Felipe Massa deixa a Venturi

13/08/2020 17:30

O brasileiro Felipe Massa anunciou sua saída da equipe monegasca ROKiT Venturi Racing após a última corrida da temporada 2019-20 da categoria dos carros elétricos, a Formula E.

O piloto ficou em 16º lugar no último ePrix, realizado em Berlim, na Alemanha, nesta quinta-feira (13). A vitória ficou com o belga Stoffel Vandoorne (Mercedes Benz EQ) na pista improvisada no Aeroporto de Tempelhof. Com o resultado, o ex-F1 terminou a competição na 22º colocação com apenas 3 pontos.

Os resultados de Felipe Massa na Formula E foram discretos até o momento. O paulista conseguiu ficar entre os melhores para a Super Pole por cinco vezes e garantiu oito posições entre os dez primeiros – incluindo o terceiro lugar no E-Prix de Mônaco na temporada anterior, etapa de casa de sua equipe. Foram ao todo 24 corridas e 39 pontos acumulados.

Após a prova, Felipe Massa deixou o futuro em aberto e agradeceu aos companheiros da ROKiT Venturi Racing. ”As duas últimas temporadas foram de aprendizado para todos nós e, infelizmente, por vários motivos, não alcançamos o que esperávamos! Apesar disso, foi muito divertido e desejo à equipe nada além de muita sorte para o futuro. Estou ansioso para anunciar meus planos futuros em breve”.

”Sair de uma equipe nunca é uma decisão fácil de tomar. Deixamos boas memórias em conjunto e isso me deu a oportunidade de aprender algo completamente diferente do que estou acostumado, então, antes de tudo, quero agradecer ao [Presidente do Venturi] Gildo [Pastor] e Susie [ Wolff] por sua confiança em mim. Foi uma honra fazer parte da única equipe de automobilismo do Principado de Mônaco, e representá-los no pódio no E-Prix de Mônaco foi um destaque para mim”, disse Felipe Massa.

Susie Wolff, diretora da equipe ROKiT Venturi Racing, também agradeceu a Felipe Massa pelo empenho nesses anos. “O Felipe trouxe muito para a equipe. Ter alguém com seu perfil, calibre e experiência ajudou muito a impulsionar a equipe. Tenho muito respeito pelo Felipe. Foi uma alegria trabalhar com ele novamente e desejo a ele o melhor para o futuro”.

O suíço Edoardo Mortara, companheiro de Felipe Massa, terminou em 14º no campeonato com 41 pontos. A temporada 2019-20 foi vencida pelo português António Felix da Costa, que ajudou a sua equipe DS Techeetah a levar o título de construtores.

Dobradinha da Mercedes na despedida da Formula E 2019-20

Stoffel Vandoorne (BEL), Mercedes Benz EQ, 1st position

O belga Stoffel Vandoorne conquistou sua primeira vitória com a Mercedes-Benz EQ na Fórmula E com uma dobradinha na corrida final da sexta temporada disputada nesta quinta-feira (13) no Aeroporto de Tempelhof.

Com este resultado, o piloto terminou o Campeonato de Pilotos da ABB FIA Formula E em segundo lugar, atrás apenas do campeão por antecipação Antonio Félix da Costa, piloto português da DS Techeetah.

Largando na Julius Baer Pole Position, o belga se manteve durante quase toda a corrida na liderança, seguido pelo companheiro de equipe Nyck de Vries que terminou em segundo e conquistou seu primeiro pódio na categoria e ajudou a Mercedes a terminar o Campeonato de Equipes na terceira colocação, em sua temporada de estreia na Fórmula E.

”Foi um final de temporada como queríamos para a Mercedes, não acho que poderíamos ter sido melhores, e sim, ter ficado em segundo lugar do campeonato foi um bônus”.

Toda a equipe fez um trabalho incrível, mas hoje foi tudo muito perfeito”, disse Stoffel Vandoorne.

O suíço Sebastien Buemi da Nissan e.Dams completou o pódio em terceiro lugar, enquanto o ex-campeão Jean-Eric Vergne subiu 14 posições e terminou em sétimo na corrida, encerrando a temporada na terceira colocação na classificação geral do Campeonato de Pilotos.

Como foi a corrida

Vandoorne largou na Julius Baer Pole Position pela segunda vez em sua carreira na Fórmula E após uma sessão de treino classificatório bem equilibrada, onde os onze primeiros colocados ficaram separados por apenas um décimo de segundo, enquanto os líderes do campeonato começaram no final do grid.

Rene Rast, da Audi Sport ABT Schaeffler, tentou ultrapassar Buemi do lado de fora da primeira curva após a largada, mas não teve sucesso e acabou sendo ultrapassado por De Vries.

Após o pódio conquistado na prova anterior, o novo companheiro do brasileiro Lucas di Grassi na equipe alemã queria mostrar trabalho e justificar uma possível permanência para a próxima temporada.

Falando no piloto brasileiro, Di Grassi partiu para mais uma prova de recuperação e ganhou algumas posições nas primeiras voltas, saltando do 10º para o 6º lugar. Já Sérgio Sette Câmara (GEOX Dragon) e Felipe Massa (ROKiT Venturi Racing) chegaram a ficar nas posições intermediárias na primeira metade da corrida, mas foram perdendo rendimento e com isso, perderam várias posições.

Durante a primeira rodada estratégica do MODO ATAQUE, Buemi e De Vries trocaram de lugar atrás do líder da prova Vandoorne, enquanto na parte de trás o francês Jean-Eric Vergne rapidamente subiu de 21º para 11º.

Em sua última corrida pela Envision Virgin Racing após seis temporadas antes de assumir seu lugar na Panasonic Jaguar Racing, Sam Bird foi outro piloto que conseguiu fazer uma boa prova de recuperação e de 14º, terminou em quinto em sua despedida do time inglês.

Após ter vencido a prova realizada ontem, Oliver Rowland da Nissan e.Dams teve problemas no treino classificatório e largou em último lugar e, logo após a largada, teve sua corrida encerrada prematuramente a oito minutos do fim.

De Vries atacou Buemi nos minutos finais, e conseguiu assumir segunda posição e desta forma garantir a dobradinha da Mercedes Benz EQ em sua primeira vitória na categoria de carros elétricos, deixando uma boa impressão para a próxima temporada.

Felipe Massa terminou a prova em 16º e anunciou após o final da temporada que está deixando a ROKiT Venturi Racing. O brasileiro afirmou que anunciará seus planos futuros em breve, sem deixar claro se seguirá na categoria de carros elétricos ou não.

E assim terminou a sexta temporada da Fórmula E, lembrando que a partir do próximo ano, a categoria de carros elétricos poderá usar a chancela de Campeonato Mundial

Brasileiro disputa última prova da Formula E 2019-20 com chances do vice

Um incidente raro e um pneu furado praticamente tiraram do brasileiro Lucas Di Grassi as chances de brigar por mais um pódio durante a 10ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula E, nesta quarta-feira, em Berlim (Alemanha).

Durante o classificatório, Lucas e os pilotos António Félix da Costa (Portugal, DS Techeetah), Jean Eric Vergne  (França, DS Techeetah), Maximilian Guenther (Alemanha, BMW Andretti), Sébastien Buemi (Suíça, Nissan E.DAMS) e Mitch Evans (Nova Zelândia, Panasonic Jaguar) receberam ordem de suas equipes para entrar na pista faltando apenas alguns minutos para o encerramento do Q1, a fase de grupos das tomadas de tempo.

link do texto — http://collabsports.com.br/2020/08/12/di-grassi-vai-para-ultima-etapa-com-chances-matematicas-de-ser-vice-campeao/

A estratégia de todos era – como sempre é – tentar a volta rápida nos minutos finais, de forma a pegar o piso em melhores condições de aderência e assim ganhar alguns décimos de segundo – a pole, para se ter uma ideia, foi decidida por apenas meio centésimo a favor do britânico Oliver Rowland (Nissan E.DAMS), que venceria a prova. Mas Di Grassi foi surpreendido pelos carros de Vergne, Da Costa e Buemi andando em um ritmo lento quando ia abrir sua volta rápida. O brasileiro foi trapalhado e juntamente com os três outros pilotos cruzou a linha de chegada já fora do tempo permitido para abrir a volta rápida. Com isso, os quatro pilotos não registraram tempos para o classificatório.

“Eu estava no primeiro grupo, que sempre pega a pista com menos aderência, e se você quer ter uma chance de passar para o Q2 precisa ir para a pista o mais perto do final do Q1 possível”, lembra Lucas. “Mas quando iniciei a minha volta rápida os carros à frente estavam andando tão devagar que todos nós cruzamos a linha de chegada muito tarde”, completa.

Com isso, o piloto da equipe Audi Sport Abt Schaeffler teve que largar da 23ª posição. Durante a corrida, Lucas e o português António Félix da Costa acabaram se tocando em um momento em que o brasileiro ultrapassava o piloto da DS Techeetah para ganhar o 14º lugar, resultando no furo do pneu traseiro direito de Di Grassi – que foi ao box e voltou para a pista já sem qualquer possibilidade de brigar por pontos.

“Certamente esse não era o resultado que nossa equipe sonhava. Tínhamos potencial para brigar pelo pódio e estar mais próximos da disputa pelo vice-campeonato. Mas as corridas são assim. Especialmente na Fórmula E, tudo pode acontecer. Amanhã teremos a última etapa do Campeonato e espero que possamos encerrar a temporada com um bom resultado. Vamos brigar até a última volta”, declarou Di Grassi.

Lucas ocupa agora a sétima posição na tabela, com 69 pontos. O brasileiro tem chances matemáticas de terminar o ano como vice-campeão, colocação que será o objetivo de mais seis pilotos na prova de encerramento da temporada. A 11ª etapa do Mundial de Fórmula E terá o classificatório e a corrida realizados nesta quinta-feira. A definição do grid acontece às 9h e a prova às 14h, ambos com transmissão ao vivo pelo canal Fox Sports.