Auckland volta para a regata de Volta ao Mundo The Ocean Race

05/12/2019 10:53

A The Ocean Race confirmou seu retorno à cidade neozelandesa de Auckland para edição 2021-22 da regata de volta ao mundo.

O local é um dos pontos mais tradicionais de vela oceânica do mundo, reunindo atletas de ponta e equipes de alto nível em todas as competições da modalidade.

A stopover da Nova Zelândia tem uma relação especial com o Brasil, já que nas últimas três temporadas, os barcos saíram de Auckland com destino a Itajaí (SC).

A organização ainda não definiu o percurso, mas ambas estão confirmadas, assim como o porto de origem em Alicante, na Espanha, Cidade do Cabo, na África do Sul, Aarhus, na Dinamarca, Haia, na Holanda, e as estreia de Cabo Verde e Gênova, na Itália, essa última que será a parada final da regata.

”É um grande prazer confirmar que a The Ocean Race retornará a Auckland em 2021-22″, disse Richard Brisius, presidente da The Ocean Race.

”Consideramos Auckland o ‘lar espiritual’ da prova, com um legado construído nas lendas de velejadores da Nova Zelândia e vencedores como Sir Peter Blake e Grant Dalton, e agora com uma geração mais jovem com Peter Burling, Blair Tuke e Bianca Cook”.

”Toda vez que chegamos aqui, vemos os fãs comemorando apaixonadamente os esforços incríveis que os melhores velejadores do mundo se comprometem a realizar na The Ocean Race”.

”Por sua vez, os membros da tripulação apreciam a calorosa recepção e hospitalidade que recebem aqui, antes partindo para assumir um dos maiores desafios que enfrentarão no exterior – os mares do sul”.

A escala de Auckland vem à frente de uma das partes mais difíceis do evento, já que a flotilha sairá das águas protegidas do Golfo de Hauraki e mergulhará no Oceano Antártico (mares do sul), espremendo-se entre a Antártida e a América do Sul ao redor do famoso Cabo Horn.

A Nova Zelândia também terá uma equipe na regata. A atleta Bianca Cook, que competiu na última edição da The Ocean Race a bordo do Turn the Tide on Plastic, está liderando uma campanha na classe VO65.

“É uma ótima notícia para nossa campanha ter certeza de que voltaremos para casa para uma parada durante a prova”, disse Bianca Cook, que comprou o barco de regata VO65 em que competiu na última edição.

As novas lendas olímpicas dos kiwis Peter Burling e Blair Tuke competiram na última edição em equipes separadas.

Recém-saídos de uma vitória histórica da America’s Cup nas Bermudas, com o Emirates Team New Zealand, a dupla se tornou rival pela primeira vez, com cada um tentando se tornar o primeiro velejador da história a reivindicar a ‘tríplice coroa’ com vitórias nas Olimpíadas, na America’s Cup e na The Ocean Race.

Mas ambos teriam que se contentar com uma posição no pódio com suas respectivas equipes, Team Brunel e MAPFRE. A dupla faz campanha olímpica na classe 49er nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

”Participar da última edição da The Ocean Race foi uma experiência de mudança de vida”, disse Peter Burling.

“As regatas offshore nos aprimoraram como velejadores e nos permitiram experimentar o mundo natural de uma maneira que não tínhamos antes”.

”Nosso tempo no Oceano Antártico foi uma das coisas que nos inspirou a criar nossa nova fundação, o Live Ocean, que é dedicado a proteger e restaurar nossos oceanos, algo que sabemos que a The Ocean Race também apoia fortemente”.

“É fantástico ouvir que a Ocean Race voltará a Auckland para a próxima edição, depois da Copa da América. Embora a Copa América e as Olimpíadas sejam nossas prioridades imediatas, Blair e eu gostaríamos de estar envolvidos na prova novamente”.

O prefeito de Auckland, Phil Goff, elogiou o anúncio. “Auckland é um destino de vela de classe mundial e a cidade ganha vida cada vez que os veleiros nos visitam aqui”.

”E fazer com que Bianca Cook confirme sua participação como a primeira capitã da Nova Zelândia nesta competição é um bônus adicional”.

“O investimento do Conselho de Auckland por meio do Turismo, Eventos e Desenvolvimento Econômico de Auckland (ATEED) ajuda a destacar a capacidade da nossa região de sediar eventos dessa magnitude”.

”Na última vez em que fizemos uma escala na Ocean Race, tivemos quase 500 mil visitantes na vila, criando uma enorme sensação de positiva”.

”O investimento de US$ 6 bilhões do governo local e central na transformação do centro da cidade de Auckland e a construção de um novo distrito à beira-mar para a 36ª America’s Cup criarão um legado duradouro para Auckland e nos ajudarão a cumprir nosso papel como cidade internacional da Nova Zelândia”.

O ministro do Desenvolvimento Econômico Phil Twyford disse que o governo tem orgulho de apoiar a edição de 2021-22 da The Ocean Race, dada a longa história da Nova Zelândia com o evento.

“A escala representa uma oportunidade fantástica para trazer o público da Nova Zelândia de volta à orla de Auckland em apoio ao evento, na área desenvolvida para a 36ª America’s Cup. Também estamos satisfeitos por uma equipe da Nova Zelândia ser comandada por uma mulher, já que aumentar a participação das mulheres no esporte é uma prioridade para nós”.

A Ocean Race está programada para começar no porto de origem em Alicante, Espanha, no quarto trimestre de 2021.

Autor: Flávio Perez

Flávio Perez é jornalista esportivo e gestor de esportes.

Compartilhe: