Semana de Vela de Ilhabela destaca preservação da vida marinha

29/06/2017 12:15
A mais longa disputa da Semana de Vela de Ilhabela, neste ano marcada para abrir a competição em 9 de julho, coloca em evidência um tema cada vez mais urgente em todo o mundo: a necessidade de preservação ambiental, especialmente nos oceanos. Após a última edição da Regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, dominada pelo show de saltos de um grupo de baleias jubarte, foi criado no arquipélago o Refúgio de Vida Silvestre de Alcatrazes, área com maior controle e regulamentação das atividades locais.

A área de 196 hectares (aproximadamente dois km²) do Arquipélago de Alcatrazes já era uma unidade de conservação protegida pela Estação Ecológica (ESEC) Tupinambás e administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade, entidades vinculadas ao Ministério do Meio Ambiente. Com a criação do refúgio, fica proibida a pesca ou extração de recursos marinhos, e o tráfego de navios passa a ser mais controlado. Há o plano de abertura para visitação e expedições para avistagem da fauna marinha.
“Isso, para Alcatrazes, foi um marco histórico”, celebra Júlio Cardoso, diretor de meio ambiente do Yacht Club de Ilhabela. “Agora Alcatrazes tem, legalmente, uma área de preservação ampla. o refúgio ocupa toda a antiga área delta, de seis ou sete milhas antes até cerca de sete milhas depois do arquipélago, e dez milhas na direção norte-sul. Antes, havia muita pesca clandestina, e o lugar é um criadouro de peixes, importante para baleias, golfinhos. O refúgio ajudará a disseminar as espécies no resto da região norte do litoral paulista.”

Desafio de 36k para uma brasileira desbravadora dos mares

Então, hoje conto a história de Patrícia Farias

A maratonista aquática está pronta para fazer história em mares estrangeiros. Na sexta-feira (30), a carioca será a única mulher do país a participar da “Maratona do Golfo – Travessia Capri-Nápoles”, uma das mais prestigiadas e mais difíceis do mundo.

A prova com percurso de 36k tem início às 9 horas da manhã (4 horas no horário de Brasília) e deve levar aproximadamente 6 horas para ser concluída.

“Vai ser minha primeira travessia no exterior. Capri-Nápoles é uma das maiores e mais desafiadoras da Europa, além de nos proporcionar um belíssimo visual. Essa travessia também faz parte do circuito Grand Prix de Águas Abertas da FINA (provas acima de 15km), apesar de ser disputada em outra data diferente da minha. Assim, queria que essa estreia fora do Brasil fosse tão especial quanto essa prova é para o circuito mundial de águas abertas”, contou a carioca, que tem 6 anos de experiência na modalidade.

Curta a fan page: www.facebook.com/atletapatriciafarias
Siga também no Instagram: @atletapatriciafarias

O site é www.patriciafarias.com.br

Sétimo barco da Volvo Ocean Race: Team Brunel

28/06/2017 22:30
Notícia fresquinha!!!!
A Volvo Ocean Race confirmou, nesta quarta-feira (28), a entrada do sétimo barco na regata de Volta ao Mundo 2017-18. Será o holandês Team Brunel, que retorna à disputa depois de participar da edição anterior. O comandante da equipe será novamente Bouwe Bekking, o velejador mais experiente da história da Volvo Ocean Race. “O objetivo da equipe é impulsionar a próxima geração. Ganhamos ao reunir experiência e talento, criando oportunidades para os velejadores do futuro”, disse Bouwe Bekking.
O Team Brunel (Holanda) se junta ao compatriota Team AkzoNobel, Dongfeng (China), MAPFRE (Espanha), Vestas 11th Hour Racing (EUA/Dinamarca), Team Sun Hung Kai / Scallywag (Hong Kong) e Turn The Tide On Plastic (Reino Unido).
O retorno do Team Brunel significa que, pela primeira vez na história da regata, quatro principais patrocinadores de equipes voltam para uma edição seguinte. Além de Brunel, Vestas, Dongfeng e MAPFRE estavam em 2014-15.
A regata começará em 22 de outubro e terá ao todo 12 cidades-sede pelo mundo, inclusive a brasileira Itajaí. Serão 45 mil milhas náuticas de prova. As equipes correm com barcos iguais, os Volvo Ocean 65s. A competição tem limite de oito veleiros, ou seja, resta mais uma vaga.

Boxeador brasileiro luta em agosto nos EUA

A Top Rank confirmou que o mexicano Ivan Montero (20 vitórias e 2 derrotas) será o adversário do brasileiro Esquiva Falcão no dia 5 de agosto, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Será a 18ª luta do medalhista olímpico como boxeador profissional e a primeira com 10 rounds. O capixaba está invicto, com um cartel de 17 vitórias, sendo 12 por nocaute.

”Estou com vontade de lutar novamente e pronto para vencer meu adversário. É um boxeador com um bom cartel e perigoso. Eu e a minha equipe já estamos estudando seus pontos fracos e fortes”, disse Esquiva Falcão.

O brasileiro treina em Oxnard, na Califórnia, onde fica a Robert Garcia Boxing Academy. ”Tem que treinar bastante para chegar ao meu único objetivo: ser campeão mundial”, falou. O pugilista da equipe Top Rank, patrocinado por Everlast, Paris Filmes e Netshoes, fez sua última luta em 17 de fevereiro deste ano, em El Paso, nos Estados Unidos. Esquiva superou por pontos Jaime Barboza, da Costa Rica.

America’s Cup pode terminar amanhã

25/06/2017 18:14
America’s Cup 2017 pode ser decidida nesta segunda-feira (26) nas Bermudas, locais das regatas do evento esportivo mais antigo do mundo. O Emirates Team New Zealand venceu os dois duelos contra o ORACLE Team USA deste domingo (25) e abriu 6 matchs a 1 na competição. Ganha quem completar sete pontos primeiro.
25/06/2017 – Bermuda (BDA) – 35th America’s Cup 2017 – 35th America’s Cup 2017 Presented by Louis Vuitton, Day 4
”Estamos muito contentes com nosso desempenho. Perdemos uma no sábado e hoje recompensamos”, disse Peter Burling, comandante do barco da Nova Zelândia. “Nós temos uma equipe fantástica. Todos nós temos o mesmo o mesmo objetivo a alcançar”.
O resultado é idêntico ao da edição 2013 da America’s Cup, que envolveu as duas equipes. Os norte-americanos viraram o placar nas regatas, que foram disputadas em São Francisco, na Califórnia. Naquela edição, no entanto, estava 8-1.
“Eles [Emirates Team New Zealand] navegaram melhor do que nós hoje e cometeram muito menos erros”, admitiu Jimmy Spithill comandante do ORACLE. “Eles mereceram ganhar as duas provas porque claramente cometemos muitos erros. Estamos em uma situação difícil agora e tudo o que podemos realmente fazer é pensar uma regata por vez.
As regatas são disputas nas Bermudas e transmitidas para o Brasil pela ESPN+ a partir de 14h.
 O evento poderia ter sido decidido, mas o ORACLE, que venceu as seletivas e entrou nas finais direto, obrigou os adversários a entrarem com -1 no placar.

Legends Race confirmada pela Volvo Ocean Race

21/06/2017 18:23

A Volvo Ocean Race confirma para o dia 21 de junho de 2018 a regata Legends Race, prova formada por barcos históricos da Volta ao Mundo, evento que começou em 1973 e terá mais uma edição começando neste ano. O percurso será de Gotemburgo (Suécia) para Haia (Holanda) e contará com veleiros que participaram de edições anteriores. As duas cidades fazem parte da competição profissional. “Não há nada de mais valioso para um grande evento esportivo do que seu passado, seu patrimônio e as lendas que foram criadas através dele”, disse o CEO da Volvo Ocean Race, Mark Turner. Os barcos históricos partirão de Gotemburgo apenas 45 minutos antes da flotilha oficial de Volvo Ocean 65, em 2017-18. Serão de 460 milhas náuticas de percurso.

“Os melhores velejadores do mundo passaram décadas obcecados por ganhar este troféu. A Legends Race não é apenas uma ótima maneira de celebrar as conquistas do passado, mas também olhar para o futuro”, finalizou Mark Turner.

A tendência de colocar barcos antigos em regatas é mundial. No Brasil, a Semana de Vela de Ilhabela também coloca a categoria dos Clássicos, que já conta com 12 inscritos para a edição 2017, que será de 7 a 15 de julho no Yacht Club de Ilhabela.

America’s Cup: Emirates Team New Zealand na frente

18/06/2017 21:48

O Emirates Team New Zealand tem ampla vantagem sobre o ORACLE TEAM USA nas finais da America’s Cup, que começaram no sábado (17), nas Bermudas. O barco da Nova Zelândia, que entrou com desvantagem de um ponto nas regatas, venceu todos os duelos contra os norte-americanos até agora e soma 3 a 0. Quem somar sete leva a taça do evento esportivo mais antigo do mundo pra casa. Neste domingo (18), os kiwis se impuseram nas largadas e dominaram praticamente todos os contornos de boia. A decisão é uma reprise de 2013. Quatro anos atrás, os norte-americanos perdiam por 8 a 1 e viraram o placar, numa das viradas mais comentadas da histórias de todas as modalidades.

Volvo será de dois em dois anos

16/06/2017 10:02

As próximas edições da Volta ao Mundo já estão marcadas para os ciclos de 2019-20, 2021-22 e 2023-24.  A mudança terá um impacto positivo no valor comercial do evento, bem como nas equipas profissionais de vela e nas cidades-sede. Nas últimas edições, Portugal e o Brasil fizeram e ainda fazem parte do maior evento de vela oceânica do planeta. 

“Um ciclo mais curto significa que podemos encurtar cada edição por alguns meses. O atual formato é de até nove meses. No entanto, vamos chegar a  mais mercados agora”, disse Mark Turner, CEO da Volvo Ocean Race. “Ao mesmo tempo, fortaleceremos o ADN da regata, que está sempre em todo o mundo e em todos os oceanos, principalmente na Antártida que é seu coração”.

Na prática, a mudança de ciclo dará mais oportunidade à formação de novos velejadores, sem contar um maior retorno de investimento às marcas envolvidas. Outra novidade para a 14ª edição a partir de 2019-20, será a entrada de novos barcos monocasco com foils para as etapas, também chamadas pernas. A prova terá multicascos “voadores” para regatas costeiras – as In-port Races.

A organização da Volvo Ocean Race, já abriu o processo de licitação para definir as cidades que receberão as etapas da regata para as próximas edições. Uma nova forma de fazer os stopovers e flexibilização das datas estão no caderno de encargos. 

Parabéns à Itajaí, a terra da VOR no Brasil

15/06/2017 21:11

Amigos de Itajaí

Nos últimos anos vcs me acolheram de braços abertos.

Minha primeira visita à cidade foi em 2011 em virtude da Volvo Ocean Race

De lá pra cá fiz muitos amigos e considero como minha segunda casa

As etapas da Volvo Ocean Race e Transat Jacques Vabre foram exemplos de como a cidade catarinense tem condições de sediar grandes eventos internacionais

Mais do que isso seu povo sabe receber bem!

Parabéns!!!!

Dee Caffari comanda sexto barco da VOR

14/06/2017 15:05

Agora são seis equipes confirmadas na Volvo Ocean Race 2017-18. São eles: Team Sun Hung Kai/Scallywag (Hong Kong), Team AkzoNobel (Holanda), Dongfeng Race Team (China), MAPFRE (Espanha), Vestas 11th Hour Racing (EUA/Dinamarca) e o mais novo, o Turn the Tide on Plastic.

O barco será comandado pela britânica Dee Caffari

Leia o que acabei de mandar pra imprensa!

A velejadora britânica Dee Caffari comandará o “Turn the Tide on Plastic” – uma equipe mista, focada na juventude, com uma forte mensagem de sustentabilidade na Volvo Ocean Race 2017-18. A campanha esportiva será apoiada pela Fundação Mirpuri e pela Ocean Family Foundation, dedicadas à questão da saúde dos oceanos.
 
A sexta equipe confirmada de um total de oito para a próxima edição amplificará a campanha ‘Clean Seas: Turn the Tide on Plastic’ das Nações Unidas no decorrer dos oito meses da regata. A Volta ao Mundo começa em outubro e terá um percurso de 45 mil milhas náuticas em 12 cidades-sede de seis continentes.
 
O objetivo da skipper Dee Caffari é construir uma tripulação multinacional e com divisão igual entre homens e mulheres, em sua maioria com até 30 anos de idade. Como parte do foco na sustentabilidade, as mensagens em torno da diversidade em idade e gênero serão temas fortes de uma campanha que, em termos esportivos, não pode começar como favorita, mas pode facilmente surpreender na água.
 
“Estou absolutamente encantada por ter a oportunidade de navegar por uma causa pela qual eu sou tão apaixonada”, disse Dee Caffari. “A Volvo Ocean Race é o maior desafio que uma equipe esportiva pode enfrentar.  Estamos buscando fazer um impacto dentro e fora da água com todos esses fatores”.
 
A equipe de Dee Caffari será financiada por parte da Fundação Mirpuri e da Ocean Family Foundation (OFF), que se juntam a um número crescente de parceiros que apoiam a campanha da Volvo Ocean Race sobre saúde e sustentabilidade oceânica.
 
A atleta britânica é uma experiente velejadora, que está em sua segunda Volta ao Mundo seguida, após integrar o Team SCA. Ela também se destaca por ser a primeira mulher a navegar sozinha e sem escalas pelo globo. Esse feito ocorreu em 2006. Já em 2009, ela completou a Vendée Globe e criou um novo recorde feminino na prova.
“É uma honra representar esta campanha histórica, e liderar o time em uma plataforma tão prestigiada e emocionante”, disse Caffari. “Ver a quantidade de plástico no oceano é doloroso. Estamos abusando do nosso planeta – e esta campanha pode impulsionar as pessoas a fazer algo sobre isso”.