Multi 50 Groupe GCA abre na liderança da Transat Jacques Vabre

05/11/2019 17:03

Os franceses Gilles Lamiré e Antoine Carpentier já percorreram 75% do percurso entre a França e o Brasil.

O ato final no Oceano Atlântico é a entrada nos Doldrums, zona de convergência intertropical com ventos praticamente indecifráveis.

A regata Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre deve ser decidida nesta quinta-feira (7) com a provável vitória do Groupe GCA – Mille et un sourires, catamarã da Multi50.

Os franceses Gilles Lamiré e Antoine Carpentier já percorreram 75% do percurso entre a França e o Brasil. O ato final no Oceano Atlântico é a entrada nos Doldrums, zona de convergência intertropical com ventos praticamente indecifráveis.

Vence a regata a dupla que entrar e sair primeiro desta área. Restam menos de 2 mil quilômetros para o Groupe CGA – Mille et un sourires cruzar a linha de chegada na Baía de Todos-os-Santos, em Salvador (BA).

O segundo na Multi50 é o Solidaire En Peloton – ARSEP, que está pelo menos 7 horas atrás dos líderes.

Os barcos devem passar pela Linha do Equador nas próximas horas e acelerar próximo à costa brasileira com ventos de média intensidade, segundo a previsão local.

”Estamos mais rápidos do que o Primonial e mais lentos do que o GCA. Nunca encontramos a mesma força de vento deles, e isso é bastante doloroso e frustrante”, explicou Thibault Vauchel Camus do Solidaires En Peloton – ARSEP.

O Primonial, que é o terceiro na tabela da categoria dos multicascos chegou a liderar a regata no início, mas um pit-stop em Cabo Verde tirou as chances de equipe por enquanto de ganhar o campeonato.

A dupla está mais de 500 quilômetros em desvantagem para os primeiros. Mas regata tudo pode acontecer e literalmente só ‘termina quando acaba’.

A Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre não tem apenas os Multi50. Disputam a prova veleiros da IMOCA60 e Class40, que estão espalhados pelo Oceano Atlântico.

Largaram de Le Havre, na França, 59 barcos e sete já ficaram pelo caminho.

Na IMOCA, o Charal conseguiu abrir vantagem para APIVIA e 11th Hour Racing e se conseguir gerenciar melhor a passagem pelos Doldrums terá vantagem, assim como o líder da Multi50.

A tendência é que o vencedor da categoria dos 60 pés cruze a linha de chegada no sábado (9), trazendo com ele, no fim de semana, pelo menos outros 12 barcos. A categoria IMOCA conta com 27 veleiros em modo regata.

Na Class40, o Credit Mutuel da dupla Ian Lipinski e Adrien Hardy está mais de 80 quilômetros à frente de seus perseguidores do Leyton.

Os dois veleiros que estão na ponta completaram nesta terça-feira (5) 50% de prova. Os ventos alísios ao norte de Cabo Verde foram muito fortes ajudando quem está na frente.

”O Crédit Mutuel é sempre mais rápido nessas são suas condições. Tentamos manter o ritmo e ficar na briga”, disse o francês Aymeric Chappellier, do Aïna Enfance & Avenir, terceiro colocado na disputa do Class40.

A previsão é que o primeiro colocado da categoria dos 40 pés da Transat Jacques Vabre termina a regata na quarta-feira (13). Ao todo, 22 veleiros da classe seguem em disputa no Atlântico.

 

Autor: Flávio Perez

Flávio Perez é jornalista esportivo e gestor de esportes.

Compartilhe: