cinco emissoras de TV transmitiram as lutas, algo sem precedentes na história do boxe brasileiro.

As outras duas edições ocorreram em São Paulo (SP), na Arena de Lutas, e tiveram como protagonista a baiana Adriana Araújo, campeã mundial silver no Boxing For You.

Além do esporte, o B4Y oferece aos patrocinadores uma plataforma completa, que vai desde a experiência de marca nos eventos, passando por uso de imagem de atletas, conteúdo integrado nos canais próprios e transmissão na TV aberta, PayTV, streaming e redes sociais, com formatos inéditos e exclusivos.

Já foram realizadas outras edições do Boxing For You em São Paulo (SP), Sorocaba (SP) e Mangaratiba (RJ).

Esquiva Falcão confirma luta no dia do seu aniversário em 12 de dezembro

29/09/2020 12:50

O boxeador Esquiva Falcão confirmou por meio das suas redes sociais que fará uma luta nos Estados Unidos, no dia 12 de dezembro deste ano, justamente na data em que completa 31 anos de idade.

O medalhista olímpico está invicto na carreira profissional, com 27 vitórias em 27 lutas, sendo 19 por nocautes.

O adversário do pugilista capixaba ainda não foi definido pela Top Rank e pelo manager Sergio Batarelli, mas o combate será nos Estados Unidos. Esquiva Falcão deve regressar a Riverside, na Califórnia, nos próximos dias para fazer o camp de treinamento supervisionado por Robert Garcia. Sua última apresentação foi em 29 de agosto, quando derrotou no primeiro round o paraense Morramad Araújo no Boxing For You 9, disputado em São Paulo (SP).

O objetivo do medalhista olímpico de Londres 2012 é conquistar o título mundial na próxima temporada. Atualmente, Esquiva Falcão ocupa a terceiro colocação do ranking mundial dos pesos médios (até 72,575 quilos) da Federação Internacional de Boxe (FIB), sexto no Conselho Mundial de Boxe (CMB), sétimo na Organização Mundial de Boxe (OMB) e 13º na Associação Mundial de Boxe (AMB).

”Fiquei feliz com a notícia da luta em dezembro, e ainda mais no meu aniversário. Meu presente será mais uma vitória por nocaute. Fico contente também por a Top Rank ouvir meus pedidos por um combate forte ainda este ano. Não tem mais tempo a perder, agora é rumo ao topo”, disse o brasileiro, que atualmente treina em Vila Velha (ES).

Esquiva Falcão agora aguarda a volta de Sergio Batarelli de Londres, na Inglaterra, para definir o planejamento completo. O manager do boxeador capixaba acompanha a colega de Esquiva Falcão Adriana Araújo, que lutará no sábado em busca do cinturão mundial das super-leves.

”Nossa torcida no dia 4 de outubro será pela minha amiga Adriana Araújo. Certamente ela trará o cinturão do mundo linear para o Brasil. Vivemos um momento especial no boxe brasileiro e fico honrado de fazer parte disso”, completou Esquiva Falcão.

Assista ao último nocaute de Esquiva Falcão – https://www.youtube.com/watch?v=iyUJ-a1ztVs

Organizadores da Formula E lançam corrida de lanchas

28/09/2020 16:33

O E1 é mais uma opção de competição utilizando a energia elétrica como destaque principal.

Fundador da Formula E, Alejandro Agag idealizou agora uma competição de lanchas elétricas.

Batizado de E1, o evento tem licença exclusiva da UIM (Union Internationale Motonautique) para promover o primeiro e único campeonato de lanchas elétricas pelos próximos 25 anos.

Até 12 equipes irão competir em corridas em mares, rios e lagos ao redor do mundo.

A missão da E1 é trazer a revolução elétrica para a mobilidade aquática, por meio de inovação tecnológica e corridas eletrizantes.

”Acreditamos que a mobilidade elétrica na água é essencial se quisermos ajudar a preservar nossos oceanos, mares e lagos para as gerações futuras”.

E1 será um banco de ensaio de tecnologia para a tecnologia de eletricidade marinha, bem como usará corridas eletrizantes para promover os benefícios da navegação elétrica para um público totalmente novo”, disse Alejandro Agag no site oficial da categoria.

O evento foi apresentado em parceria com o Monaco Yacht Club.

As lanchas foram criadas pela SeaBird Technologies, do Reino Unido. 

A projetista é Sophi Horne e a promessa é de um design nunca visto no segmento! 

O conceito será desenvolvido em parceria com a SailGP, uma das principais regatas do mundo.

“Esta é uma parceria incrivelmente empolgante que nos permite continuar a acelerar a mudança para um futuro mais limpo”, disse o CEO da SailGP, Sir Russell Coutts.

“Somos movidos pela natureza, e SailGP e E1 compartilham um sentido semelhante de propósito de serem exemplos líderes em tecnologia sustentável.”

 

Cada fim de semana de corrida E1 incluirá testes e classificações e, em seguida, uma série de corridas eliminatórias que levará a uma final com apenas um vencedor.

O campeão mundial anual será decidido pelas pontuações acumuladas ao longo da temporada.

Garoto de 15 anos é o campeão do VelaShow 2020 – edição virtual

25/09/2020 12:49

O campeão da edição virtual do VelaShow 2020 foi o brasiliense Lucas Dantas, de apenas 15 anos. O garoto teve o melhor desempenho entre os 40 competidores nas provas realizada via Virtual Regatta e ficou com o título, seguido pelos gamers do Rio de Janeiro Gustavo Kunze e Beto Albuquerque. A competição utilizou barcos da classe J70 e teve raias internacionais, incluindo da Rio 2016.

Lucas Dantas, que ficou com o vice da Semana de Vela de Ilhabela meses atrás, é uma das promessas da vela brasileira e se destaca também no online, ganhando inclusive até do professor Allan Godoy. Das oito regatas disputadas, o jovem venceu a metade!

Além das regatas virtuais, o VelaShow 2020 teve palestras dos navegadores Cláudio Copello e Adriano Plotzky, do #SAL, e do medalhista olímpico Lars Grael.

”Primeiramente quero dar parabéns à excelente organização do evento, impecável, e dizer que esse campeonato foi mais uma experiência extraordinária. No primeiro dia do evento foi a classificatória composta por quatro regatas, consegui me classificar em primeiro lugar”.

”No segundo dia foram as finais compostas por quatro regatas sem descarte. Como o resultado não iria ter descarte, minha estratégia foi sempre ser conservador e não arriscar muito, e acabei sendo o campeão do evento. Pretendo seguir treinando para conquistar mais títulos”, disse Lucas Dantas.

As raias foram de Palma de Mallorca (Espanha), Auckland (Nova Zelândia), Marselha (França) e Rio de Janeiro (RJ). Os percurso foram de barla-sota com duração de aproximadamente 8 minutos cada regata.

”O evento foi um sucesso e nós já podemos confirmar para 2021 a realização de regatas online no próprio local do evento, que será o Charitas de Niterói. Vamos montar um telão e incentivar a prática de vela virtual. As provas foram muito bem organizadas pelo Virtual Regatta Brasil”, disse Edilberto Almeida, organizador do VelaShow.

O VelaShow foi realizado nos dias 23 e 24 de setembro e serviu como aquecimento para a temporada 2021, que será de 9 a 11 de abril, no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ). Em função da pandemia de COVID-19, a organização do evento decidiu adiar a feira 100% dedicada a veleiros para o ano que vem.

Será a segunda edição da feira, que teve sua estreia em 2019 no Centreventos de Itajaí (SC), no mês de abril. A feira reuniu mais de 40 expositores, e ainda fez três regatas e uma expedição nos três dias do feriado de Páscoa.

O evento deu mais destaque no cenário náutico à cidade, sede de três edições da Volvo Ocean Race (hoje Ocean Race) e duas da Transat Jacques Vabre.

Palestra de Lars Grael no VelaShow 2020

A palestra do medalhista olímpico Lars Grael encerrou a edição relâmpago de VelaShow, que ocorreu nos dias 23 e 24 de setembro de maneira remota nos canais oficiais do evento.

Referência na modalidade, o velejador recordou histórias das primeiras práticas no País, principalmente na Baía de Guanabara, a importância de Niterói e o legado da família Schmidt Grael no esporte.

Os Grael, por exemplo, somam oito medalhas olímpicas, sendo três de ouro e os filhos dos irmãos Lars e Torben se destacam em competições internacionais e nacionais.

Ambos tem Niterói (RJ) como base, mesma cidade que sediará de 9 a 11 de abril de 2021 a segunda edição do VelaShow. A edição presencial foi adiada em 2020 pelo COVID-19.

Ídolo da vela nacional, Lars Grael recordou a origem da sua família na modalidade e o motivo de não usar o outro sobrenome Schmidt como referência.

”No caso da minha família começou com meu avô e minha mãe também amava velejar! Quando a gente era garoto e começou a velejar tínhamos orgulho dos tios! Colocava na inscrição de Regata o nome Schmidt, que atraia por magnetismo!”

”Mas lógico que somos mortais e o começo foi de péssimos resultados. Então vinham as críticas e frases como ‘não são bons iguais ao tios’. Então resolvemos usar o nome Grael por causa do peso do nome Schmidt”, lembrou Lars Grael.

Niterói é um dos maiores centros de vela do mundo e reúne clubes tradicionais do esporte, como o Naval Charitas e o Sailing. Foi lá que surgiu a primeira instituição de vela. Hoje, atividades aplicadas no Projeto Grael, por exemplo, formam novos profissionais para o segmento náutico.

O legado para o esporte, como citado acima, é enorme em Niterói, mas os resultados não são apenas da cidade vizinha ao Rio de Janeiro.

Das 18 medalhas olímpicas do Brasil, quase que todas saíram de Rio Iate Clube ou do Yacht Clube de Santo Amaro, nesses dois clubes surgiram velejadores que começaram a vela com excelência.

Lars Grael foi entrevistado nesta quinta-feira (24) pelo jornalista e historiador Murillo Novaes, responsável pelo Anuário da Vela e por outras obras ligadas à navegação.

O bate-papo virtual teve na véspera as participações de navegadores Cláudio Copello e Adriano Plotzky, do #SAL.

Os velejadores falaram sobre a vida a bordo de embarcações e a infraestrutura encontrada em marinas e cidades para abrigar barcos.

Após a conversa dos especialistas na modalidade, o VelaShow promoveu provas online com mais de 40 velejadores pelo virtual Regatta.

As provas do VelaShow 2020 foram vencidas por Lucas Dantas, de apenas 15 anos.

A competição foi feita via o aplicativo Virtual Regatta com barcos da classe J70. Em 2021, o evento vai montar regatas presenciais e online.

Salão Náutico de Paris é cancelado

24/09/2020 19:00

A principal feira náutica do mundo foi cancelada oficialmente nesta quinta-feira (24).

O Salão Náutico de Paris (ou Paris Boat Show) seria realizado de 5 a 13 de dezembro.

Seria no local que a organização da Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre iria anunciar a chegada da edição 2021.

Os organizadores se basearam nos últimos anúncios do Ministro da Saúde e da Fédération des Industries Nautiques (FIN) para cancelar o evento.

O Ministro da Saúde, Sr. Olivier Véran, anunciou ontem uma série de medidas mais restritivas para Paris.

O número de pessoas por evento passou de 5.000 para 1.000.

Todos os anos, o “Nautic” reúne no início de dezembro Porte de Versailles mais de 200.000 visitantes e mais de 800 expositores.

A entidade planeja lançar nos próximos dias um evento digital.

A França tem mais de 11 milhões de pessoas fazendo algum tipo de atividade náutica.

O setor náutico possui mais de 5.500 empresas, 45.000 empregos diretos e 100.000 empregos indiretos nas regiões.  E 70% dos pedidos anuais do setor são processados ​​nas feiras de barcos de outono e inverno.

 

”As novas medidas apressam nossa decisão e não nos deixam escolha. As consequências serão graves, especialmente para todas as PMEs para as quais as feiras são momentos-chave para o seu faturamento”.

”Os shows de outono e inverno são verdadeiros locais de negócios, onde 70% dos pedidos anuais são processados. Eles são marcos essenciais em nosso ecossistema econômico”.

”Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para continuar a prestar a melhor assistência possível a todas as empresas do setor náutico francês para superar esta nova provação e se preparar para o futuro em 2021”, declarou Yves Lyon-Caen, Presidente da FIN.

 

Cláudio Copello e Adriano do #SAL em abertura do VelaShow 2020 Virtual

A edição relâmpago do VelaShow 2020 teve início nesta quarta-feira (23) com a realização de uma live nos canais oficiais do evento.

O bate-papo virtual comandado por Murillo Novaes e Marina Bruschi contou com as participações dos navegadores Cláudio Copello e Adriano Plotzky, do #SAL.

Os velejadores falaram sobre a vida a bordo de embarcações e a infraestrutura encontrada em marinas e cidades para abrigar barcos.

Após a conversa dos especialistas na modalidade, o VelaShow promoveu provas online com mais de 40 velejadores pelo virtual Regatta.

Os palestrantes comentaram sobre os melhores locais para velejar e de suas expedições pela costa brasileira.

Ambos também destacaram as dificuldades encontradas nessa pandemia de COVID-19, que obrigou a organização do VelaShow a adiar a edição de Niterói (RJ) para abril do ano que vem.

“A gente passou a pandemia a bordo. Quando estávamos descendo a costa, passamos em Salvador. Eu ia a bares, carnaval, mas quando chegamos em Santo André, Sul da Bahia, foi quando a pandemia explodiu”.

”Eu passei dois meses em Santo André, mas após março e abril já bateu aquela vontade de velejar. Cuido das pessoas que entram a bordo, usando máscara e indo apenas em mercados”, comentou Cláudio Copello em mensagem gravada de Ilhabela (SP).

 

O velejador e youtuber Adriano Plotzky falou sobre suas experiências e lugares visitados, principalmente em relação à infraestrutura de marinas.

“O brasil deveria se voltar ao mar e uma coisa que daria para resolver mais simples seria um píer público. Apenas para você parar o barco e ir ao mercado, por exemplo”.

O VelaShow continua nesta quinta-feira (24) com o tema Niterói (RJ), que será a anfitriã do evento. A partir de 18h30, o bicampeão olímpico Torben Grael e o medalhista olímpico e campeão mundial Lars Grael falarão sobre a vela na cidade.

A cidade fluminense é uma das maiores referências na modalidade no País, com clubes de ponta como o Charitas e o Sailing, além do Projeto Grael. Após o painel com os irmãos mais vitoriosos da modalidade, o VelaShow promoverá as finais das regatas virtuais.

Regatas online 

As provas iniciais do VelaShow 2020 foram feitas via o aplicativo Virtual Regatta com barcos da classe J70. As raias das baterias com 40 velejadores foram as de Palma de Mallorca (Espanha), Auckland (Nova Zelândia), Marselha (França) e Rio de Janeiro (RJ).

O melhor desempenho do dia foi do jovem de 15 anos Lucas Dantas, de Brasília (DF). O velejador ficou com vice-campeonato da edição virtual da Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

As finais começam nesta quinta-feira a partir de 19h30.

The Ocean Race Summits reúne ídolos da vela e políticos em prol da saúde dos mares

21/09/2020 14:20

Podemos resolver isso

Foi assim que o senador Sheldon Whitehouse, de Rhode Island, concluiu seus comentários ao discursar para mais de 680 participantes registrados no evento The Ocean Race Summits realizado nas instalações de Sail Newport, nos EUA.

O senador estava entre um grupo diversificado de especialistas internacionais, jovens líderes e agentes de mudança climática reunidos para enfrentar os desafios dos oceanos.

O  The Ocean Race Summits é realizado mais seguidamente desde a edição anterior da regata de volta ao mundo

”Por muitas gerações, fomos tomadores do oceano e temos que mudar nossa mentalidade e ser os guardiões dos oceanos”, disse o senador.

”As pessoas precisam pensar nos oceanos para apreciar o trabalho que precisa ser feito. Mas isto pode ser feito. Tem que ser feito rapidamente e com intenção. Mas podemos resolver isso”.

Velejadores de renome mundial como Mark Towill (EUA), CEO da 11th Hour Racing Team, e Peter Burling (NZL), medalhista de ouro olímpico e vencedor da America’s Cup, participaram do evento.

Segundo eles, o esporte pode causar um impacto positivo na preservação ambiental.

”Queremos demonstrar que ser competitivo em esportes de alto nível e priorizar a sustentabilidade não é algo exclusivo”, disse Mark Towill.

”É para nosso benefício sermos líderes neste espaço e encorajar outros a se unirem … Estamos em um ponto crítico e queremos que nossa equipe conduza a mudança”.

”O que mais me assustou durante a última edição de The Ocean Race foi o que eu não vi – a falta de baleias, albatrozes, atuns, em comparação com as histórias que ouvi no passado”, disse Peter Burling, co-fundador da Live Ocean, que se concentra na proteção e restauração do oceano.

”A diferença de onde estamos agora é bastante assustadora e mostra o quão urgente é o problema”.

Os Ocean Race Summits visam trazer os valores das regatas oceânicas como liderança e resiliência para enfrentar os desafios enfrentados pela saúde dos oceanos.

Usando uma plataforma online inovadora e envolvente, incluindo oito Action Labs colaborativos focados no desenvolvimento e compartilhamento de soluções, bem como sessões Live Q + A e Networking, a cúpula abordou questões desafiadoras de frente com ênfase em ação e resultados.

”O oceano é o ecossistema mais importante em nossa vida”, disse José María Figueres, o ex-primeiro-ministro da Costa Rica e co-fundador da Ocean Unite.

”Sem um oceano saudável, não há vida no planeta”.

O Sr. Figueres apontou o aumento do número de Áreas Marinhas Protegidas, parando as mudanças climáticas e chegando a um acordo internacional sobre a governança do alto mar como caminhos críticos para restaurar a saúde dos oceanos.

”Existem mais perguntas do que respostas, mas estou otimista e esperançoso por um futuro brilhante, em particular após esta cúpula cheia de pessoas movidas por sua aspiração de contribuir para um planeta mais saudável”, disse Richard Brisius, presidente da The Ocean Race.

”E não devemos desistir agora, temos que nos manter no curso, pois é frequentemente durante os tempos difíceis que vemos as equipes vencerem regatas, graças à grande liderança, espírito de equipe e apenas empurrando mais forte para o que acreditam”.

Mais informações em theoceanrace.com

VelaShow programa regatas online e palestras com Torben e Lars Grael na semana que vem

17/09/2020 17:43

O VelaShow fará nos dias 23 e 24 de setembro uma edição online que servirá como aquecimento para a temporada 2021.

Serão realizadas palestras com os irmãos Grael e velejadores cruzeiristas, além de provas por meio do Virtual Regatta.

Tudo poderá ser acompanhado por meio dos canais oficiais do VelasShow no Youtube, Facebook e Instagram.

Em função da pandemia de COVID-19, a organização do evento decidiu adiar a feira 100% dedicada a veleiros para o ano que vem.

Em 2021, o evento será realizado entre os dias 9 e 11 de abril, no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ), que sediaria a feira deste ano. A primeira edição foi em 2019, na cidade catarinense de Itajaí.

Seguindo tendência de grandes eventos, como a Semana Internacional de Vela de Ilhabela, o VelaShow vai unir numa mesma plataforma ciclo de palestras e regatas virtuais.

A programação oficial abre na quarta-feira (23) às 18h30h, os navegadores Cláudio Copello e Adriano Plotzky, do #SAL, falarão sobre com é velejar pelo País no painel “Cruzeirando” na Costa Brasileira. Às 19h30 serão realizadas as regatas virtuais eliminatórias.

No dia seguinte, na quinta-feira (24), a partir de 18h30, o bicampeão olímpico Torben Grael e o medalhista olímpico e campeão mundial Lars Grael falarão sobre “A Vela em Niterói”.

A cidade fluminense é uma das maiores referências na modalidade no País, com clubes de ponta como o Charitas e o Sailing, além do Projeto Grael. Após o painel com os irmãos mais vitoriosos da modalidade, o velaShow promoverá as finais das regatas virtuais.

”Além de gerar conteúdo nos nossos canais sociais, nós seguimos a tendência de grandes eventos nacionais e internacionais nesse período de pandemia”.

”Vendo o sucesso da Semana de Ilhabela, nós identificamos a necessidade de oferecer ainda mais opções aos fãs da vela”.

”As edições virtuais de eventos vieram para ficar”, disse Edilberto Almeida, organizador do VelaShow.

”Esse aquecimento certamente vai fazer com que os velejadores tenham ainda mais vontade de ver nossa feira presencial no ano que vem, que será novamente um sucesso, como em 2019”.

Mais sobre o evento — https://onboardsports.net/velashow-faz-edicao-virtual-com-palestras-dos-grael-e-regatas-online/

 

Filme sobre o retorno da CONMEBOL Libertadores

16/09/2020 12:57

A CONMEBOL Libertadores está de volta após seis longos meses, e a Betfair.net não deixou o momento passar em branco.

A patrocinadora oficial da competição lançou nesta segunda-feira (14/9) o filme “O Impossível Está De Volta”, que traduz a emoção do torcedor com o retorno do maior torneio das Américas.

Mais do que um vídeo sobre a retomada do futebol, a produção é pautada no sentimento que move o amante do esporte mais popular do planeta.

O contraste entre o barulho de antes e o vazio atual das arquibancadas, impactadas pela pandemia da COVID-19, se converte em uma mensagem de esperança: o retorno que parecia impossível é possível, e todos os resultados são possíveis.

“A ansiedade é grande. A temporada já recomeçou, mas é na Libertadores que os confrontos ganham peso, que os duelos mostram verdadeiramente aonde essas equipes podem chegar. Será especial ver o continente pulsando novamente pelo futebol e com toda a emoção que a Copa nos traz”, afirmou o embaixador da Betfair.net, Chico Garcia.

Na ausência do público, a Libertadores terá o desafio de se reinventar como uma das mais atrativas opções de entretenimento para os fãs em suas casas. A imprevisibilidade, que já era marca registrada do torneio, promete ser maior do que nunca.

“A Libertadores volta cercada de expectativa e mistério, com times retornando às atividades agora e outros jogando há mais tempo. Assim, fica ainda mais difícil prever o que iremos encontrar”, afirmou Mauro Cezar.

No ano passado, o Flamengo conquistou a taça ao derrotar o River Plate em uma das viradas mais inacreditáveis da história, com dois gols de Gabriel Barbosa em apenas três minutos.

Ainda que alguns times possam levar um pouco mais de tempo para atingir seu ápice nesta edição atípica, a essência da Libertadores permanece a mesma, com muita raça, vibração e união de milhões por uma mesma paixão: vencer.

“Não podemos ignorar que, apesar da provável dificuldade inicial de alguns candidatos às fases finais da Copa e ao título, as equipes que passam com dificuldades pela fase de grupos costumeiramente reagem no mata-mata, que é quase outra competição. Todos terão que se superar e quem melhor se adaptar à crise irá se dar bem”, completou o embaixador da Betfair.net.