Cariocas praticamente garantem título do Mundial Jr. de Snipe 2019

03/10/2019 16:56

Pelos cálculos, dificilmente Gustavo Abdulklech e Leonardo Motta vão perder o Mundial Jr. de Snipe

O desempenho deles é praticamente de 100%!

Os cariocas venceram quatro das cinco regatas disputadas em Ilhabela (SP) e abriram 11 pontos de vantagem para os três barcos que dividem a segunda colocação do evento.

Nas duas provas disputadas nesta quinta-feira (3) no Canal de São Sebastião, Gustavo Abdulklech e Leonardo Motta conseguiram um segundo lugar na primeira e venceram a última do dia. Os dois têm apenas 6 pontos perdidos.

Os resultados colocam os cariocas no caminho do título Mundial de Snipe Júnior 2019. Faltam apenas quatro regatas e ainda entrará o descarte do pior resultado. Mesmo com a vantagem confortável, os dois pretendem seguir a mesma estratégia nas próximas provas em Ilhabela (SP).

”Fizemos um dia bom e conseguimos continuar a andar rápido, mesmo com alguns erros. Vamos analisar o vento de amanhã (quinta) para tomar as decisões. Mas nosso objetivo é seguir o que estamos fazendo”, disse o timoneiro Gustavo Abdulklech, que levou mais uma vez o prêmio The Best of the day.

Como manda a regra, os líderes entram na água com uma bola dourada na vela principal. Outros eventos como o Tour de France de ciclismo, por exemplo, sempre indentificam o primeiro colocado no geral na prova seguinte.

Gustavo Abdulklech e Leonardo Motta foram superados no Mundial de Snipe Júnior em apenas uma regata. Os portugueses Mafalda Pires e Tomas Pires ganharam a primeira prova do dia e assumiram a segunda colocação no geral.

Outros dois barcos estão com a mesma pontuação dos irmãos Pires, com desvantagem apenas pelos critérios de desempate. Os brasileiros Matheus Oliveira e Rafael da Silva (Escola de Vela de Ilhabela) e Rafael Rizzato e Gerald Wicks (Yacht Clube da Bahia) também somam 17 pontos perdidos.

”Ficamos felizes pelo resultado. Bastante decente. A primeira regata foi boa e a segunda nem tanto. Temos pontos a melhorar para as próximas”, contou o português Tomas Pires.

A dupla campeã mundial júnior vai levar pra casa o Troféu Vieri Lasinio Di Castelvero nas provas de 2 a 5 de outubro. Podem disputar velejadores de até 22 anos a competição internacional.

São ao todo 15 barcos de cinco países: Argentina, Brasil, Japão, Portugal e Uruguai. A Escola de Vela Lars Grael é a sede a competição.

As regatas desta quinta-feira foram realizadas com vento de sul e intensidade variando de 15 a 19 nós. A organização deve fazer mais duas provas nesta sexta-feira (4).

 

 

Pesquisa aponta rumos da Semana de Vela de Ilhabela 2020

O comitê organizador da Semana Internacional de Vela de Ilhabela agradeceu os velejadores e a comunidade da vela que participaram da pesquisa de avaliação da edição de 2019.

Os representantes do evento leram e avaliaram os resultados. Os participantes das regatas e a comunidade da vela oceânica responderam uma série de perguntas sobre a competição, que ocorreu de 13 a 20 de julho.

A pesquisa avaliou a estrutura do Yacht Club de Ilhabela (YCI), elogiada por mais de 80% dos entrevistados, além das raias, organização técnica, produção, comunicação e atrações dentro e fora do clube. As sondagens foram de 1 a 4, ou seja, onde 1 quer dizer insatisfeito e 4 muito satisfeito.

<img src=”http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/files/2019/10/369510_909618_whatsapp_image_2019_07_14_at_20.47.43-1024×682.jpeg” alt=”” width=”1024″ height=”682″ class=”alignnone size-large wp-image-4544″ />

Os velejadores também indicaram em sua maioria a opção das datas de 2020 da Semana Internacional de Vela de Ilhabela. A 47ª edição do principal evento da modalidade na América do Sul será realizada de 4 a 11 de julho.

A competição será antecipada em uma semana em relação ao ano de 2019 em função dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, que serão disputados de 24 de julho e 9 de agosto.

”Analisamos todos os resultados e, na medida do possível, atenderemos as sugestões. Esse feedback é muito importante para nós”.

”Ouvir o nosso público é importante para fazer a próxima edição ainda melhor. O desafio de fazer a competição é muito grande, mas a equipe de profissionais envolvida e, principalmente, o apoio da Prefeitura de Ilhabela, colocam a Semana de Vela no hall das principais regatas da América, um evento imperdível para os velejadores brasileiros”, disse Mauro Dottori, organizador da Semana Internacional de Vela de Ilhabela e diretor do YCI.

Por meio da pesquisa, o comitê organizador também buscou saber sobre a possibilidade de fazer a regata ‘Vela do Amanhã’ em 2020. A prova, que seria no dia de folga pós Alcatrazes, com os alunos da Escola de Vela de Ilhabela foi cancelada devido às condições meteorológicas.

A análise também mostrou que a maioria quer regatas todos os dias da semana, exceto no descanso após a prova mais longa do calendário, como a já citada Alcatrazes. A porcentagem foi 78,57. A outra opção era reinicio na quarta-feira.

”Organizar a Semana de Vela é um grande desafio que começa bem antes das regatas de julho. O número de pessoas envolvidas é muito maior do que os mais de mil velejadores. Eles se juntam aos profissionais de produção, logística e segurança, além do grupo de árbitros e fiscais em Ilhabela”, completou Vanessa Lombardi, diretora da Full Time Eventos.

&nbsp;