Barco Hugo Boss vem ao Brasil para treinar visando Transat Jacques Vabre e Vendee Globe 

28/02/2019 13:12

Alex Thomson tem agenda comercial no Brasil e fará velejada na Marina da Glória, no Rio de Janeiro (RJ), em março

O velejador britânico patrocinado pela HUGO BOSS está a caminho do Brasil para participar de ações comerciais no Rio de Janeiro (RJ), além de aproveitar a viagem pelo Atlântico para treinar para as principais regatas da temporada. 

De 9 a 16 de março, o navegador estará atracado com seu IMOCA 60 na Marina da Glória, no Rio de Janeiro (RJ). O atleta e sua tripulação saíram da Inglaterra nos últimos dias.

Será a primeira visita do velejador ao País após uma tentativa frustrada. Em 2015, Alex Thomson disputou a Transat Jacques Vabre ao lado do espanhol Guilhermo Altadill, mas a dupla foi obrigada a abandonar a prova em Vigo, na Espanha, com problemas.

Os dois foram resgatados de helicóptero e não conseguiram seguir a regata rumo à cidade de Itajaí (SC).

O britânico é o atual vice-campeão da Vendee Globe e a viagem ao Brasil está relacionada aos treinamentos com o IMOCA 60 para a regata, marcada para 2020.

Em 2019, o velejador deve correr a Rolex Fastnet Race, em agosto, e a Transat Jacques Vabre, em outubro. 

A Transat para no Brasil, mais precisamente em Salvador (BA). Seu grande objetivo é vencer a Vendee Globe, regata em solitário sem escalas de volta ao mundo.

A largada será em novembro de 2020. Na última edição, Thomson foi vice-campeão.

As maluquices com o veleiro

Alex Thomson, além dos resultados esportivos na vela, ganhou notoriedade se desafiando no Hugo Boss de 60 pés.

O britânico já andou no mastro com o barco navegando todo adernado. Veja aqui

Além disso, o navegador caminhou pela quilha em outra oportunidade, além de se aventurar num kitsurf preso ao veleiro.

Em todas, Alex Thomson usou o elegante terno da marca.

 

Velejador que brilhou em Itajaí deixa tradicional equipe do Gitana

26/02/2019 10:54

Fim de um casamento de oito anos!!! O velejador principal do time de vela francês Gitana, também conhecido como Edmond de Rotschild, não é mais o experiente atleta Sébastien Josse.

O francês Seb Josse foi campeão da Transat Jacques Vabre 2013, que parou em Itajaí. Antes, ele integrou o Groupama na vitoriosa campanha da Volvo Ocean Race, hoje the Ocean Race.

Josse correu ao lado de Charles Caudrelier naquele MOD70.

Sébastien Josse também ganhou a Transat Saint Barth-Port la Forêt 2015 e foi vice da Jacques Vabre na última temporada.

Agora ele se dedicava junto à equipe ao maxi-trimaran Ultim

Além da Transat, Josse correu com o gigante dos mares a Route du Rhum.

O barco multicascos está atualmente em reparos depois de ter sido danificado durante a Route du Rhum do ano passado.

Seb Josse foi obrigado a abandonar aquela prova.

Nos últimos dias, o Gitana está procurando por um novo velejador.

Os franceses querem intensificar as regatas de Ultim’ em solitário ao redor do mundo!

Eles contam com nomes de peso pra essa ‘liga’, como François Gabart, Thomas Coville, Armel Le Cléac’h e Yves Le Blévec).

The Ocean Race finalista em prêmio mundial da indústria esportiva

25/02/2019 14:09

A The Ocean Race, novo nome da regata de volta ao mundo, foi selecionada em três categorias principais no prestigiado BT Sport Industry Awards 2019.

A competição, que por mais de 20 anos teve o nome de Volvo Ocean Race, foi indicada para os prêmios de Fan or Community Engagement Award, Cutting Edge Sport, Desenvolvimento Social e Sustentável.
O prêmio da indústria esportiva mundial conta com 19 categorias e reúne as maiores e melhores marcas, campanhas, eventos e organizações do planeta, incluindo Adidas, Nike, Fórmula 1 e Visa. 
O co-presidente da Ocean Race, Johan Salén, disse estar satisfeito pelo reconhecimento internacional.
“A edição de 2017-18 da Volta ao Mundo nos fez mudar as percepções da vela como esporte e alcançar mais fãs”.

“A sustentabilidade é a chave! Nós buscamos encontrar maneiras únicas de comunicar e envolver os fãs – sejam os novos e os mais assíduos – e construir soluções tecnológicas inovadoras nos lugares mais extremos do planeta”.

Na categoria Prêmio de Desenvolvimento Social e Sustentável, a campanha “Clean Seas / Turn the Tide on Plastic”, enfrenta Beko, City Football Group, Lucozade e MCC.

A campanha – que contou com a parceria da Race com 11th Hour Racing, UN Environment e Mirpuri Foundation promoveu debates sobre saúde dos oceanos e preservação marinha.

O evento teve a série de palestras como a Ocean Summits e o barco Turn the Tide on Plastic, apoiada pela Sky Ocean Rescue.

A próxima edição da The Ocean Race começará em Alicante, na Espanha, em 2021.

Regata RORC Caribbean 600 bate recordes; Equipe com brasileiros fica em 7º

24/02/2019 19:48

A 11ª edição do RORC Caribbean 600 atraiu 76 equipes de 21 países, incluindo Brasil e Angola com o Mussulo 40 Team Angola Cables.

A flotilha foi desafiada pelas condições difíceis de vento entre as 11 ilhas do Caribe. A prova contou com 600 milhas ao todo.

A tradicional regata contou com as classes IRC, Class40, Multicascos e Superyachts.

Os brasileiros do Mussulo 40 Team Angola Cables correram na class40 e terminaram em sétimo.

A equipe foi comandada pelo angolano residente no Brasil José Guilherme Caldas.

O barco tinha ainda Leonardo Chicourel, António Nunes, Rafael Martins e Alberto Vita.

O Team Musullo 40 Angola Cables chegou mais de 9 horas depois do vencedor, o Eärendil.

A categoria dos 40 pés contou com 10 veleiros na disputa pelas ilhas caribenhas

”Nós fizemos o melhor possível para preparar o barco. Tivemos um bom desempenho nos primeiros dias, primeiras pernas, mas tivemos problemas genoa (tipo de vela), o que atrapalhou no contra-vento”.

”Ou seja, perdemos tempo. Foi uma regata dura, porém muito agradável”, disse José Guilherme.

”Foi uma regata com ventos muito fortes, na maior parte de 20 a 25 nós, com muitas variações. Só tínhamos uma pequena buja para ter um melhor desempenho”.

”Foi muito interessante para treinar para a Cape2Rio 2020, que será no início do ano”, completou o angolano, que fez a Transat Jacques Vabre 2017 com Leo Chicourel.

Organizador aprovou

”Todas as classes tiveram uma competição incrível e muitas terminaram a prova com apenas alguns minutos de diferença, especialmente na batalha entre Maserati e Argo e os Class40”, comentou Eddie Warden Owen, CEO da RORC.

“Havia muitos barcos e atletas novos nesta edição e a qualidade da flotilha e dos velejadores continua impressionando a cada ano”..

O Maserati Multi 70, comandado por Giovanni Soldini (ITA), cruzou a linha de chegada do RORC Caribbean 600 em um tempo de 1 dia, 06 horas e 49 minutos, levando o prêmio Multihull Line e estabelecendo um novo recorde dos multicascos. A equipe não venceu no corrigido.  

O MOD70 Argo (EUA), de Jason Carroll, também bateu o recorde anterior, mas terminou a prova apenas sete minutos atrás do Maserati.

“Tivemos uma corrida maravilhosa, com muito vento, mas muito rápida, com boas manobras de ambas as equipes”, comentou Giovanni Soldini.

Saiba todos os vencedores aqui

Skatista Sandro Dias conta como era sua vida antes dos 18 na série especial da Red Bull

23/02/2019 19:44

https://www.redbull.com/int-en/tv/video/AP-1YCJPCPZ91W11/sandro-dias

O hexacampeão mundial Sandro Dias foi tema do episódio de estreia do #Until18: O Momento da Decisão, série produzida pela Red Bull, que mostra como os atletas escolheram suas profissões.

No curta-metragem, o skatista conta que quase trocou a sua paixão pelo trabalho no escritório do pai.

De maneira bem-humorada, Sandro Dias contou o que fazia para andar de skate, estudar e trabalhar antes dos 18 anos. O pai e ex-patrão, Afonso Dias, e a mãe Leila dão seus depoimentos na série. O skatista até vestiu terno!

”Tá no ar o meu episódio da série Until18! Foi muito legal participar desse projeto da Red Bull e o vídeo ficou demais. Não deixem de assistir”, escreveu Sandro Dias nas suas redes sociais.

Sobre Sandro Dias

Sandro Dias tem 43 anos e é skatista profissional desde 1995. Referência do skate nacional e internacional, o atleta foi o primeiro no mundo a completar a manobra conhecida como “900º” em uma competição.

Sandro Dias conta como era sua vida antes dos 18 na série especial da Red Bull
Sandro Dias conta como era sua vida antes dos 18 na série especial da Red Bull

Entre suas principais conquistas estão seis títulos mundiais pela World Cup Skateboarding (2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2011); o tricampeonato europeu (2001, 2003 e 2005); seis campeonatos brasileiros de skate vertical; oito medalhas conquistadas durante a história dos X Games; e o recorde mundial de aéreo mais alto num halfpipe com a marca de 4,20 metros conquistado em 2008.

O skatista é patrocinado por Red Bull, Dual Footwear, 4ever Skateboards, Stance equipamentos de segurança, Sandro Dias Shop e Sandro Dias Camp. Os apoios são da King Sushi, Glass Restaurante.

Mais informações sobre o skatista nos sites www.sandrodias.com.br e www.sandrodiascamp.com.br

 

Famoso navio St Helena vira base de nova corrida elétrica

21/02/2019 16:31

A Extreme-E, corrida com utilitários esportivos elétricos (SUVs) off-road,  será disputada nos pontos mais inóspitos do planeta, como a floresta amazônica, Himalaia, deserto do Saara, ilhas do Índico, entre outros.

Além disso, os competidores terão o navio Royal Mail Ship – Santa Helena como base de apoio.

Uma espécie de paddock flutuante.

Durante anos, a RMS St. Helena serviu a pequena ilha de  mesmo nome e sua população.

Agora, a embarcação parte para essa nova empreitada, totalmente remodelada!

”O St Helena é um navio especial, pois conecta a ilha ao resto do mundo. Nós vamos usar agora de base. Sem pegada de carbono, sem poluir o meio ambiente.  Queremos transformar o navio no novo RV Calypso, usado por Jacques Cousteau em suas expedições”, contou Alejandro Agag, organizador do evento e também CEO da Fórmula E.

RMS St Helena era um navio de carga (transportando também passageiros) que servia ao território ultramarino britânico de Santa Helena.

Era uma das quatro únicas embarcações do mundo que ainda carregavam o status de Royal Mail Ship.

Os moradores locais, incluindo a imprensa local, costumam chamá-la de RMS, para não confundi-la com a própria ilha.

 

St Helena na Extreme-E

O Santa Helena será, literalmente, a garagem navegante dos carros do Extreme-E, um Rali Dakar com SUVs elétricas.

Servirá também como base de apoio e pesquisa para ajudar no combate à poluição do meio ambiente

A competição está marcada para 2021 e tem o brasileiro Gil de Ferran como coordenador principal. 

A competição vai destacar não apenas os veículos elétricos, pilotos de alto nível e tecnologias avançadas – mas, crucialmente, os desafios enfrentados por cada ecossistema.

Franceses de olho na regata The Ocean Race

20/02/2019 12:31

 

Os velejadores franceses Paul Meilhat, vencedor da última edição da Route du Rhum, e Franck Cammas, skipper do Groupama, campeão da Volvo Ocean Race 2011-12, disseram à imprensa local que estão de olho na regata de volta ao mundo.

A regata, que começa apenas em outubro de 2021, já desperta interesse de equipes e velejadores franceses de ponta.

Exemplo de Paul Meilhat, que venceu a Route du Rhum em novembro a bordo do IMOCA batizado de SMA.

O velejador francês, que está liderando o ranking 2018-2021 da categoria dos 60 pés, esteve na semana passada em Alicante (Espanha), na sede da Ocean Race, com sua equipe comercial para firmar seus planos.

Paul Meilhat foi entrevistado no Le Figaro durante o fim de semana e confirmou que desenvolveu um plano de três regatas oceânicas, incluindo a Vendée Globe, a Ocean Race e a Route du Rhum.

”As três podem ser feitas por 4,5 milhões de euros por ano”, disse Paul Meilhat.

O velejador francês diz que está empolgado com o desafio. “Adoro velejar sozinho, mas correr com uma tripulação está no meu DNA”.

O compatriota Franck Cammas falou com famoso site de vela Tip & Shaft em uma entrevista publicada na sexta-feira, dizendo que por meio de sua associação com Oman Sail, está trabalhando para montar uma campanha. 

Franck Cammas é bem conhecido pelos fãs da vela.

O velejador liderou sua equipe do Groupama para a vitória na edição 2011-12 da Volvo Ocean Race, e juntou-se à Dongfeng Race Team para a quarta perna da última edição, de Melbourne a Hong Kong.

O velejador faz parte da equipe Oman Sail para ajudar os locais no desenvolvimento das regatas de oceano em 2019.

“Hoje os velejadores de Oman têm muito mais experiência do que os chineses quando começaram (com Dongfeng)”.

”Não há razão para que isso não funcione”, disse Franck Cammas.

“Há muitas coisas que me interessam na próxima edição, especialmente porque há o retorno aos protótipos (design aberto)”.

”Estou muito animado com a ideia de construir um excelente IMOCA para a regata. O projeto está em discussão há seis meses”.

Embora a Volvo tenha vendido a regata para um novo grupo de proprietários, a prova permanece como um parceiro comercial significativo para a próxima edição, que começará em Alicante, na Espanha, em 2021.

A nova identidade da marca e o logo da Ocean Race serão apresentados no mês que vem, assim como as parcerias, enquanto as cidades-sede da edição de 2021-22 da Ocean Race serão lançadas até o meio do ano.

Gaúchos quebraram tudo na Semana de Vela de Ilhabela 2018

Hoje o espaço no A bordo vai para a equipe de vela mais profissional do Brasil, o Crioula. Os gaúchos foram os grandes campeões da Semana de Vela de Ilhabela 2018.

Além dos títulos Sul-Americano, Ilhabela Cup e da Semana de Vela de Ilhabela (classes IRC e ORC), eles bateram a marca histórica da regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil. 

O recorde da regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, prova que abriu a Semana de Vela de Ilhabela, foi de 6 horas, 1 minuto e 42 segundos.

55 milhas de percurso!

O recorde anterior era do Camiranga, um Soto65, que completou em 6 horas, 4 minutos 03 segundos, em 2015.

O Camiranga é da mesma equipe gaúcha do Veleiros do Sul.

O veleiro Crioula é um Soto 40 comandando por Eduardo Plass e timoneado pelo atleta olímpico Samuel Albrecht.

Samuel, inclusive, está andando de vento em popa na classe NACRA ao lado de Gabriela Nicolino Sá.

Foram vice-campeões da etapa de Miami da Copa do Mundo e já garantiram vaga da NACRA em Tóquio-2020

Veja o vídeo da abertura da Semana de Vela de Ilhabela de 2018 produzido pela On Board Sports e Duna Filmes

Mais infos no site da On Board

Por falar em Semana de vela de Ilhabela, o evento está marcado para o período de 13 a 20 de julho de 2019

Será a 46ª edição.

 

Foto: Fred Hoffmann

15 anos da Class40

19/02/2019 12:24

Amigos leitores do DIARINHO

A Class40, categoria presente em grandes regatas de oceano internacionais como Transat Jacques Vabre e Rota do Rum, completa 15 anos de atividade.

São 157 barcos na raia e o número deve atingir 160 ainda em 2019.

Ela já esteve em Itajaí nas Transat Jacques Vabre de 2013 e 2015.

A Associação Class40 comemora o recorde de barcos presentes em vários campeonato e projeta um título para o melhor do ano de 2019.

A primeira competição do ano com o Class40 será a RORC Caribbean 600 com 10 veleiros.

Ao todo, os barcos da categoria devem percorrer 12.000 milhas em seis competições. Além da RORC Caribbean, os monocascos de 40 pés estarão na Défi Atlantique, Canal da Normandia, Les Sables Horta, Rolex Fastnet Race e Transat Jacques Vabre.

No Brasil, duas duplas apostaram na categoria na Transat Jacques Vabre!

Em 2015, o campeão olímpico Edu Penido e o empresário Renato Araújo encararam a travessia entre Le Havre (França) e Itajaí (SC) a bordo do Zetra.

Na temporada seguinte, em 2017, o Mussulo 40 Angola Cables tinha o médico José Guilherme Caldas e baiano Leo Chicourel.

11th place in Class 40 category – Mussulo 40 Team Angola Cables, skippers Leonardo Chicourel and Jose Guilherme Caldas, celebration with national flags during arrivals of the duo sailing race Transat Jacques Vabre 2017 from Le Havre (FRA) to Salvador de Bahia (BRA), on November 27th, 2017 – Photo Jean-Marie Liot / ALeA / TJV2017

A última citada, também conhecida como Rota do Café, vai parar na Bahia mais uma vez!

Desde o surgimento em 2004, o objetivo original da classe era tornar as regatas de oceano acessíveis a velejadores amadores.

O sucesso a levou além desses parâmetros, com mais e mais atletas profissionais atraídos por ele. Parte desse interesse é a regra simples e rígida, que mantém os custos baixos.

Há um número cada vez maior de barcos sendo construídos na França e no exterior.

Campeonatos de 2019:

– RORC Caribbean 600 (600nm) – 18 de fevereiro

– Défi Atlantique (3500nm) – 23 de março

– Canal da Normandia (1000nm) – 19 de maio

– Les Sables Horta (2500nm) – 30 de junho

– Rolex Fastnet Race (600nm) – 3 de agosto

– Transat Jacques Vabre (4350) – 27 de outubro

Fotos: Jean-Marie Liot / ALeA / TJV2017

Itajaí no canal #SAL do Youtube

18/02/2019 11:43

A aventura do canal #SAL em Itajaí rendeu bastante.

Adriano Plotzki e Aline Sena estiveram atracados na cidade e contaram muitas histórias, inclusive da regata de Volta ao Mundo Volvo Ocean Race.

Um dos personagens que o casal entrevistou foi é Cláudio Copello

(não poderia ser diferente, né?)

Copello já foi leg jumper, presidente da Associação Nautica de Itajai e mora no seu barco Gosto D’água, um Bruce Farr 38

Assista aqui

Veja a descrição do canal e curta outros episódios.

O #SAL é um canal produzido no mar, mas que fala sobre muito mais do que veleiros, mares e outros assuntos náuticos.

É uma coleção de histórias que nos inspiram a mudar a nossa forma de enxergar a vida.

Viver no mar, a bordo de um veleiro, nos ensina muitas coisas: Como ter uma vida mais simples, rever nossas relações e identificar o que é importante na vida.

Adriano Plotzki e Aline Sena mudam radicalmente as suas vidas e fazem um alongamento com o nosso pensamento.

O minimalismo nos faz escolher um caminho mais leve, focando no realmente importa.

É essencial no mar, mas em terra também. INSCREVA-SE E SEJA BEM-VINDO A BORDO: https://goo.gl/TgtFfE