Saiba como participar da Semana Internacional de Vela de Ilhabela

28/06/2019 15:56

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela oferece várias opções para velejadores e amantes do mar participarem do evento, considerado o maior da América do Sul na modalidade. A competição chega à sua 46ª edição em Ilhabela (SP) e reúne não só atletas campeões como amadores e até marinheiros de primeira viagem.

O campeonato será realizado de 13 a 20 de julho e terá várias classes no calendário, incluindo as que possuem maior número de amadores ou cruzeiristas, como a Bico de Proa e a RGS. Nesses casos, os donos usam as embarcações durante o ano para laser e nas férias de inverno se juntam à flotilha, que já ultrapassou 100 barcos para a edição 2019.

Os caminhos para disputar as provas não obrigam o velejador ser profissional, muito menos ser proprietário de um barco! Escolas de vela, aluguel de embarcações, o bolsa tripulante e até cotas estão no radar.

Os futuros velejadores podem se inscrever em escolas de vela da região e treinam durante o ano com seus colegas. Um skipper experiente comanda os barcos e distribui as funções a bordo, como é o caso da Veleiros Eventos, de Hillpert Zamith. O veleiro H2Orça está inscrito na Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 na classe Bico de Proa.

”A gente não tem compromisso com a vitória e sim ensinar o velejador a participar de uma regata e velejar. O aluno vai se preparar em situações diversas, como ventos muito fortes, superiores a 30 nós, e calmaria”, disse Hillpert Zamith.

Correr a Semana Internacional de Vela de Ilhabela para os aprendizes na modalidade pode ser considerado um curso intensivo de oceano, pois os alunos aprendem inúmeras situações de velejada em um curto espaço.

A escola BL3, por exemplo, que vai disputar o evento com dois barcos nesta temporada, a cada ano oferece aos alunos essa experiência no mar do litoral norte de São Paulo.

”A quantidade de coisas que ocorre em uma tarde de regata se equivale a anos de uma velejada em cruzeiro, ou seja, os participantes vivenciam uma série de situações como manobras, trocas de velas, regras de segurança numa prova. Aí quando o aluno vai para o cruzeiro dá mais conta”, contou Pedro Rodrigues, da BL3, que vai com os barcos Urca e Mangalô.

Aluguel

Uma das opções que a cada ano é mais utilizada é o aluguel de barcos. Em 2018, por exemplo, os argentinos do Gualicho del Sur buscaram um HPE-25 para correr as regatas de julho. No ano anterior, o Mad Max fez a mesma coisa e saiu campeão da HPE-30.

”O brasileiro não tem muito essa cultura de alugar o barco. Tem um carinho para com a embarcação, é como se fosse um filho. Na Europa é muito diferente, se você quer correr um campeonato tem como encontrar várias opções. Isso que a gente quer aqui! Quanto mais barco tiver para alugar no Brasil, mais fácil para o estrangeiro vir”, explicou Cuca Sodré, um dos organizadores da Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

Cotistas

Os velejadores podem comprar vagas em barcos para o evento e juntar um grupo de amigos para comprar uma embarcação.

Há também a opção de fazer em cotas, o que pode facilitar a vida de quem quem vivenciar experiência da maior regata do País. Na linguagem moderna é a tal propriedade compartilhada. Neste caso, os cotistas agendam os dias para utilizar visando o laser ou até mesmo as regatas.

O Atobá, que é um barco de propriedade compartilhada, terá um comandante que adquiriu uma das cotas durante a Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

”É a otimização de recursos também na vela. Podemos dizer que isso é uma tendência mundial, hoje a propriedade compartilhada está em carros de luxo, lanchas, casas de veraneio e agora na modalidade vela”, explicou Hillpert Zamith, idealizador do barco compartilhado em cotas.

Bolsa tripulante

Todos os anos, a organização da Semana Internacional de Vela de Ilhabela abre a Bolsa Tripulante. Por meio do site oficial do evento, velejadores amadores que não tem barco próprio podem concorrer a uma vaga para disputar as regatas.

Os candidatos informam os dados pessoais e detalhes pertinentes ao mundo náutico como experiência, peso e função a bordo. Os comandantes dos times analisam a lista e podem escolher o tripulante.

”Meu objetivo é ter experiência em outros barcos, pois já corri a Semana de Vela com aluno de uma escola de vela. A competição é muito boa e tive a oportunidade de participar de todas as funções a bordo!”, contou Adriano Ferri, que está na lista do bolsa tripulante.

Mais informações em http://www.sivilhabela.com.br/bolsa-de-tripulantes/

Inscrições

O evento entrou no segundo lote de inscrições. A partir de 11 de junho até o dia 30 de junho, o velejador integrante de barco que não necessita usar poitas ou a marina do YCI desembolsará R$ 140.

Já os que utilizarem as poitas do Yacht Club de Ilhabela (YCI) pagam R$ 300 e os que necessitarem de vagas na marina do clube R$ 420. Os valores são por tripulante. As inscrições seguem abertas pelo site http://sivilhabela.com.br/.

O desconto de 30% da classe RGS passa a valer apenas para os veleiros afiliados à ABVO – Associação Brasileira de Veleiros de Oceano. Caso contrário, os valores vigentes serão os da tabela ORC, IRC, C30, HPE 30, Multicasco e HPE 25.

Para as categorias dos barcos Clássicos e Bico de Proa, o desconto de 30% na inscrição está mantido. A medida atende a um pedido da própria ABVO. A Semana Internacional de Vela de Ilhabela reforça a importância da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano como fomentadora da modalidade no País.

 

Semana de Monotipos abre calendário de regatas de julho

25/06/2019 15:18

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 na sua versão de oceano será de 13 a 20 de julho, mas dias antes ocorre na mesma raia em Ilhabela (SP) a tradicional Semana de Monotipos.

A competição aberta para todas as idades ocorre de 6 a 9 e terá 11 categorias, que são usadas em regatas olímpicas, pan-americanas e da vela de base. As classes convidadas são: Optimist, Laser (4.7, Radial e Standard), Snipe (Geral e Junior), Hobbie Cat 16, 420, Dingue (Geral e Estreante), Open Bic, 29er, Windsurf Slalom, Star e Kitsurf.

A organização espera receber mais de 300 velejadores para os quatro dias de competição. O campeonato será na Escola de Vela Lars Grael, que fica no Campo de Aviação, e é aberta a velejadores a partir dos 8 anos de idade.

As provas da Semana de Monotipos serão disputadas no canal de São Sebastião e separadas em 6 raias. As divisões de classes por raias serão informadas na Instrução de Regatas.

”Para nós da ilha e apaixonados por este esporte, é difícil imaginar julho sem a Semana Internacional de Vela de Ilhabela! Faz parte da nossa história, além de reunir embarcações de diversos estados brasileiros e países vizinhos”, disse Beto de Jesus, secretário de esportes de Ilhabela.

”Para a vela de monotipos em especial, os projetos sociais se tornaram ponto de encontro. As inscrições são gratuitas, uma forma de incentivo para que os pequenos futuros velejadores possam interagir e fazer parte desta grande festa da vela brasileira”.

O campeonato também terá equipes estrangeiras, assim como a Semana Internacional de Vela de Ilhabela. ”Na classe Snipe teremos participação de vários países que vem para treinar, pois em outubro acontecerá o mundial da classe”, disse Cuca Sodré, presidente da Comissão de Regatas. ”Estão confirmados Cuba, Argentina, Uruguai e Chile”.

Os velejadores que disputam a Semana de Monotipos também podem participar da Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019.

A novidade para esta temporada é a a regata Vela do Amanhã. A prova com as 60 crianças e adolescentes que fazem parte dos projetos da ilha será na segunda-feira, 15 de julho, um dia após a realização da Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil e as outras regatas de abertura do evento.

A data foi escolhida justamente por ser o dia de folga dos velejadores que vão enfrentar os trajetos mais longos do calendário da competição.

Todos os barcos inscritos na Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 podem participar da regata Vela do Amanhã.

Em paralelo com a Semana de Monotipos também ocorre o Brasileiro do 7º Distrito da classe Star. A competição reúne os principais nomes da categoria, que acaba de coroar o medalhista olímpico Bruno Prada como pentacampeão mundial. O atleta velejou ao lado do polonês Mateusz Kusznierewicz na competição, disputada em Porto Cervo, na Itália.

Outros nomes da Star estão na lista da Semana de Monotipos como o bronze no mundial, Henry Boening, Arthur Lopes e Marcelo Bellotti.

”A classe Star é classe mais tradicional entre os monotipos em atividade no Brasil. E hoje, conta com o recente título (quinto com 3 timoneiros diferentes) do Bruno Prada. Recordista em títulos mundiais na classe. Com sempre será uma competição muito disputada, com alguns barcos campeões sul-americanos como o Marcelo Fuchs, Alessandro Pascolato, Marcelo Bellotti, Maurício Bueno, além do Henry Boening. Teremos também duas tripulações argentinas”, disse Arthur Lopes, representante da classe.

Inscrições

O evento entrou no segundo lote de inscrições. A partir de 11 de junho até o dia 30 de junho, o velejador integrante de barco que não necessita usar poitas ou a marina do YCI desembolsará R$ 140. Já os que utilizarem as poitas do Yacht Club de Ilhabela (YCI) pagam R$ 300 e os que necessitarem de vagas na marina do clube R$ 420. Os valores são por tripulante.

As inscrições seguem abertas pelo site http://sivilhabela.com.br/.

O desconto de 30% da classe RGS passa a valer apenas para os veleiros afiliados à ABVO – Associação Brasileira de Veleiros de Oceano. Caso contrário, os valores vigentes serão os da tabela ORC, IRC, C30, HPE 30, Multicasco e HPE 25. Para as categorias dos barcos Clássicos e Bico de Proa, o desconto de 30% na inscrição está mantido. A medida atende a um pedido da própria ABVO.

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela reforça a importância da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano como fomentadora da modalidade no País.

Pajero confirma participação na Semana Internacional de Vela de Ilhabela

24/06/2019 10:39

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 confirmou a inscrição de uma das equipes mais vitoriosas da vela oceânica nacional, o Pajero.

Foto: Aline Bassi | Balaio

Foto: Aline Bassi | Balaio

O barco é comandado por Eduardo Souza Ramos e conta com atletas de ponta como o atleta olímpico com três participações na Volta ao Mundo, André ‘Bochecha’ na função de tático. O time disputará o título da competição na classe ORC a bordo de seu S40. As regatas serão disputadas de 13 a 20 de julho em Ilhabela (SP).

Porta-bandeira do Brasil na olimpíada de Los Angeles 1984, Eduardo Souza Ramos projeta uma disputa novamente acirrada na Semana Internacional de Vela de Ilhabela. No ano passado, a equipe do Pajero perdeu o título para os gaúchos do Crioula, que venceram na classe ORC e bateram recorde da Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, prova que abriu o calendário de regatas do evento.

”As disputas sempre são acirradas, independente do lugar que você termine, sempre está competindo diretamente com vários outros barcos dentro de uma flotilha. Esta é uma das características deste esporte”, disse Eduardo Souza Ramos.

A última conquista do Pajero na Semana Internacional de Vela de Ilhabela foi em 2017. Eduardo Souza Ramos aposta na tripulação experiente e no potencial do veleiro de 40 pés projetado por Javier Soto, com 12.30 metros de comprimento.

”A nossa equipe tem uma certa estabilidade há muitos anos, como o André ‘Bochecha’ Fonseca, Sergio Rocha, Juninho Jesus e outros, com quem tenho prazer de navegar e só agradeço por me permitiram continuar velejando”, completou Eduardo Souza Ramos.

Premiação aos amadores

Em 2019, a Semana Internacional de Vela de Ilhabela inova ao oferecer uma premiação especial aos barcos considerados amadores na classificação geral das classes ORC e IRC. Os três primeiros times de cada categoria receberão medalhas e troféus da competição.

Para ser um time amador, os velejadores a bordo precisam apresentar certificado emitido pela World Sailing, entidade que rege a vela mundial, válido até o último dia do evento. Apenas um integrante da equipe poderá ser profissional.

A medida tem o objetivo de trazer ainda mais velejadores para o principal de vela oceânica na América do Sul. Na edição passada, mais de 900 atletas entre profissionais e amadores participaram das regatas.

”Acho correto premiar uma equipe amadora, mas não para distribuir mais prêmios, e sim para, talvez, incentivar a mais barcos que quiçá só sejam utilizados para lazer, a virem participar deste lindo evento. No passado, a flotilha tinha muito menos divisões, com mais barcos que lá estavam pelo prazer da festa e não pelos prêmios”, explicou Eduardo Souza Ramos, que é talvez o atleta que mais participou das regatas em Ilhabela.
”Como participei, acredito eu, da primeira em 1973 e de tantas outras, tendo tido a sorte de estar no pódio várias vezes, velejar a Semana de Vela é repetir o prazer de tantos momentos lindos que lá já vivi”.

O nome do barco é KHRISNA PAJERO. KHRISNA foi nome dado aos barcos de monotipo durante a carreira olímpica de Eduardo Souza Ramos.

Programação

A organização confirmou o Desfile de Abertura, que será no domingo (14), horas antes da primeira prova. A Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil abre o calendário, que conta com regatas de percurso longo, médio e barla-sota (entre boias). No domingo também, só que para os barcos menores, ocorrem as provas Ilha de Toque-Toque por Boreste e a Renato Frankenthal.

A competição contará também com a Regata Vela do Amanhã para crianças e adolescentes da Escola de vela Lars Grael e de outros projetos da região. A prova será na segunda-feira, 15 de julho.

O evento conta com velejadores de vários estados do Brasil e até do exterior. Atletas profissionais, medalhistas olímpicos, amadores e cruzeiristas participam das provas em Ilhabela.

Inscrições

O evento entrou no segundo lote de inscrições. A partir de 11 de junho até o dia 30 de junho, o velejador integrante de barco que não necessita usar poitas ou a marina do YCI desembolsará R$ 140. Já os que utilizarem as poitas do Yacht Club de Ilhabela (YCI) pagam R$ 300 e os que necessitarem de vagas na marina do clube R$ 420. Os valores são por tripulante.

As inscrições seguem abertas pelo site http://sivilhabela.com.br/.

O desconto de 30% da classe RGS passa a valer apenas para os veleiros afiliados à ABVO – Associação Brasileira de Veleiros de Oceano. Caso contrário, os valores vigentes serão os da tabela ORC, IRC, C30, HPE 30, Multicasco e HPE 25. Para as categorias dos barcos Clássicos e Bico de Proa, o desconto de 30% na inscrição está mantido. A medida atende a um pedido da própria ABVO.

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela reforça a importância da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano como fomentadora da modalidade no País.

Brasileiro Bruno Prada é pentacampeão mundial de Star

22/06/2019 15:07

Medalhista olímpico fez dupla com o polonês Mateusz Kusznierewicz em Porto Cervo (Itália)

O medalhista olímpico Bruno Prada conquistou, neste sábado (22), seu quinto título mundial da classe Star. O atleta velejou ao lado do polonês Mateusz Kusznierewicz na competição, disputada em Porto Cervo, na Itália.

Foram seis regatas disputadas e o título de
Mateusz e Bruno veio na última prova, como uma vitória. A medalha de prata ficou com o norueguês Elvind Melleby e o norte-americano Joshua Revkin e o bronze para a dupla formada pelo norte-americano Augie Diaz e o brasileiro Henry ‘Maguila’ Boening.

“Semana muito difícil de vento. Não fizemos nenhuma regata brilhante até a última, mas conseguimos manter uma média boa. Hoje era tudo ou nada! Velejamos muito agressivos e deu tudo certo, largamos bem e lideramos do começo ao fim. Muito feliz de ganhar meu quinto mundial de Star”, disse Bruno Prada.

O velejador venceu os mundiais de Cascais 2007, Perth 2011 e Hyeres 2012 com Robert Scheidt. O título de Miami 2016 foi com Augie Diaz. Bruno Prada tem uma prata em São Francisco 2006 e dois bronzes nos eventos de Miami 2008 e Melcesine 2014.

Bruno Prada também é duas vezes medalhista olímpico: prata em Pequim 2008 e bronze em Londres 2012.

Cidade do jogo França x Brasil no Mundial Feminino é sede da maior regata em duplas do mundo

21/06/2019 13:09

A seleção brasileira feminina de futebol enfrentra as anfitriãs francesas pela Copa do Mundo Fifa 2019 neste domingo (23), em Le Havre.

O jogo válido pelas oitavas de final da competição será no Stade Océane, às 16h (horário de Brasília). Mas não é o futebol que faz a cidade da Normandia conhecida.

Le Havre sedia um dos principais eventos de vela oceânica, a Transat Jacques Vabre, que tem o Brasil como destino final.

De dois em dois anos, as melhores duplas do mundo cruzam o Atlântico com destino a um país produtor de café.

Nas últimas três edições, a regata desembarcou em Itajaí (SC) e Salvador (BA). Em 27 de outubro de 2019, mais de 50 barcos iniciam a disputa da prova, novamente com a capital baiana como porto de chegada.

A competição é aberta aos veleiros das classes Class40, Multi50 e IMOCA60.

”A Transat Jacques Vabre é a mais longa regata oceânica disputada em duplas. É uma prova que exige alto nível de desempenho e muito entrosamento. Os participantes precisam superar os próprios limites o tempo inteiro, já que são apenas duas pessoas a bordo conduzindo o barco o mais rápido possível 24 horas por dia. É essa a oportunidade que a Transat Jacques Vabre oferece aos participantes e ao público: um evento festivo, mais acima de tudo esportivo, que demanda um alto nível de engajamento”, explica Gildas Gautier, diretor-geral do evento.

Além da Copa do Mundo Feminina e a Transat Jacques Vabre, Le Havre sedia também uma etapa uma etapa da FISE Experience.

Le Havre

O Brasil é lembrado em Le Havre justamente em um dos maiores cartões-postais. O “Le Volcan”, do arquiteto Oscar Niemeyer, é um centro cultural com salas de cinema, estúdios de gravação e espaços de convivência. 

O complexo é formado por dois volumes brancos afunilados, que se conectam por passarelas sinuosas. O vulcão foi construído em 1982 e foi revitalizado recentemente.

Le Havre tem quase 200 mil habitantes e está na região situada no noroeste da França, no estuário do Rio Sena.

O nome da cidade significa “O Porto”, já que desde seu início foi importante porto de navegação pelo Rio Sena e pelo mar, pelo Canal da Mancha.

Hoje, é o segundo maior porto da França. A cidade tem a chancela de Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Sobre a regata

A largada da edição 2019 da Transat Jacques Vabre será só em 27 de outubro e a organização já confirmou a parcial de 51 barcos inscritos até o momento.

O número recorde deve ser ainda maior com mais de 55 duplas. As inscrições terminam em 12 de julho de 2019.

A rota entre Le Havre e Salvador da Bahia é uma velha conhecida dos velejadores, já que esta será a sexta vez em que a regata Transat Jacques Vabre terá como destino Salvador (Bahia), a primeira capital do Brasil.

A travessia chama a atenção pelas várias condições meteorológicas encontradas pelo caminho.

O primeiro desafio a ser vencido é o perigoso golfo da Biscaia, entre a França e a Espanha. Em seguida, é preciso superar o anticiclone das Ilhas Canárias e a potência dos ventos alísios até a passagem pela linha do Equador.

Por fim, ainda conta com uma rápida descida pela costa do Nordeste brasileiro. Tudo isso, antes de entrar na movimentada Baía de Todos-os-Santos, segunda maior baía natural do mundo.

Barco da Alemanha confirmado na The Ocean Race

18/06/2019 16:28

O velejador alemão Boris Herrmann confirmou, nesta segunda-feira (17), sua inscrição para próxima The Ocean Race, novo nome da Volvo Ocean Race.

A regata de volta ao mundo será em 2021, com largada em Alicante, na Espanha.

O alemão vai competir novamente ao lado da sua tripulação conhecida como Malizia. Mas antes, o atleta terá um desafio em solitário, a Vendée Globe, marcada para 2020.

“A The Ocean Race é uma das quatro grandes regatas ao lado da Vendée Globe, American’s Cup e dos Jogos Olímpicos. Portanto, é potencialmente atrativo para nosso parceiro automotivo BMW. Essa é uma oportunidade única para nós e para todos da vela na Alemanha”, destacou Boris Herrmann.

A última participação de uma equipe alemã na Ocean Race foi na edição de 2001-2002, quando ainda era chamada Volvo Ocean Race. O barco foi o illbruck Challenge, que no final bateu campeão. E foi, por conta desse título, que muitos jovens alemães começaram a entrar no mundo da vela. O próprio Boris Herrmann é um exemplo disso.

“Naquela época tinha 19 anos, tinha acabado de terminar a Mini Transat, e aquilo me motivou a continuar com meu sonho de velejador profissional”, confessou Boris Herrmann em entrevista a Ocean Race no início do ano.

O diretor executivo da The Ocean Race, Richard Mason, valorizou o legado de Boris e sua equipe em aderirem a ideia sustentável da regata de volta ao mundo. ”Boris e sua equipe estão bem programados para seguirem bem posicionados com esse legado e defender o meio ambiente, justamente a causa que tanto lutamos”, explicou o diretor.

Mais sobre o velejador alemão https://www.youtube.com/watch?v=pFAypQ5HJcM

Semana Internacional de Vela de Ilhabela promove regata oceânica com alunos

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 abre espaço para os alunos das escolinhas da modalidade de Ilhabela (SP) e região promovendo a regata Vela do Amanhã.

A prova com as 60 crianças e adolescentes que fazem parte dos projetos da ilha será na segunda-feira, 15 de julho, um dia após a realização da Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil e as outras regatas de abertura do evento. A data foi escolhida justamente por ser o dia de folga dos velejadores que vão enfrentar os trajetos mais longos do calendário da competição.

Todos os barcos inscritos na Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 podem participar da regata Vela do Amanhã. Até o momento, mais de 100 barcos confirmaram presença no evento, considerado o maior da modalidade na América do Sul.

”Conclamamos a todos os barcos disponíveis a participarem dessa ação, que não só fomenta a vela como também tem um importante cunho social. Será uma regata com provavelmente duas pernas ou um pequeno percurso. O presidente da comissão de regatas, Cuca Sodré, definirá na hora”, disse Mauro Dottori, diretor de vela do Yacht Club de Ilhabela (YCI).

Os alunos que participarem das regatas vão receber medalhas após as provas. ”Essa regata proporciona o maior intercâmbio entre os velejadores e donos de barco com os alunos que estão sendo formados pela escola. É muito importante que a comunidade da vela conheça o trabalho que está sendo feito em Ilhabela e quem sabe consigam levar para suas cidades o exemplo daqui”, contou Alexandre Paradeda, campeão mundial e pan-americano, além de coordenador da Escola de Vela de Ilhabela.

Normalmente, a Semana Internacional de Vela de Ilhabela é o primeiro grande campeonato que os alunos e seus pais presenciam, o que pode, segundo Alexandre Paradeda, despertar o maior interesse pelo esporte.

”Quando os atletas chegam ao nível de competição, eu e o treinador Frederico Cardial, planejamos seus treinamentos, calendários, sequência da carreira, otimização dos barcos, etc. Acredito que esse planejamento, pensando a longo prazo, tenha feito com que os alunos visualizem uma possibilidade de futuro dentro do esporte”, concluiu Alexandre Paradeda.

Referência nacional, a Escola Municipal de Vela Lars Grael atende crianças e jovens com idades entre 8 e 17 anos, que praticam, além da vela, canoagem (caiaque) e stand-up paddle com professores experientes na área e monitores concursados.

Em janeiro deste ano, o local sediou o campeonato Brasileiro de Optimist, classe de introdução à vela. Crianças de quase todos os estados da federação usaram a estrutura da Escola Municipal de Vela Lars Grael para as provas.

Inscrições

O evento entrou no segundo lote de inscrições. A partir desta terça-feira (11) até o dia 30 de junho, o velejador integrante de barco que não necessita usar poitas ou a marina do YCI desembolsará R$ 140. Já os que utilizarem as poitas do Yacht Club de Ilhabela (YCI) pagam R$ 300 e os que necessitarem de vagas na marina do clube R$ 420. Os valores são por tripulante.

As inscrições seguem abertas pelo site http://sivilhabela.com.br/.

Também a partir do desta terça-feira, o desconto de 30% da classe RGS passa a valer apenas para os veleiros afiliados à ABVO – Associação Brasileira de Veleiros de Oceano. Caso contrário, os valores vigentes serão os da tabela ORC, IRC, C30, HPE 30 E HPE 25. Para as categorias dos barcos Clássicos e Bico de Proa, o desconto de 30% na inscrição está mantido. A medida atende a um pedido da própria ABVO.

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela reforça a importância da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano como fomentadora da modalidade no País.

ANI promove regata de remo clássico neste sábado

13/06/2019 15:44

Itajaí sediará, neste sábado (15), mais uma regata de remo clássico para crianças e adolescentes no Saco da Fazenda, local tradicional de provas náuticas no município.

O evento, que faz parte do calendário de comemorações pelos 159 anos da cidade catarinense, é aberto a jovens até 16 anos.

As categorias são definidas entre Proinha com os alunos de até 10 anos, Bombordo com alunos de 11 a 12 anos e Boreste com os alunos de 12 a 16 anos. Mais de 300 pessoas são esperadas para as regatas a partir de 8h.

A prova de remo clássico “Cidade de Itajaí” reunirá remadores de 18 escolas da rede municipal de Educação de Itajaí. Os alunos do projeto “Navegando pela cidadania” participarão de competições de remo em canoas baleeiras nas raias do Saco da Fazenda, mesmo local que sediou as regatas de Optimist do Volvo Academy, das últimas três edições da Ocean Race. O projeto é uma parceria entre a Associação Náutica de Itajaí – ANI e a secretaria municipal de Educação do município de Itajaí.

”É a nossa base onde as crianças iniciam na vela, mesmo sendo nos barcos das baleeiras. Além disso, o evento promove integração entre as crianças e a comunidade de Itajaí”, disse Fabiano Zucco, presidente da Associação Náutica de Itajaí – ANI

A regata, que já é uma tradição no mês de junho, vai levar para a água cinco canoas estilo baleeira típicas do estado catarinense.

Em cada uma, equipes de oito crianças serão acompanhadas por um timoneiro da ANI, responsável por dar a direção para a canoa.

O percurso entre bóias poderá ser acompanhadas pelo público durante toda a manhã da Avenida Ministro Victor Konder, a beira-rio. Ao final, as três melhores equipes subirão ao pódio e serão premiadas na própria sede da associação.

“Apesar de ser feita a premiação, o objetivo é trabalhar muito mais a cooperação do que a competição. É um dia de integração entre as crianças e adolescentes participantes do projeto. Todos alunos da rede pública municipal de Itajaí participantes do Projeto Navegando pela Cidadania”, contou Rosane Soares – coordenadora de esportes náuticos da ANI.

Navegando pela cidadania

O projeto “Navegando pela cidadania” atende crianças e adolescentes no contra-turno escolar da rede municipal de ensino, ocupando estes com uma atividade produtiva que valoriza seu potencial, evitando ficarem ociosos e vulneráveis em suas comunidades.

A ANI tem o objetivo de desenvolver a mentalidade marítima, resgatar a identidade cultural, oferecer e promover a prática de atividades náuticas, culturais e educacionais, fomentar a inclusão social por meio das práticas e valores do ambiente náutico, desenvolver ações e obras que visem a formação dos jovens através do Esporte educacional.

Com trabalhos desenvolvidos junto à comunidade, vem oportunizando a prática de esportes náuticos para crianças e adolescentes em consonância com a natureza, e tem demonstrado resultados surpreendentes, muitas vezes não alcançados dentro dos próprios lares ou nos bancos de escola, trabalhando valores como: espírito de equipe, solidariedade, cultura da paz, desafios e superação de limites. Uma demonstração do resultado foi a atuação de seus alunos na catástrofe da enchente em Itajaí resgatando pessoas nas embarcações a remo.

A parceria com a Prefeitura Municipal de Itajaí através da Secretaria de Educação, viabiliza o desenvolvimento das atividades e condições para a criação de duzentas e oitenta e oito bolsas para alunos da rede pública municipal de ensino do terceiro ao nono ano do ensino fundamental.

Mais informações na Associação Náutica de Itajaí – ANI, pelo telefone (47) 99918-1618.

Contagem regressiva de um mês para a Semana Internacional de Vela de Ilhabela

12/06/2019 13:10

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019, mais tradicional competição de barcos do País, chega à sua 46ª edição nesta temporada.

O evento será disputado em Ilhabela (SP) de 13 a 20 de julho e reunirá barcos com tripulações profissionais e amadoras.

Faltando um mês para as regatas, quase 100 equipes já confirmaram presença na competição! Os veleiros estão divididos nas classes ORC, IRC, RGS, Bico de Proa, Clássicos, Multicascos, HPE-25, HPE-30 e C30.

A organização confirmou o Desfile de Abertura, que será no domingo (14), horas antes da primeira prova. A Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil abre o calendário, que conta com regatas de percurso longo, médio e barla-sota (entre boías).

No domingo também, só que para os barcos menores, ocorrem as provas Ilha de Toque-Toque por Boreste e a Renato Frankenthal.

As categorias RGS e Bico de Proa lideram as inscrições para a semana até o momento. As equipes das classes ORC e IRC já somam quase 30% da flotilha confirmada para as regatas.

”No começo do ano montamos o nosso calendário e escolhemos os eventos mais relevantes para participar. A grandiosidade do evento, o número de participantes, a estrutura, a organização e duração são singulares. Competir na vela e não participar da Semana de Vela deixa um espaço vazio no currículo!”, disse Guilherme Rafare, comandante do estreante Danadão.

Na reta final para a Semana Internacional de Vela de Ilhabela, as equipes fazem seus últimos ajustes, como teste de vela, entrosamento de tripulação e até competições. Exemplo foi a Copa Suzuki, disputada no último fim de semana, que reuniu mais de 30 equipes no litoral norte paulista. Os barcos correram na mesma raia de julho.

”Estamos preparando o barco para correr a Semana Internacional de Vela de Ilhabela. Não conseguimos participar da Copa Suzuki por causa de reparos no veleiro e agora vamos ter de treinar fora do circuito para chegar bem! Estamos muito empenhados em participar do evento em julho”, contou Lars Muller, comandante do My Boy.

O evento conta com velejadores de vários estados do Brasil e até do exterior. Atletas profissionais, medalhistas olímpicos, amadores e cruzeiristas participam das provas em Ilhabela.

”Agora é fazer os últimos ajustes das velas e tripulação, inclusive ver como ficou uma repintura do fundo do veleiro, e disputar outros campeonatos se tiver! Tudo para se divertir na Semana Internacional de Vela de Ilhabela!”, contou Sylvestre Santos, do Baforada 3.

Inscrições

O evento entrou no segundo lote de inscrições. A partir desta terça-feira (11) até o dia 30 de junho, o velejador integrante de barco que não necessita usar poitas ou a marina do YCI desembolsará R$ 140. Já os que utilizarem as poitas do Yacht Club de Ilhabela (YCI) pagam R$ 300 e os que necessitarem de vagas na marina do clube R$ 420. Os valores são por tripulante.

As inscrições seguem abertas pelo site http://sivilhabela.com.br/.

Também a partir do desta terça-feira, o desconto de 30% da classe RGS passa a valer apenas para os veleiros afiliados à ABVO – Associação Brasileira de Veleiros de Oceano. Caso contrário, os valores vigentes serão os da tabela ORC, IRC, C30, HPE 30 E HPE 25. Para as categorias dos barcos Clássicos e Bico de Proa, o desconto de 30% na inscrição está mantido. A medida atende a um pedido da própria ABVO.

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela reforça a importância da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano como fomentadora da modalidade no País.

Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 entra no segundo lote de inscrições

10/06/2019 21:50

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 entrou no segundo lote de inscrições para o evento, marcado para o período de 13 a 20 de julho, em Ilhabela (SP).

A partir desta terça-feira (11) até o dia 30 de junho, o velejador integrante de barco que não necessita usar poitas ou a marina do YCI desembolsará R$ 140. Já os que utilizarem as poitas do Yacht Club de Ilhabela (YCI) pagam R$ 300 e os que necessitarem de vagas na marina do clube R$ 420.
foto: aline bassi | balaio
As inscrições seguem abertas pelo site http://sivilhabela.com.br/.
Também a partir do desta terça-feira, o desconto de 30% da classe RGS passa a valer apenas para os veleiros afiliados à ABVO – Associação Brasileira de Veleiros de Oceano. Caso contrário, os valores vigentes serão os da tabela ORC, IRC, C30, HPE-30 e HPE-25. Para as categorias dos barcos Clássicos e Bico de Proa, o desconto de 30% na inscrição está mantido. A medida atende a um pedido da própria ABVO.
A Semana Internacional de Vela de Ilhabela reforça a importância da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano como fomentadora da modalidade no País.
Até o momento mais de 80 equipes já confirmaram presença na competição, que chega em julho à sua 46ª edição.  Os barcos estão divididos nas classes ORC, IRC, RGS, Bico de Proa, Clássicos, Multicascos, HPE-25, HPE-30 e C30.
 O evento conta com velejadores de vários estados do Brasil e até do exterior. Atletas profissionais, medalhistas olímpicos, amadores e cruzeiristas participam das provas em Ilhabela. ”Nossa equipe é formada por um grupo de amigos e parentes. A Semana de Vela é uma regata festiva e para reunir a equipe”, disse Pedro Calmon, do barco Tapuia, integrante da classe Bico de Proa.
A primeira prova será a tradicional Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil no domingo. A regata é a mais longa da competição e tem mais de 65 milhas náuticas. No mesmo dia, só que para os barcos menores, saem no mesmo horário a Ilha de Toque-Toque por Boreste e a Renato Frankenthal.