As estrelas da The Ocean Race são aplaudidas na Sydney Hobart

28/12/2019 18:17

As estrelas da regata The Ocean Race estiveram em ação no último evento da temporada 2019 da vela oceânica.

Vários competidores que disputaram as últimas edições da Volta ao Mundo correram 75ª Rolex Sydney Hobart Race.

A prova terminou na manhã de sábado (28) após pouco mais de 42 horas de navegação no mar australiano.

Barcos de vários tamanhos navegaram disputando a taça deste ano.

A famosa regata, que se tornou uma parte icônica do calendário esportivo da Austrália, largou de Sydney no chamado Boxing Day, 26 de dezembro.

E o veleiro Comanche, um super maxi de 30 metros, conquistou a vitória na chegada ao porto de Hobart

O veleiro fez a prova em apenas 1 dia, 18 horas, 30 minutos e 24 segundos.

Ao todo foram 628 milhas náuticas.

Os velejadores Daryl Wislang, Louis Sinclair, Kyle Langford, Pablo Arrarte, Tom Johnson e Stu Bannatyne ajudaram o Comanche a vencer.

A lenda Mike Sanderson e o navegador Stan Honey também estavam a bordo.

Em segundo lugar ficou o Infotrack, que terminou 45 minutos depois dos líderes.

Eles também contaram com uma série de experientes na Ocean Race, incluindo Lucas Chapman, Alex Gough, Tony Mutter, Chris Nicholson, Antonio Cuervas-Mons (Ñeti), Brad Jackson, Guillermo Altadill e Mustafa Ingham.

Curtis Blewett; Mitch White, que competiu em 2005-06 com Brunel, e Carlos Hernández (MAPFRE, 2014-15) também participaram.

A batalha por um lugar no pódio final foi travada com Wild Oats XI e SHK Scallywag.

O Wild Oats XI, com a experiência do navegador da MAPFRE Juan Vila a bordo, levou o terceiro lugar com apenas 38 segundos de vantagem.

O Scallywag liderou a flotilha por boa parte da sexta-feira.

“Estamos muito, muito decepcionados, porque provavelmente é o melhor que o time já navegou”.

”Nunca fiquei tão chateado com um resultado na minha vida”, disse David Witt, que comandou o Scallywag na última edição da regata de volta ao mundo.

Enquanto isso, Rob Greenhalgh, que disputou a Ocean Race cinco vezes, estava a bordo de Ichi Ban – comandado por Gordon Maguire e navegado por Will Oxley -, vencendo no tempo corrigido na classe IRC.

Veja os resultados completos — https://www.rolexsydneyhobart.com/standings/

Na vela, são vários resultados de classes computados, além do Fita-Azul, o primeiro a chegar, e o ganhador no corrigido.

Melhores momentos da largada da Rolex Sydney Hobart

26/12/2019 16:10

Realizada pela primeira vez em 1945, a Rolex Sydney Hobart Yacht Race é uma das grandes regatas oceânicas do mundo.

O desafio tem 628 milhas náuticas na Austrália.

Neste ano, 157 equipes participam da prova, que teve largada nesta quinta-feira (26).

Será a 75ª edição da regata, que tem patrocínio da Rolex.

A marca de relógios, que apoia a  Middle Sea Race e Fastnet Race, esteve na Semana de Vela de Ilhabela por quase 10 anos.

 

Feliz Natal!!!

24/12/2019 18:17

Desejo um Feliz Natal a todos os leitores do A Bordo do Esporte do DIARINHO!

Um dia de reflexão e humildade, assim como pregou o dono da festa.

Vídeo: Brasileiros da Formula E nas 500 milhas da Granja Viana

23/12/2019 16:46

Os brasileiros Felipe Massa e Lucas di Grassi ficaram com o segundo e terceiro lugares na classificação geral das 500 Milhas de Kart Granja Viana, tradicional evento do automobilismo brasileiro, disputado neste domingo (22), em Cotia (SP).

Os pilotos da ABB Formula E correram pela equipe Matrix Racing e se revezaram em dois karts, ficando atrás do time da Americanet Car Racing KTF após 657 voltas completadas.

”É uma diversão séria. Aqui encontramos pilotos de várias categorias diferentes, um encontro do automobilismo. Mas, na hora que entra na pista todos querem vencer, todos querem ter um kart competitivo”, disse Felipe Massa.

A prova, que teve ao todo 12 horas de duração, já é realizada há 20 anos na cidade paulista e conta com os principais nomes da modalidade, espalhados em várias categorias. Mais de 240 pilotos estiveram no kartodromo, com 64 carros.

Nelson Piquet Jr., primeiro campeão da Formula E, também disputou as 500 Milhas de Kart Granja Viana.O evento conta com outros astros do automobilismo brasileiro como Rubens Barrichello, Felipe Giafone, Caio Collet e Christian Fittipaldi.

Felipe Massa e Lucas di Grassi participaram de outras ações de fim de ano em São Paulo, incluindo o Futebol Solidário no C.T. do São Paulo Futebol Clube.

A ABB Formula E terá sua terceira prova no ePrix de Santiago do Chile, em 18 de janeiro do ano que vem. Felipe Massa ainda não somou pontos pela ROKiT Venturi Racing.Já Lucas di Grassi ocupa a quinta colocação na classificação geral do campeonato.

Foto: Pedro Bragança/Clickspeedstudio-RF1

Calendário da America’s Cup World Series para 2020

22/12/2019 20:35

A America’s Cup é o maior evento de vela do mundo ao lado da The Ocean Race e dos Jogos Olímpicos.

Para promover a competição, que ocorre de quatro em quatro anos, a organização faz a chamada World Series.

E em 2020, o calendário inclui regatas com os AC75 em Cagliari, Portsmouth e Auckland.

Os matchs começam na italiana Cagliari de 23 a 26 de abril.

Na inglesa Portsmouth será de 4 a 7 de junho e na casa dos defensores, na Nova Zelândia, de 17 a 20.

Depois da ACWS  ocorre a Prada Cup Challenger Selection Series, que determinará qual barco vai enfrentar o Emirates Team New Zealand na final.

São cinco barcos AC75 confirmados, incluindo o vencedor.

A America’s Cup é assim: o campeão escolhe o barco e os locais das regatas finais.

Além disso entra na finalíssima direto! Em 2017, os neozelandeses bateram os norte-americanos do Oracle .

O defender sairá da seletiva, que será disputada de 6 a 21 de março de 2021 em Auckland.

The America’s Cup with the new Prada case.
Grant Dalton, CEO Emirates Team New Zealand, Peter Burling, Helmsman Emirates Team New Zealand, Max Sirena, skipper Luna Rossa, Sir Ben Ainslie, skipper INEOS Team UK, Terry Hutchinson, skipper American Magic

Inglaterra

Nessa semana, a America’s Cup confirmou a cidade de Portsmouth para o World Series.

É a casa de Sir Ben Ainslie, comandante do INEOS UK.

“Estamos realmente ansiosos para competir na frente de nossa torcida novamente”.

”Os eventos de 2015 e 2016 em Portsmouth tiveram cerca de 250.000 fãs alinhados na orla marítima da Southsea”.

”Estamos confiantes de que as regatas serão verdadeiros espetáculos”.

Team INEOS de vela e ciclismo faz parceria com a Mercedes na F1

21/12/2019 18:51

A INEOS e a Mercedes-AMG Petronas Motorsport firmaram uma nova parceria esportiva.

As organizações britânicas de ciclismo e vela se juntam a mais vitoriosa equipe de Formula 1 dos últimos tempos.

O acordo de parceria técnica entre alemães e ingleses será implantado para os próximos campeonatos, que incluem a America’s Cup (vela) e Tour de France (Ciclismo).

Os alemães da Mercedes têm os últimos seis campeonatos de pilotos e construtores de F1 com  o time liderado por Lewis Hamilton.

No ciclismo, a INEOS teve sete dos últimos oito vencedores do Tour de France.

Já o Team INEOS será o desafiante da Grã-Bretanha pela 36ª edição da América’s Cup.

O INEOS TEAM UK é comandado por Sir Ben Ainslie.

A equipe F1, por meio de sua nova divisão de Ciências Aplicadas, fará parceria com as equipes do INEOS para apresentar soluções para os desafios tecnológicos das três modalidade.

A ideia é “identificar e desbloquear ganhos reais de desempenho”.

A parceria alavancará os especialistas técnicos e os recursos tecnológicos da Mercedes em todos os aspectos do desempenho.

Vale desde aerodinâmica e simulação até projeto e engenharia de precisão.

“Aproveitar a experiência e o sucesso incomparáveis ​​da equipe Mercedes de Fórmula 1 para apoiar nossas ambições esportivas em velejar e andar de bicicleta é uma proposta interessante para nós”, disse Jim Ratcliffe, fundador e presidente do INEOS.

”Assim como o ciclismo e a vela, a Fórmula 1 é um esporte que combina com sucesso o desempenho humano e de máquinas, por isso estamos em uma posição forte para aprendermos uns com os outros”.

”A colaboração e a inovação são uma parte essencial do sucesso de nossas equipes esportivas, fortalecidas por essa parceria com a Mercedes”.

Toto Wolff, chefe de equipe e CEO da Mercedes-AMG Petronas acrescentou:

”As demandas tecnológicas da Fórmula 1 significam que estamos bem posicionados para apoiar desafios técnicos avançados em áreas específicas de vela e ciclismo, com foco especial na aerodinâmica e na capacidade de fabricação”.

A Mercedes também está inserida na Formula E!

 

 

 

Boxing For You: Principal evento de boxe brasileiro cresce em 2019

20/12/2019 11:58

O Boxing For You promoveu em 2019 três noites de luta reunindo os melhores atletas da nobre arte.

O evento considerado o melhor da América do Sul da modalidade inovou ao trazer os últimos três medalhistas olímpicos brasileiros para o mesmo card, ou seja, colocou Adriana Araújo, Esquiva Falcão e Robson Conceição em ação em março deste ano em Mangaratiba (RJ).

As outras duas edições ocorreram em São Paulo (SP), na Arena de Lutas, e tiveram como protagonista a baiana Adriana Araújo, campeã mundial silver no Boxing For You. Em 2020, a competição deve ser ampliada com até oito noite de lutas, de acordo com o CEO e ex-campeão mundial Sergio Batarelli.

“O ano de 2019 foi de consolidação do novo boxe profissional brasileiro. A modalidade estava meio que adormecida e o Boxing For You veio para acordar esse grande esporte. Com o aparecimento do B4Y vários eventos surgiram e isso é ótimo. Os lutadores pararam um pouco de migrar para o MMA e viram que é possível viver profissionalmente do boxe”.

Com a única medalhista olímpica do boxe em seu cartel, o Boxing For You está prestes a transformar a baiana Adriana Araújo na mais nova campeã mundial de boxe. A atleta, que já detém o título de Campeã Mundial Silver do CMB, vai agora em busca do cinturão principal em março, provavelmente.

”O ano de 2020 também vai ser o das mulheres, mas estamos investindo também no peso pesado Igor Moreno, que ano que vem possa disputar um título latino. O Boxing For You veio para ficar. Antes ninguém queria se envolver com boxe.”, disse Sergio Batarelli.

Além do esporte, o B4Y oferece aos patrocinadores uma plataforma completa que vai desde a experiência de marca nos eventos, passando por uso de imagem de atletas, conteúdo integrado nos canais próprios e transmissão na TV aberta, PayTV, streaming e redes sociais, com formatos inéditos e exclusivos.

”O nosso pioneirismo de ter colocado uma luta feminina, e por cinturão mundial, na TV aberta foi marcante. Antes, aqui no Brasil, todo mundo só pensava em MMA. O legal é ver os outros indo atrás nessa onda”.

O Boxing For You comemorou em outubro o recorde de audiência na TV Bandeirantes com a transmissão da luta entre a brasileira Adriana Araújo e a argentina Cláudia Lopez, que valeu o título mundial silver do CMB – Conselho Mundial de Boxe, na categoria Super-Leves (até 63,5 kg) para a pugilista baiana.

Segundo dados enviados pela emissora paulista, durante o combate na madrugada do sábado, dia 19 de outubro, o canal aberto da Band dobrou o número de pessoas assistindo.

O número de audiência subiu quando Adriana Araújo confirmou por pontos o cinturão.

O BandSports, que mostrou o card completo de seis lutas, atingiu, na madrugada, a mesma audiência de programas esportivos líderes em seus horários no vespertino, mostrando o grande interesse do público pelo boxe brasileiro.

A projeção do BSM Group, que promove o Boxing For You, é ampliar as transmissões em 2020, podendo exibir até uma noite de lutas por mês na TV aberta. Nesta temporada, todos os canais esportivos da grade, com exceção da ESPN Brasil, transmitiram o evento.

“2020 será marcado pelo renascimento do boxe brasileiro aqui e no cenário mundial. É um esporte querido e que sentia falta de eventos de qualidade. Vamos montar um bom calendário. Levaremos eventos outros estados brasileiros e ainda teremos nossos principais pugilistas envolvidos em grandes lutas fora do Brasil”.

”As pessoas voltaram a assistir boxe novamente. Nós esse ano plantamos a semente para ano que vem colher um pouco”, completou Sergio Batarelli.

O Boxing For You 7 foi realizado na Arena de Lutas, em São Paulo (SP) e teve ao todo seis lutas.

“Evoluímos de eventos spots para um calendário estruturado, consistente que traz visibilidade, engajamento e envolvimento com a audiência”, explicou Reginaldo Ferrante, CMO do Boxing For You.

“As transmissões seguirão ocupando importante espaço nos canais a cabo, haverá o crescimento da plataforma de streaming e as emissoras de TV aberta aumentam a cada dia o espaço do boxe em sua programação esportiva”, completou.

 

GC32 confirmado em 2020

19/12/2019 09:55

O circuito Racing Tour GC32, que é formado por catamarãs, vai para sua sétima edição no ano que vem.

Segundo a organização do campeonato, o torneio conta com algumas características que são chaves para o sucesso.

São elas: alto nível, velocidade muita alta das embarcações, equipes com as combinações certas entre profissionais e amadores, e neste último ano de 2019 contou com alguns grandes times que vieram do Extreme Sailing Series.

O curioso é que dessas novas equipes participantes do circuito disputaram o título nessa temporada.Oman Air e Alinghi foram até fim disputando o lugar mais alto no pódio.

Melhor para o time do skipper Ernesto Bertarelli (Alinghi).Para o ano que vem quatro das cinco etapas já tem locais confirmados: Mascate (Omã), Riva del Garda (Itália), Lagos (Portugal), Villasimius (Itália) por enquanto estão garantidos no circuito.

”É um privilégio sediar a primeira etapa do GC32 Racing Tour. Mascate sempre garante boas condições para os velejadores. Nós temos uma grande estrutura e nos preparamos para receber esses eventos”, disse David Graham, diretor de vela em Omã.

Vale ressaltar que semanas antes da abertura da sétima edição ambos os times farão treinamentos na cidade de Mussanah, que fica próxima a sede Mascate.

O local da última etapa, segundo o circuito, será divulgado em breve.

Intercâmbio entre Santa Catarina e Paraná impulsiona triathlon

18/12/2019 14:39

Os alunos da Escolinha de Triathlon Formando Campeões, do Paraná, foram a São José (SC) para um intercâmbio com a garotada da Associação Desportiva de Santa Catarina.

Com o objetivo de fortalecer as equipes de base, foram três dias de palestras, oficinas e aulas práticas.

Além do mais, o evento contou com a participação da triatleta de nível internacional Djenyfer Arnold.

As duas escolinhas estiveram juntas pela primeira vez em julho, num training camp inédito em Curitiba.

Com o sucesso do evento, as equipes promoveram um novo período de imersão, desta vez na sede da ADTRISC.

Dessa maneira, o objetivo era trocar experiências e conhecimentos, ajudando a fortalecer as categorias de base do esporte, sobretudo no sul do País, onde o triathlon ganha fôlego.

 ”Programamos uma série de atividades visando não só o treinamento em triathlon, mas também o desenvolvimento pessoal dos atletas”, explica Elinai Santos, coordenadora da Escolinha da ADTRISC.

Um grupo de 22 alunos, das duas escolinhas, participaram do training camp, entre os dias 12 e 14.

Conforme a programação, eles tiveram treinos técnicos, palestras sobre fortalecimento muscular e primeiros socorros, treinos práticos de corrida e natação em águas abertas e até uma sessão de psicologia positiva.

Assim, aprenderam técnicas de respiração, meditação e ginástica natural.

”Trabalhamos com forças de caráter, virtudes e qualidades humanas. Tivemos atividades de gratidão e de otimismo, já pensando na próxima temporada”, destaca Elinai.

 O training camp terminou no sábado (14) pela manhã, com uma oficina prática de natação em águas abertas, com Djenyfer Arnold.

Ainda que seja destaque como atleta do Esporte Clube Pinheiros, de São Paulo, a ex-maratonista ingressou na carreira de triatleta na Escolinha da ADTRISC.

Então, em três anos, a catarinense acumulou o vice-campeonato da America Cup, o quarto lugar geral no Campeonato Sul-Americano em Montevidéu. Além disso, encerrou esta temporada com o título de campeão brasileira no triathlon sprint, aquathlon, duathlon e triathlon standard.

 

Responsável pelos alunos do Paraná no training camp em Santa Catarina, Jessica Rodrigues aprovou a integração entre as duas equipes.

Professora do núcleo Oswaldo Cruz da Escolinha de Triathlon, Jessica também viveu intensamente a troca de experiências com outros treinadores.

”Me surpreendi positivamente com nossos alunos, todos comprometidos em realizar as atividades propostas da melhor maneira possível”.

”Foram dias em que, além de aprendermos sobre o esporte, também aprendemos a lidar com as diferenças e particularidades de cada um. Isso porque todos passaram a maior parte do tempo juntos, algo que não acontece na rotina de treinos diária”, destaca Jessica.

Regata The Ocean Race define Shenzhen (China) como cidade-sede

A The Ocean Race confirmou que fará uma parada na Ásia, mais precisamente na chinesa Shenzhen, na edição 2021-22.

Será a quinta vez na história que o maior país do mundo participa da competição de vela oceânica recebendo os veleiros.

Localizada ao norte de Hong Kong, em uma área conhecida como Great Bay, Shenzhen está entre as cidades mais prósperas e de crescimento mais rápido da China nos últimos 30 anos.

Como sede de muitas das principais empresas e fabricantes multinacionais, é um centro importante para muitas partes interessadas na regata.

“Nos últimos anos, a China reconheceu o tremendo potencial da área de Great Bay, priorizando seu desenvolvimento, centrado em Shenzhen, nas novas políticas e usando sua geografia oceânica para obter o máximo proveito”, enfatizou Li Xi, secretário do Comitê Provincial de Guangdong.

A Ocean Race está visitando a China desde a edição de 2008-09. Agora, a regata vai parar em Shenzhen, também conhecida como o Vale do Silício da China, e lar de uma população que se aproxima de 20 milhões.

“Esta é a quinta edição consecutiva da regata com escala na China”, disse Johan Salén, diretor administrativo da The Ocean Race.

E por falar em China, o país é o atual campeão da Ocean Race. Em 2017-2018, o Dongfeng Race Team superou os adversários na última etapa e se sagrou vencedor.

“O barco chinês venceu a prova com o final mais próximo da história, e a parada na China foi importante para aumentar a base de fãs local, tanto para a equipe quanto para o evento. ”

A edição de 2021-22 da The Ocean Race contará com duas classes de barcos – a inovadora IMOCA 60, juntamente com os barcos VO65 de design único da vez passada.

“Abrir a regata para a flotilha IMOCA 60 e para o VO65 significa que podemos ter o melhor dos dois mundos”, explicou Salén. “Na última edição, os VO65s provaram ser rápidos e confiáveis ​​e promoveram provas icônicas”.

Mais sobre a parada chinesa

A navegação offshore não é novidade para as pessoas da Great Bay e do sudeste da China, que se orgulham de sua rica herança marítima.

Atualmente, um ambiente favorável e novas tecnologias oferecem grandes oportunidades para os entusiastas do esporte e jovens organizarem atividades e formarem equipes para participar de regatas futuras, revivendo a tradição regional da vela.

As últimas quatro edições da volta ao mundo apresentaram times com bandeiras chinesas, culminando com a vitória do Dongfeng Race Team em 2017-18.

Pelo menos uma entrada chinesa é esperada para a edição de 2021-22 da The Ocean Race.

A Ocean Race está programada para começar no porto de origem em Alicante, Espanha, no quarto trimestre de 2021, e terminar em Gênova, na Itália, em junho de 2022.

Shenzhen, China, ingressa na lista ao lado da Cidade do Cabo, na África do Sul; Auckland, Nova Zelândia; Itajaí, Brasil; Aarhus, Dinamarca e Haia, na Holanda, são cidades-sede confirmadas, juntamente com Cabo Verde, que será a primeira parada da África Ocidental na história da competição oceânica.