Transat Jacques Vabre muda mesmo de Itajaí pra Salvador

21/09/2017 09:44

Como o DIARINHO já havia antecipado no início do ano, a regata Transat Jacques Vabre foi mesmo para Salvador (BA), depois de passar pela cidade catarinense por duas temporadas!

Ontem foi dia do lançamento oficial da prova lá em Paris

Veja o comunicado na íntegra

Com 39 barcos e 78 velejadores inscritos, a 13ª edição da Transat Jacques Vabre promete ser o principal evento da vela oceânica com chegada no Brasil em 2017. As quatro classes participantes (Class40, Multi 50, IMOCA60 e Ultime) disputarão o percurso de 4.350 milhas náuticas, equivalente a 8.056 quilômetros, entre a cidade de Le Havre (França) e Salvador, na Bahia. Nesta quarta-feira (20), a apresentação oficial da 13ª edição foi feita à imprensa internacional em Paris na presença dos skippers e dos organizadores do evento.

Os participantes da 13ª Transat Jacques Vabre estiveram frente a frente pela primeira vez antes da disputa nesta quarta-feira (20). O encontro, que reuniu os 78 participantes, foi feito na avenida Champs-Elysées, em Paris durante o lançamento oficial da edição 2017. Entre os presentes, estiveram Xavier Mitjavila, Presidente da JDE França – dona da marca de café Jacques Vabre, Luc Lemonnier, prefeito de Le Havre, Cláudio Tinoco, Secretário de Turismo de Salvador e José Alves, Secretário de Turismo do Governo do Estado da Bahia. Neste ano, a abertura oficial da Vila da Regata em Le Havre, no próximo dia 27 de outubro, marcará não só o início da Transat Jacques Vabre, mas também o fim das festividades pelos 500 anos de aniversário da Normandia, região da França mais atingida durante a Segunda Guerra Mundial.

Para a semana que antecede a largada, uma série de animações e apresentações musicais estão programadas em Le Havre. Três semanas mais tarde, é Salvador, na Bahia, que assumirá a responsabilidade de sediar a chegada da maior regata transatlântica dez anos desde a última vez que a cidade acolheu a travessia.

O evento na capital baiana tem abertura ao público no dia 12 de novembro, no Terminal Turístico Náutico da Bahia, com animações ao longo de toda a semana. Nesse mesmo período, há previsão de chegada de dois terços dos 39 barcos participantes, entre eles os maiores barcos a vela de competição do mundo. Edição de alta performance A Class40 (monocascos de 40 pés) é a mais numerosa desta edição, são 17 barcos participantes, seguida pela classe IMOCA (monocascos de 60 pés), com 13 inscritos. Pela Multi50 (multicascos de 50 pés), serão seis – dentre eles, veleiros que testarão pela primeira vez o uso dos fólios. Já pela classe Ultime, maiores barcos a vela de competição do mundo, três super trimarãs de alta performance estarão na disputa.

 

America’s Cup deverá voltar a correr com monocascos

12/09/2017 12:04

A regata mais antiga do mundo já se prepara para sua edição de número 36, que será em 2021, na Nova Zelândia.

Os atuais campeões, o Emirates Team New Zealand, devem oficializar o retorno dos barcos de um casco só após edições seguidas com catamarãs (dois cascos).

A regra diz que os vencedores da última edição tem o direito de escolher a versão de barco para a próxima.

O Royal New Zealand Yacht Squadron indicou que as regatas serão disputadas em monocascos de alta performance.

Monocascos são iguais aos Volvo Ocean Race atuais!

Já os catamarãs usados nas edições anteriores são mais rápidos e chamam atenção por literalmente voarem.