Campeões da Volvo Ocean Race assumem trimarã gigante francês

30/04/2019 16:41

Franck Cammas e Charles Caudrelier serão os comandantes do Maxi Edmond de Rothschild

O trimarã Maxi Edmond de Rothschild terá uma dupla de campeões para timonear o multicasco após a saída do francês  Sébastien Josse.

Os também franceses Franck Cammas e Charles Caudrelier foram escolhidos para desenvolver o projeto de regata com o time, também conhecido por Gitana. 

Os dois foram campeões da Volvo Ocean Race nas temporadas de 2011/12 e 2017/18, com Groupama e Dongfeng Race Team.

Charles, por exemplo, já comandou uma versão menor do maxi trimarã em 2013 com Seb Josse, antigo representante do Gitana.

A dupla venceu a Transat Jacques Vabre de 2013, chegando em Itajaí (SC).

Classe Ultim 32/23

Franck Cammas e Charles Caudrelier vão correr os eventos destinados a Ultim, categoria dos catamarãs voadores.

Além disso, a campanha também fomentará a formação de novos velejadores locais.

GITANA, Annonce skippers Edmond de Rothschild. 25 April, 2019.

“O Maxi Edmond de Rothschild é o melhor que existe para esse tamanho de barco. É um barco excepcional, projetado por um arquiteto diferente do resto da flotilha. O conceito básico é muito sólido e algo que não é partilhado pelos outros concorrentes e isso, obviamente, é uma vantagem”, disse Franck Cammas.

Charles Caudrelier também alou a respeito do Maxi Edmond de Rothschild.

”É um barco altamente inovador, que está à frente de seu tempo em relação aos maxi-trimarans da mesma geração. Estamos atingindo velocidades que ninguém poderia imaginar na navegação offshore”.

O Maxi Edmond de Rothschild – batizado de Gitana 17 é o último da série de barcos da família.

É um trimarã de 32 metros de comprimento por 23 de largura projetado pelo arquiteto Guillaume Verdier.

 

 

 

 

Números das oito provas da ABB Formula E 2018/19

A ABB Formula E 2018/19 já teve oito provas até o momento! E em cada ePrix um vencedor diferente.

O equilíbrio é tanto que a diferença do líder, o holandês Robin Frinjs, para o quarto, o brasileiro Lucas di Grassi, é de apenas 11 pontos.

Um piloto pode fazer por prova 29 pontos, incluindo volta mais rápida e super pole, além da vitória.

Veja a tabela abaixo:

Vencedores
Ad Diriyah – Antonio Félix da Costa (BMW i Andretti Motorsport)
Marrakesh – Jerome D’Ambrosio (Mahindra Racing)
Santiago – Sam Bird (Envision Virgin Racing)
Cidade do México – Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler)
Hong Kong – Edorardo Mortara (Venturi Formula E Team)
Sanya – Jean-Eric Vergne (DS Techeetah)
Roma – Mitch Evans (Panasonic Jaguar Racing)
Paris – Robin Frijns (Envision Virgin Racing)

Equipes vencedoras
Ad Diriyah – BMW i Andretti Motorsport
Marrakesh – Mahindra Racing
Santiago – Envision Virgin Racing
Cidade do México – Audi Sport ABT Schaeffler
Hong Kong –  Venturi Formula E Team
Sanya – DS Techeetah
Roma – Panasonic Jaguar Racing
Paris – Envision Virgin Racing

Países dos vencedores
Ad Diriyah – Antonio Félix da Costa (Portugal)
Marrakesh – Jerome D’Ambrosio (Bélgica)
Santiago – Sam Bird (Reino Unido)
Cidade do México – Lucas di Grassi (Brasil)
Hong Kong – Edorardo Mortara (Suíça)
Sanya – Jean-Eric Vergne (França)
Roma – Mitch Evans (Nova Zelândia)
Paris – Rob Frijns (Holanda)

Volta mais rápida
Ad Diriyah – André Lotterer (DS Techeetah)
Marrakesh – Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler)
Santiago – Daniel Abt (Audi Sport ABT Schaeffler)
Cidade do México – Pascal Wehrlein (Mahindra Racing)
Hong Kong – André Lotterer (DS Techeetah)
Sanya – Jean-Eric Vergne (DS Techeetah)
Roma – Sébastien Buemi (Nissan e.Dams)
Paris – Robin Frijns (Envision Virgin Racing)

Julius Bar Pole Position
Ad Diriyah – Antonio Félix da Costa (BMW i Andretti Motorsport)
Marrakesh – Sam Bird (Envision Virgin Racing)
Santiago – Sébastien Buemi (Nissan e.Dams)
Cidade do México – Pascal Wehrlein (Mahindra Racing)
Hong Kong – Stoffel Vandoorne (HWA Racelab)
Sanya – Oliver Rowland (Nissan e.Dams)
Roma – André Lotterer (DS Techeetah)
Paris – Oliver Rowland (Nissan e.Dams)

Pódio por piloto
Robin Frijns (Envision Virgin Racing) – 3 (1 -1 – 1)
Antonio Félix da Costa (BMW i Andretti Motorsport) – 3 (1-1-1)
Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler) – 2 (1-1-0)
Jean-Eric Vergne (DS Techeetah) – 2 (1-1-0)
Jerome D’Ambrosio (Mahindra Racing) – 2 (1-0-1)
Edoardo Mortara (Venturi Formula E Team) – 2 (1-0-1)
Sam Bird (Envision Virgin Racing) – 2 (1-0-1)
André Lotterer (DS Techeetah) – 2 (0-2-0)
Daniel Abt (Audi Sport ABT Schaeffler) – 2 (0-0-2)
Mitch Evans (Panasonic Jaguar Racing) – 1 (1-0-0)
Pascal Wehrlein (Mahindra Racing) – 1 (0-1-0)
Oliver Rowland (Nissan e.Dams) – 1 (0-1-0)
Stoffel Vandoorne (HWA Racelab) – 1 (0-0-1)

Integrantes da Super pole terminando no pódio
Ad Diriyah – Antonio Félix da Costa (BMW i Andretti Motorsport)
Marrakesh –  Sam Bird (Envision Virgin Racing)
Santiago –  Sam Bird (Envision Virgin Racing) | Daniel Abt (Audi Sport ABT Schaeffler) | Pascal Wehrlein (Mahindra Racing)
Cidade do México – Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler) | Antonio Félix da Costa (BMW i Andretti Motorsport)
Hong Kong – Edoardo Mortara (Venturi Formula E Team) |  Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler)
Sanya –  Jean-Eric Vergene (DS Techeetah) | Oliver Rowland (Nissan e.Dams) | Antonio Félix da Costa (BMW i Andretti Motorsport)
Roma – Mitch Evans (Panasonic Jaguar Racing) | André Lotterer (DS Techeetah) | Stoffel Vandoorne (HWA Racelab)
Paris – Robin Frijns (Envision Virgin Racing) | André Lotterer (DS Techeetah)

STREETS OF PARIS, FRANCE – APRIL 26: Sébastien Buemi (CHE), Nissan e.Dam, Nissan IMO1 during the Paris E-prix at Streets of Paris on April 26, 2019 in Streets of Paris, France. (Photo by Dom Romney / LAT Images)

The Ocean Race ganha prêmio internacional da indústria do esporte

28/04/2019 18:10

A Ocean Race, antiga Volvo Ocean Race, ganhou dois prêmios da indústria esportiva, o chamado BT Sport Industry Awards

A regata levou o prêmio Cutting Edge Sport e o de Desenvolvimento Social e Sustentável.

A campanha de sustentabilidade da edição de 2017-18 da The Ocean Race, com foco na redução da quantidade de plástico que entra nos nossos oceanos, foi coroada

O Prêmio de Desenvolvimento Social e Sustentável foi apresentado pelo ex-primeiro ministro britânico Tony Blair e pela velejadora Dee Caffari em uma cerimônia ocorrida em Londres na quinta-feira passada

”Nós usamos nossa influência e plataforma para inspirar milhões de pessoas em um evento esportivo global de nove meses e estamos honrados por ter sido reconhecido pelo impacto desta campanha inovadora”, disse Richard Brisius, co-presidente da The Ocean Race.

”Ao envolver políticos e líderes empresariais para implementar mudanças nas políticas e práticas para enfrentar a crise do plástico oceânico, buscamos compromissos claros e de longo prazo para um mar mais limpo e saudável e estamos orgulhosos de ter deixado um legado duradouro”.

“A sustentabilidade está integrada no DNA da The Ocean Race e prometemos usar o momento que construímos como um catalisador para continuar nossa missão de restaurar a saúde oceânica”.

A Ocean Race anunciou recentemente que a 11th Hour Racing, parceira fundadora do programa de sustentabilidade, retornaria para a próxima edição da regata como parceira.

© Getty Images para o Grupo da Indústria do Esporte

A Bluewater também confirmou que retornará como fornecedora oficial de água potável, em uma tentativa de reduzir a dependência global de plásticos de uso único, baseando-se no trabalho já iniciado.

 

Os juízes do prêmio da Cutting Edge Sport disseram que “admiraram o uso avançado da tecnologia para melhorar a cobertura da navegação pela mídia, tornando-a um esporte mais imersivo e acessível”.

A Ocean Race inscreveu a primeira cobertura social ao vivo e a narração de histórias “RAW” da regata – destacando os primeiros sucessos, como cenas de drone ao vivo no Oceano Antártico.

A próxima edição da Ocean Race está programada para começar no segundo semestre de 2021 em Alicante, na Espanha.

Classe Laser muda de nome para ILCA Dinghy

27/04/2019 16:27

A International Laser Class Association (ILCA) anunciou que, a partir desta temporada, todos os novos barcos aprovados pela classe serão vendidos  com o nome “ILCA Dinghy”.

Esta mudança não terá impacto sobre barcos e equipamentos existentes e autorizados pela ILCA, que poderão competir ao lado dos ILCA Dingues em todos os eventos sancionados pela classe.

Esta ação segue o movimento da ILCA no mês passado  para trocar o construtor do veleiro, a LaserPerformance (LP)

A ILCA disse que eles violaram os termos do acordo de construção, que visa garantir igualdade em todos os veleiros da categoria

A ILCA precisava alterar o nome do barco, pois a LP detinha os direitos da marca.

O barco tem sido o equipamento olímpico usado para o evento One Person Dinghy desde os Jogos de Atlanta 1996, quando Robert Scheidt foi campeão olímpico.

O brasileiro ainda foi prata em 2000 e ouro novamente em 2004.

Robert faz campanha para sua sétima olimpíada ainda na categoria dos Laser.

Nenhuma decisão foi tomada ainda sobre os equipamentos para os eventos nos Jogos de Paris 2024.

“É uma grande mudança para uma classe em nossos quase 50 anos de história”, disse o presidente  Tracy Usher. “Nossa equipe tem trabalhado incansavelmente para garantir o mínimo de transtornos aos membros da ILCA e aos velejadores de classe no mundo”.

Tracy Usher salientou que a mudança de nome será aplicada a todos os três tamanhos de equipamento permitidos pelas Regras de Classe da ILCA (Standard, Radial e 4.7 rigs) e as novas velas de classe terão o logo atualizado da ILCA.

 

 

Datas do VelaShow 2020 confirmadas! Itajaí novamente sedia

26/04/2019 18:07

O VelaShow 2020 está confirmado para o período de 3 a 5 de abril, novamente no Centreventos de Itajaí (SC).

O evento, com regatas, workshops, palestras e expositores do setor, fez sua primeira edição na cidade catarinense entre os dias 19 a 21 de abril.

A feira reuniu mais de 40 expositores, e ainda fez três regatas e uma expedição nos três dias do feriado de Páscoa em Itajaí (SC).

O evento deu mais destaque no cenário náutico à cidade, sede de três edições da Volvo Ocean Race e duas da Transat Jacques Vabre.

Para a próxima edição, O Velashow vai ampliar o numero de regatas de oceano e trazer mais expositores do Brasil e do exterior, além de ampliar palestras e cursos exclusivos para a modalidade.

”Nosso objetivo maior não é alugar espaço na feira, mas atuar fortemente para que a vela no Brasil cresça e ganhe seu espaço impulsionando a cultura náutica, por meio de outras ações. Por isso nosso foco nas palestras e workshops”.

”Aliás, quem aluga espaço é imobiliária, e o nosso evento valoriza a experiência, o esporte, o lazer, a cultura, o estilo de vida…”, disse Edilberto Almeida, diretor comercial do VelaShow.

Os expositores de toda a cadeia produtiva da vela comemoraram os resultados do primeiro evento e elogiaram a iniciativa da Cardoso Almeida em fazer uma feira 100% voltada à vela.

”Desde a década de 80, a gente não vê um evento reunindo tantos velejadores. Os boatshows de hoje são focados em motor e a vela ficou desprestigiada. O VelaShow ficou acima de qualquer expectativa!”, contou Hamilton Angonezi, diretor da Nautos.

Além dos hotéis lotados, a cidade pela primeira vez viu sua Marina Itajaí 100% ocupada em suas vagas molhadas, ou seja, 200!

Fãs da vela de todos os estados da federação foram ao Velashow.

Público elogia a realização do VelaShow 

”Eventos como o VelaShow fomentam toda a cadeia produtiva do setor náutico. Santa Catarina já desponta nesse mercado”.

”Nunca vi o Centreventos tão cheio nas palestras. As pessoas têm dado valor a esse mercado”, explicou Mané Ferrari, diretor de planejamento e desenvolvimento turístico da Santur, secretaria de turismo de Santa Catarina.

O estado de Santa Catarina conta com 500 quilômetros de litoral.

As regatas

Em 2019, o evento teve mais de 60 barcos competindo em dois dias de prova. Na sexta-feira (19), o evento promoveu, no Saco da Fazenda, provas de Optimist, classe de introdução à vela, e de Shellback | Ibis Rubra, barcos de madeira construídos na cidade.

No sábado (20), a regata VelaShow colocou 40 barcos de oceano na disputa. Veleiros de 19 a 42 pés participaram da regata marcada pelo vento fraco.

O Fita-Azul e vencedor foi o Mandinga A, equipe de Marcos Andrade.

”Foi um evento de grande importância para a vela brasileira. A Federação Náutica Catarinense tem muito orgulho de estar presente e vamos repetir em Itajaí, que é um polo náutico da vela brasileira”, disse Edmundo Grisard, vice-presidente da Federação Náutica Catarinense.

O VelaShow promoveu o Velejaço, trazendo diversos barcos de São Francisco do Sul e Florianópolis, ambos de Santa Catarina.

Para o ano que vem, o objetivo é a realização de mais provas para as classes de oceano e monotipos, incluindo Laser, Hobie Cat 14 e 16, Optimist, Shellback e Ibis Rubra.

Além disso, o VelaShow vai consultar as flotilhas do Centro-Sul e Sudeste para uma regata de oceano inédita entre Ilhabela (SP) até Itajaí (SC).

Vencedores por classe

”O VelaShow é uma oportunidade de trazer os resultados que conseguimos em competições nacionais, além de mostrar o trabalho da ANI na formação de novos velejadores. Trazer esse evento de vela para Itajaí é importante”, ressaltou Ana Carolina da Silva, treinadora da ANI.

Para saber mais sobre o evento, acesse o site: www.velashow.com.

Fotos Daniel Mafra e Marlon Delai

 

Itajaí confirmada como sede do VelaShow 2020

25/04/2019 12:47

Os organizadores do VelaShow confirmaram a realização da feira exclusiva dedicada à modalidade em 2020 em Itajaí (SC), município que recebeu por três vezes a Volvo Ocean Race e por duas vezes a Transat Jacques Vabre.

O evento, que incluiu regatas, workshops, palestras e expositores do setor, fez sua primeira edição na cidade entre os dias 19 a 21 de abril.

Para o ano que vem, o objetivo é a realização de mais provas para as classes de oceano e monotipos, incluindo as classes Laser, Hobie Cat 14 e 16, Optimist, Shellback e Ibis Rubra.

Além disso, o VelaShow vai consultar as flotilhas do Centro-Sul e Sudeste para a uma regata de oceano inédita entre Ilhabela (SP) até Itajaí (SC).

”O objetivo é atrair os barcos do litoral de São Paulo e promover uma regata forte tecnicamente junto aos barcos do Sul. As provas em Ilhabela, como o Circuito de Vela Oceânica e a Semana Internacional de Vela de Ilhabela reúnem grandes equipes e tripulações de alto nível”, disse Edilberto Almeida, diretor comercial do VelaShow. ”Vamos convidar também equipes do Rio de Janeiro, Espírito Santo e do Nordeste”.

O VelaShow promoveu o Velejaço, trazendo diversos barcos de São Francisco do Sul e Florianópolis, ambos de Santa Catarina. A Marina Itajaí, anexa ao local da feira, ficou com 100% de suas vagas ocupadas, ou seja, as 200!

Em 2019, o VelaShow teve mais de 60 barcos competindo em dois dias de prova. Na sexta-feira (19), o evento promoveu, no Saco da Fazenda, provas de Optimist (classe de introdução à vela) e de Shellback | Ibis Rubra (barcos de madeira construídos na cidade).

No sábado (20), teve a regata VelaShow, com 40 barcos de oceano na disputa. Veleiros de 19 a 42 pés participaram da regata marcada pelo vento fraco. O vencedor foi o Mandinga A equipe de Marcos Andrade ainda foi a Fita-Azul (primeiro barco a chegar sem contar o rating) e ganhou na categoria de 19 a 23 pés.

”O VelaShow está sacramentado no calendário de Itajaí! Tanto na parte da exposição quanto no esporte. Já está definido pela Federação Náutica Catarinense a regata para o mês de abril, seja Páscoa ou não”, contou Marcelo Gusmão, atleta olímpico e presidente da Federação Náutica Catarinense.

”Nosso foco será nas classes de cruzeiro e oceano, sem contar as categorias de monotipos, que correm no Saco da Fazenda e Cabeçudas”.

O Mandinga fez o percurso em 1h38. Em segundo lugar na Regata VelaShow ficou o Nest (1h53)e em terceiro o Alebrijo (1h57).

As regatas tiveram supervisão da Federação Náutica Catarinense, da ANI – Associação Náutica de Itajaí e da CBVela – ConfederaÇão Brasileira de Vela.

”Vamos nos reunir e ver o que podemos fazer para melhorar o evento no ano que vem! A expectativa é grande, pois sabemos que tem muita coisa para impulsionar a vela no País. Estamos entrando num novo momento”, disse Paulo Cardoso, organizador do VelaShow.

Fotos: Marlon Delai

 

Regata histórica em Itajaí reúne 30 barcos

21/04/2019 21:07

A primeira edição da Regata VelaShow foi disputada neste sábado (20) em Itajaí (SC).  A prova fez parte do calendário de atividades da inédita feira voltada para veleiros no Brasil e teve 31 barcos de oceano na disputa.

Veleiros de 19 a 42 pés participaram da regata marcada pelo vento fraco.

A comissão esperou mais de 90 minutos para dar a largada na Praia de Cabeçudas.

O percurso teve ao todo 4.5 milhas, passando pelas praias Brava e Laranjeiras (Balneário Camboriú). Apenas no final da prova que as rajadas passaram de 10 nós.

Fotos: Marlon Delai

”O maior desafio da regata foi o vento fraco. Isso para todos, velejadores e comissão de regatas. Os barcos estavam boiando no início e a gente teve que prever quando as rajadas entrariam. Depois, com vento, tudo ficou animado e muito competitivo!”, explicou Rodrigo Kelm, gerente de regata.

O vencedor foi o Mandinga teve o melhor desempenho e conquistou o título geral da primeira edição da Regata VelaShow. A equipe de Marcos Andrade ainda foi a Fita-Azul (primeiro barco a chegar sem contar o rating) e venceu na categoria de 19 a 23 pés.

”Deu um vento fraquinho na regata, mas conseguimos regular o barco e chegar lá. Ganhamos pois treinamentos muito, Deus abençoou e estamos aí”, contou Marcos Andrade, comandante do Mandinga, um Skipper 21. ”O VelaShow é o início de uma coisa grande que está por vir e mudar o cenário nacional da vela. Foi um grande evento para a cidade”.

O Mandinga fez o percurso em 1h38. Em segundo lugar na Regata VelaShow ficou o Nest (1h53)e em terceiro o Alebrijo (1h57).

Vencedores por classe

Categoria 19 a 23 pés 
1º Mandinga – 1 ponto
2º Veneza – 20 pontos
3º Kussy -25 pontos

Categoria 24 a 30 pés 
1º Tarooa – 13 pontos
2º Spray – 14 pontos
3º Tron -15 pontos

Categoria 21 a 36 pés 
1º Alebrijo – 3 pontos
2º Blade Runner – 5 pontos
3º Batuta -6 pontos

Categoria acima de 37 pés 
1º Nest – 2 pontos
2º Beleza Pura –4 pontos
3º Habeas Corpus- 8 pontos

Geral 
1º Mandinga – 1h38min
2º Nest -1h53min
3º Alebrijo – 1h57min21

Regatas da sexta-feira 

Na sexta-feira (19), o Saco da Fazenda reuniu barcos de Optimist, Shellback e Ibis Rubra para regatas de confraternização.

Mais de 30 velejadores participaram do evento. A ANI – Associação Náutica de Itajaí organizou as regatas.

O vento demorou a entrar no início da tarde e, depois que a bandeira de recon (adiamento) baixou, as classes tiveram três regatas cada com percurso em forma de quadrado.

A intensidade dos ventos foi de 6 a 8 nós na direção nordeste. A tarde de sexta-feira foi de muito sol e termômetros perto dos 30 graus em Itajaí.

Mais de 60 barcos de Shellback e Ibis Rubra foram construídos na cidade em mais de uma década.

O VelaShow recepcionou também em Itajaí o Velejaço, flotilha de veleiros com saída de Florianópolis e São Francisco do Sul, ambas em Santa Catarina.

O VelaShow reuniu além das regatas, workshops, exposição de barcos, produtos e serviços náuticos.

Mais de 40 expositores estava presentes, incluindo fabricante de velas de regata, estaleiros e empresas do segmento de turismo.

Para saber mais sobre o evento, acesse o site: www.velashow.com.

 

 

VelaShow: Dia de regatas para crianças e adultos em Itajaí

19/04/2019 18:07

O VelaShow, primeira feira náutica dedicada à veleiros do país, começou nesta sexta-feira (19), com a disputa de regatas para crianças na categoria Optimist e para os adultos na Shellback e Ibis Rubra, embarcações de madeira construídos na própria Itajaí (SC).

Mais de 30 velejadores participaram do evento realizado no Saco da Fazenda, ao lado do Centreventos, que recebe o VelaShow. A ANI – Associação Náutica de Itajaí organizou as regatas.

O vento demorou a entrar no início da tarde e, depois que a bandeira de recon (adiamento) baixou, as classes tiveram três regatas cada com percurso em forma de quadrado.

A intensidade dos ventos foi de 6 a 8 nós na direção nordeste. A tarde de sexta-feira foi de muito sol e termômetros perto dos 30 graus em Itajaí.

”Foi muito legal. Esperamos o horário para o vento entrar, e com paciência, deu certo. Regata é assim!”, disse Rodrigo Kelm, gerente de regatas do VelaShow.

”Apesar das regatas serem corridas por crianças e velejadores amadores, todos respeitaram as regras e as provas foram bem disputadas”.

A classe Optimist é de introdução à vela e atrai atenção de crianças e adolescentes até os 15 anos.

Os barquinhos foram usados nas três edições do Volvo Academy, evento paralelo à regata de volta ao mundo, para promover a modalidade nas cidades-sede.

”Temos que incentivar a cultura náutica ainda mais em Itajaí e aproveitar o legado da Volvo Ocean Race e agora do VelaShow. Ver adultos e crianças dividindo a raia é muito importante para a nossa modalidade”, disse Cláudio Copello, organizador das regatas do VelaShow.

A vencedora no geral do Optimist foi a catarinense Sofia Rocha de Faria, de 12 anos. A atleta veio de Florianópolis.

”Gostei muito de competir em Itajaí no VelaShow”, contou Sofia Rocha de Faria. ”Eu aprendo tudo no Optimist, mas quando sair da classe vou pra prancha à vela”.

Na categoria Shellback e Ibis Rubra, formada por barcos de madeira construídos na cidade, o grande vencedor das regatas foi Alvaro Albuquerque, com 11 pontos perdidos. O segundo lugar ficou para Joaquim Roberto Nanhomi (13 pontos) e o terceiro foi Rodrigo Zaleski (15 pontos).

”O mais importante pra gente é o encontro entre amigos, é mais uma brincadeira. O objetivo é promover a flotilha e não a competição”, Wilson José da Silva, um dos fundadores do projeto e coordenador das oficinas de construção naval.

Mais de 60 barcos de Shellback e Ibis Rubra foram construídos na cidade em mais de uma década.

No sábado (20), o evento promoverá a regata VelaShow nas proximidades da Praia de Cabeçudas, com percurso a ser definido pela comissão de regata.

Essa prova será realizada para prestigiar os veleiros de oceano participantes e presentes em Itajaí.

A reunião de comandantes será às 12h no auditório após a palestra da Família Schurmann. A largada da regata VelaShow está marcada para 14h.

Veja o aviso aqui. 

Velejaço

O VelaShow recepcionará em Itajaí o Velejaço, flotilha de veleiros com saída de Florianópolis e São Francisco do Sul, ambas em Santa Catarina.

Ao todo, mais de 50 barcos divididos entre monotipos, oceano e multicasco são esperados no Centreventos durante todo o evento.

O VelaShow vai reunir além das regatas, workshops, exposição de barcos, produtos e serviços náuticos.

As palestras lotaram o auditório do Centreventos, como a de Beto Pandiani — https://onboardsports.net/palestra-beto/

Mais de 40 expositores, incluindo fabricante de velas de regata, estaleiros e empresas do segmento de turismo.

Para saber mais sobre o evento, acesse o site: www.velashow.com.

Velejadores famosos no Youtube se apresentam em Itajaí

A segunda palestra desta sexta-feira (19) no VelaShow foi realizada pelos idealizadores da #SAL, os velejadores Adriano Plotzki e Aline Sena.

A palestra: “O que descobrimos com a simplicidade e o mar”, realizada no Centreventos de Itajaí foi sobre as experiências dos companheiros, que trocaram a agitada vida na grande cidade pela vida à bordo.

Os navegadores contaram ao público, que compareceu em peso ao Centreventos da cidade, sobre as questões de convivências à bordo e de como é a vida na água.

Os dois mantém um canal no Youtube chamado “SAL”, em que há quatro anos entrevistam pessoas que, assim como eles, largaram a cidade e resolveram morar no mar.

“O foco do canal está também nas pessoas que não velejam, hoje quase 70% do nosso público nunca velejou e  tem apenas curiosidade em saber como é morar em um veleiro” disse Adriano Plotzki.

Os dois contaram detalhes e histórias sobre como é a vida no mar e a convivência à bordo, além do contato contínuo com a natureza e a recepção dos fãs sobre os episódios no canal.

“Foi uma experiência incrível ter lotado esse auditório. A gente nunca tinha tido um contato tão próximo com os fãs do canal, foi algo chocante para nós, foi incrível !”, contaram os velejadores após a palestra.

Sobre o evento, que acontece até domingo (21) em Itajaí, os velejadores comentaram. “As pessoas se engajaram muito para fazer esse evento acontecer, os velejadores, as regatas, o velejaço, acredito que as pessoas estavam totalmente envolvidas e queriam que isso acontecesse. Isso é a prova de que o Vela Show  já é orgânico, que precisamos continuar trabalhando para dar segmento nos próximos anos. Tem muita gente curiosa para saber como é a vela e o VelaShow já virou uma janela para isso”,  finalizaram.

Para mais detalhes sobre o #SAL visite: https://www.youtube.com/user/hashtagsa

Entre as atrações estão 40 expositores, além de três regatas, workshops, exposição de barcos, produtos, serviços e palestras. Entre as palestras, no primeiro dia, Beto Pandiani

Mais palestras do VelaShow

19/04 – Adriano Plotzki e Aline Sena #SAL – ”O que descobrimos com a simplicidade e o mar”
20/04 – Vilfredo Schurmann –  ”Construção do Veleiro Kat”
21/04 – Adriano Plotzki e Aline Sena #SAL – ”O que descobrimos com a simplicidade e o mar”
21/04 – Beto Toledo e Thais Cañadó – Sailing Around the World – ”Há mares que vem para o bem”

O VelaShow

A feira traz em sua programação regatas, palestras, workshops, exposição de barcos, produtos e serviços, a possibilidade de se hospedar em um veleiro e muito mais.
Na programação estão três regatas: a Optimist, Ibis Rubra (ambas no dia 19 de abril) e a VelaShow (20 de abril).

A exposição ocorre das 12h às 21h, nos três dias de evento.

Mais informações em www.velashow.com