Bahia sedia o Brasileiro de Snipe 2020

14/01/2020 18:13

A organização do Campeonato Brasileiro de Snipe 2020 confirmou mais de 30 barcos na competição, que será realizada de 17 a 25 de janeiro, no Yacht Club da Bahia (YCB), em Salvador (BA).

O resultado da 71ª edição do nacional será utilizado para a formação da equipe brasileira no Western Hemisphere and Orient Championship 2020, principal evento internacional da classe na temporada.

Recentemente, o País sediou o Mundial de Snipe, com mais de 70 velejadores de 11 países.

O evento foi realizado em Ilhabela (SP) no mês de outubro de 2019. As duplas brasileiras somam ao todo 14 títulos mundiais.

Os atuais campeões brasileiros são Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling. A competição foi disputada na Represa do Guarapiranga, em São Paulo (SP).

O gaúcho Alexandre Paradeda, inclusive, é o maior vencedor da competição com 13 títulos.

O Brasileiro de Snipe é realizado desde 1949.

”A categoria é uma das mais disputadas no Brasil, formando nomes como Torben Grael e Lars Grael”.

”O grande número de regatas nacionais, a organização das flotilhas regionais e a competitividade do Snipe são os pilares desse sucesso”, explicou Paola Prada, coordenadora da classe Snipe.

Equilíbrio na raia 

Bicampeões mundiais de Snipe em 2009 e 2013, Bruno Bethlen e Dante Bianchi voltam a formar dupla depois de alguns anos para o Brasileiro 2020.

Os dois somam oito títulos nacionais na categoria.

Após o mundial de Ilhabela (SP), as equipes têm novas formações e objetivos para a temporada da vela, que só está começando.

Um dos exemplos é troca da tripulação Campeã Mundial Jr. de 2019.

O proeiro Leonardo Motta mudou de parceiro e estará nas águas da Bahia com Felipe Rondina. Já o timoneiro Gustavo Abdulklash não confirmou sua dupla.

”Espero um campeonato brasileiro com boas condições de velejo na Baía de Todos-os-Santos e me divertir, acima de tudo”, disse Leonardo Motta.

O baiano Mateus Tavares, campeão mundial de Snipe em 2015, estará na disputa do Brasileiro 2020 ao lado de Flávio Castro.

O timoneiro ficou em sexto em Ilhabela (SP) e de lá pra cá ficou fora das regatas. ”Será meu retorno à classe após o Mundial do ano passado.

Vamos tentar fazer o melhor possível e se divertir. Mesmo não estando ativo na classe, vamos tentar chegar nas cabeças”, contou Mateus Tavares.

Bronze no Pan de Lima 2019, os baianos Juliana Duque e Rafael Martins estão confirmados na disputa ‘em casa’. Conhecer a raia da Baía de Todos-os-Santos pode favorecer os velejadores do YCB.

Outro destaque será a dupla formada pelos adolescentes Ellion Santana e Leonardo Prada Lorenzi.

”Queremos aproveitar o máximo de experiência que vamos adquirir tanto na Baía de Todos-os-Santos participando das regatas, assim também, em terra (no clube) com outras pessoas do Brasil que vão estar lá, trocar experiências, falar sobre regatas, e o mais legal de tudo não deixando de lado o velejo”, disse Leonardo Prada Lorenzi.

Baixe o Aviso de Regata do 71º Campeonato Brasileiro de Snipe

Lista de campeões

1949 – Joseph William Morris Brown / Peter Mac Gregor
1951 – Paulo Von Schilgen/ Jorge Burns
1952 – Ademar Bezerra de Melo/ Arnaldo Bastos
1955 – Gabriel Gonzales / Nelson Piccolo
1956 – Gabriel Gonzales / Nelson Piccolo e Alfredo Bercht / Eduardo Jacobson
1957 – Kurt Keller / Sérgio Christo
1958 – Gabriel Gonzales / Nelson Piccolo
1959 – Gabriel Gonzales / Nelson Piccolo
1960 – Gabriel Gonzales / Nelson Piccolo
1965 – Axel Schmidt / Erik Schmidt
1966 – Nelson Piccolo / Carlos Lorenzi
1967 – Nelson Piccolo / Carlos Lorenzi
1968 – Cristiano Pontes / José Pontes
1970 – Axel Schmidt / Arnaldo Caldas
1971 – Gastão Altmayer / Host Brandau
1974 – Marco Aurélio Paradeda / Reiner Weipercht
1975 – Marco Aurélio Paradeda / Herbert Heidrich
1976 – Marco Aurélio Paradeda / Luiz Penjovic
1978 – Ivan Pimentel / Alex Weil
1979 – Boris Ostergrin / Ernesto Naugenbauer
1980 – Torben Grael / Lars Grael
1981 – Torben Grael / Lars Grael
1982- Pedro Bulhões / Ricardo Stabile
1983 – Paulo Santos / Marçalo Santos
1984 – Paulo Santos / Cássio Ashauer
1985 – Paulo Santos / Cássio Ashauer
1986 – Paulo Santos / Cássio Ashauer
1987 – Torben Grael / Luiz Marcelo Maia
1989 – Paulo Santos / Ricardo Santos
1990 – Torben Grael / Anders Schmidt
1992 – Alexandre Paradeda / Caio Vergo
1993 – Ivan Pimentel / Anders Schmidt
1994 – George Nehm / Fernando Krahe
1995 – Alexandre Paradeda / Flávio Fernandes
1996 – Alexandre Paradeda / Flávio Fernandes
1997 – Alexandre Paradeda / Flávio Fernandes
1998 – Alexandre Paradeda / Flávio Fernandes
1999 – André Otto Fonseca / Rodrigo Duarte
2000 – André Otto Fonseca / Rodrigo Duarte
2001 – Alexandre Paradeda / Eduardo Paradeda
2002 – Ivan Pimentel / Felipe Novelo
2003 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2004 – Alexandre Paradeda / Roberto
2005 – Bruno Bethlem / Pedro Tinoco
2006 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2007 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2008 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2009 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2010 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2011 – Alexandre Paradeda / Gabriel Kieling
2012 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2013 – Bruno Bethlem / Dante Bianchi
2014 – Alexandre Paradeda / Gabriel Kieling
2015 – Alexandre Paradeda / Lucas Aydos
2016 – Mateus Tavares / Gustavo Carvalho
2017 – Alexandre Paradeda / Lucas Mazim
2018 – Alexandre Paradeda / Lucas Mazim
2019 – Alexandre Paradeda / Gabriel Kieling

O Campeonato Brasileiro de Snipe é uma realização do Comitê Brasileiro de Clubes, Yacht Club da Bahia, flotilha 662 e Snipe Class International Racing Association.

Sobre o barco

Classe: Snipe Class International Racing Association

Nº de tripulantes: 2

Designer: William Crosby

Material do casco: madeira ou fibra de vidro

Ano do primeiro projeto: 1931

Comprimento do casco: 4,7 m

Quantidade de vela: 2 (mestra e buja) Peso do barco: 173 kg

 

 

 

 

 

 

Certificado de eventos sustentáveis para a Formula E

A ABB FIA Formula E Championship manteve sua posição como a única série de corridas a receber certificação ISO 20121, continuando a estabelecer o padrão internacional para práticas sustentáveis em eventos esportivos.

O Campeonato de Fórmula E também se junta a outros grandes eventos esportivos internacionais para obter a certificação ISO 20121, incluindo os Jogos Olímpicos de Verão Rio 2016, o Campeonato Europeu da UEFA de 2016, na França, e o Aberto de Tênis Roland Garros Open, também na França.

Com novas ideias e inovações para ajudar a educar e inspirar todo o ecossistema a reciclar e reduzir ativamente a quantidade de resíduos produzidos no local, a Fórmula E mais uma vez atendeu aos rígidos critérios necessários para manter o mais alto nível de certificação para eventos sustentáveis.

Além de promover competições sustentáveis, o objetivo principal da Fórmula E é acelerar a adoção de veículos elétricos no mundo e, por sua vez, ajudar a combater a poluição do ar em algumas das cidades mais superpovoadas do planeta.

Atualmente, a poluição do ar apresenta o maior risco ambiental à saúde humana e mata mais pessoas a cada ano do que fumar cigarros, de acordo com os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde.

Os números indicam 8,8 milhões de mortes relacionadas à poluição do ar contra 7 milhões ao tabaco.

”O conceito da Fórmula E foi criado com o objetivo principal de acelerar a adoção de veículos elétricos e promover práticas sustentáveis, conscientizando os benefícios da condução elétrica e como a mobilidade limpa pode combater as mudanças climáticas”.

”Realizamos eventos com sustentabilidade em primeiro plano e a certificação ISO 20121 renovada mostra nosso compromisso com essa causa e atua como um lembrete do que alcançamos e também nossa ambição de continuar inovando nessa área”, disse Julia Pale, consultora de sustentabilidade da F-E

”Trabalhando em conjunto com auditores da SGS, especialistas em meio ambiente e nossos parceiros, nos esforçamos para aprimorar os esforços em testar novas tecnologias e lançar iniciativas lideradas de maneira sustentável, a fim de reduzir ainda mais nossa pegada ambiental”.

”Estamos continuamente buscando implementar as soluções mais inovadoras disponíveis no mercado para melhorar todos os aspectos de nossos eventos e esperamos que isso inspire outros esportes e organizações a adotar uma abordagem semelhante no futuro. ”

Para acelerar a mudança para o setor elétrico e permitir que mais pessoas adotem energia limpa, a Fórmula E construiu um programa de sustentabilidade baseado em pilares que incluem eventos sustentáveis com um impacto positivo significativo em cada cidade-sede e o uso da plataforma global para promover carros elétricos e o seu papel no combate à poluição do ar.

A certificação ISO 20121 – concedida pelo órgão de acreditação SGS e confirmada após três auditorias de vigilância separadas na última temporada – mostra o compromisso incansável do Campeonato ABB FIA Fórmula E de avançar para um futuro mais limpo e mais rápido.

Trabalhando em estreita colaboração com parceiros e fornecedores, a série de corridas de rua elétrica aumentou o número de iniciativas para melhorar o gerenciamento de resíduos. Isso inclui, entre outras, as estações de hidratação da Allianz, bolsas de água para acabar com as garrafas plásticas de uso único e marca reciclável sem PVC.

As bolsas de água da marca – reutilizáveis e recicláveis – são entregues gratuitamente a espectadores e funcionários de cada evento, com estações de recarga estrategicamente posicionadas em todo o paddock, áreas de hospitalidade e zona de fãs do Allianz E-Village.

Introduzidos no início da temporada passada, os ‘guardas florestais’ estão localizados em áreas de grande atividade, ajudando a educar equipes, funcionários e espectadores sobre como extrair o máximo dos métodos de reciclagem e disposição de resíduos.

Além de promover a reciclagem e as diferentes formas de disposição de resíduos, o Campeonato ABB FIA de Fórmula E está trabalhando em conjunto com fornecedores e parceiros, como Umicore e a CSM Live para colocar soluções sustentáveis em todas as atividades.

A Fórmula E se uniu a especialistas do setor da Umicore – uma das poucas empresas em todo o mundo a oferecer uma jornada completa de reciclagem de baterias de íons de lítio – para recuperar e reorientar as células usadas nos carros de primeira geração, com fim de uso prolongado.

A série também trabalha lado a lado com fornecedores globais, como a CSM Live, que desenvolveu uma nova marca sustentável e sinalização na pista, que foi introduzida na corrida em Roma usando material inovador e reciclável.

O ISO 20121 é o padrão internacional de sustentabilidade em eventos e começou logo após as Olimpíadas de Londres em 2012, implementando um sistema de gestão focado em três metas principais; reduzindo a pegada ambiental individual dos eventos, criando um modelo financeiro de sucesso para o crescimento e tornando-se mais socialmente responsável.

”A Fórmula E vem incorporando sustentabilidade desde o início – explorando novas iniciativas, interagindo com comunidades e fornecedores locais e aplicando avaliações de impacto robustas”.

”Está assumindo a liderança no esporte a motor sustentável e estabelecendo uma nova referência para a indústria”, disse Ana Inácio, da SGS.

RIYADH STREET CIRCUIT, SAUDI ARABIA – NOVEMBER 22: Alexander Sims (GBR) BMW I Andretti Motorsports, BMW iFE.20 during the Diriyah E-prix I at Riyadh Street Circuit on November 22, 2019 in Riyadh Street Circuit, Saudi Arabia. (Photo by Joe Portlock / LAT Images)

 

Musto assina com a 11th Hour Racing Team

A Musto, a principal marca de material esportivo para vela, assinou com a 11th Hour Racing Team.

A empresa será fornecedora oficial nos próximos três anos.

O 11th Hour Racing está na próxima edição da The Ocean Race em 2021.

A parceria de Musto com Mark Towill e Charlie Enright já vem desde 2014-15.

Eles também usaram Musto durante a campanha de 2017-18 com a Vestas 11th Hour Racing

O barco IMOCA60, que correu a Transat Jacques Vabre no ano passado, também usou MUSTO.

“Musto é líder do setor e uma marca construída com base na reputação de projetar as melhores roupas de vela técnicas do mundo”, disse Mark Towill, CEO da 11th Hour Racing Team.

“Estamos ansiosos para colaborar e inovar junto com Musto nos próximos anos por meio dessa parceria que se baseia em muitos valores compartilhados, incluindo uma abordagem prospectiva para questões relacionadas ao gerenciamento da sustentabilidade”.

“Estamos orgulhosos de estar alinhados com  estrelas de vela no exterior, como Mark e Charlie, que apontam para o Ocean Race Trophy em 2021-22”, disse Nick Houchin, diretor de marketing da Musto.

A Musto também colaborará com Enright e Towill na pesquisa e desenvolvimento para criar uma variedade de roupas inovadoras e sustentáveis.

Isso se baseia na parceria anterior com a Vestas 11th Hour Racing, onde Enright e Towill apoiaram a Musto com o desafio de encontrar uma solução de embalagem plástica mais ecológica.

Este projeto estabeleceu algumas das bases para Musto trabalhar para superar os obstáculos que as empresas enfrentam, implementando e operando práticas mais sustentáveis ​​em uma escala maior.