Ex-aluna da UNIVALI é coordenadora de uma das maiores regatas do mundo

20/10/2019 13:35

A regata Transat Jacques Vabre tem uma relação especial com o Brasil desde seu início e uma ex-aluna da UNIVALI trilha um caminho de gerência na organização com base na França.

A catarinense Raquel Cruz, formada em comunicação social na instituição, ganhou um concurso cultural do antigo Comitê Central Organizador da Aventura Pelos Mares do Mundo e viajou em 2013 para Le Havre, na França, sede da regata, com tudo pago.

Raquel e Karine Mendonça (hoje secretária-ajunta da secretaria de comunicação de Itajaí) foram escolhidas após escreverem as melhores redações sobre o mito de Iça-Mirim, um indígena que teria sido levado da costa catarinense por navegadores franceses no ano de 1504.

Itajaí, ainda no fervor da Volvo Ocean Race de 2012, era a cidade-sede da Transat Jacques Vabre, um dos maiores eventos esportivos do mundo. Os catarinenses também receberam a edição seguinte, de 2015.

Veja a entrevista na íntegra abaixo

A viagem abriu os olhos de Raquel para novas oportunidades como recém-formada. A vela oceânica, ainda tão pouco explorada no País profissionalmente, ganhou um capítulo especial em seu currículo.

”É uma oportunidade de conhecer um evento internacional com impacto midiático internacional, e toda a parte global, não só a largada, mas toda a preparação. A gente começa a pensar na edição um ano antes, trabalhando para a edição que estar por vir”, explicou a brasileira.

A escalada de Raquel Cruz foi exponencial, começando como ajudante de redação com o jornalista Flávio Perez (eu mesmo) em 2013. Já em 2015, a jovem de Taió (SC) era responsável pelas mídias sociais com seu francês praticamente fluente.

A partir de 2017, quando a regata voltou para Salvador, na Bahia, a Associação Transat Jacques Vabre definitivamente a contratou com apoio da agência Mil et une Vagues.

Hoje Raquel Cruz é diretora da Transat Jacques Vabre, sendo uma das responsáveis por toda a operação da travessia do Atlântico em duplas.

A prova deste ano larga em 27 de novembro com 60 barcos inscritos na competição navegando para Salvador. A regata é considerada uma das cinco maiores do mundo.

 

Após a edição 2019, a organização vai lançar as candidaturas pra 2021. Pergunta sobre uma possível volta da Transat Jacques Vabre pra Itajaí, Raquel Cruz não titubeou

”Hoje, Itajaí tem as melhores condições para receber uma regata desse cunho, principalmente pelas marinas e eu como catarinense, mesmo estando fora de casa, obviamente ficaria muito feliz se um esporte como esse voltasse para Santa Catarina”.

”Tem tudo para ser possível mas depende do momento da cidade, que precisa abraçar o evento para que dê certo. É preciso que a cidade crie oportunidades que sejam paralelas para que seja feito um legado”, completou Raquel Cruz.