America’s Cup sem regata na quarta

31/05/2017 17:57

Não houve regata no quinto dia da seletiva para definir o finalista da America’s Cup 2017. A organização do evento de vela oceânica, que é disputado nas Bermudas, preferiu adiar as provas para não ter prejuízo técnico às equipes. Na modalidade, as situações de pouco vento ou muito vento podem resultar em cancelamento de regatas, como ocorreu nesta quarta-feira (31). “Não é ideal que tenhamos que adiar as regatas, mas é precisamente por isso que temos dias extras no cronograma. A Mãe Natureza é inconstante, até mesmo os primeiros competidores dessa regata tiveram que lidar com ventos fracos e fortes”, disse Iain Murray, diretor da America’s Cup.

A competição de vela é o evento esportivo mais antigo do mundo e disputada de quatro em quatro anos. Seis equipes participam da seletiva nas Bermudas, mas uma delas, o ORACLE Team USA, já está garantida na final, pois é o detentor do título. A regra diz que os desafiantes devem se enfrentar na qualificação (todos correm contra todos duas vezes) e os quatro melhores avançam às semifinais para que saia apenas um finalista.

Saiba mais sobre os matchs aqui.

O placar atual, após 18 regatas disputadas, aponta Emirates Team New Zealand e Land Rover BAR (Grã-Bretanha) com vantagem confortável para os outros desafiantes. Duas vagas restantes devem ser disputadas por Artemis (Suécia), SoftBank Japan e Groupama France.

Brasileira se prepara para desafio de maratona aquática de 36k

30/05/2017 10:52

Faltam 30 dias para Patrícia Farias colocar seu nome em uma das travessias naturais mais prestigiadas do planeta. Dia 30 de junho, a nadadora carioca será a única mulher do Brasil a encarar solo a Travessia Capri-Nápoles, um percurso de 36k considerado um dos mais difíceis da maratona aquática. O desafio promete ser ainda maior do ponto de vista pessoal para a atleta, já que será sua primeira prova internacional em 6 anos de carreira.

“Nado desde criança, fui atleta federada na adolescência, mas desde 2011 passei a me dedicar à maratona aquática. Inspirada pelo meu colega de equipe, o Adherbal de Oliveira, recordista sul-americano na Travessia do Canal da Mancha, decidi me desafiar e encarar provas de longa distância. A meta é realizar, a médio e longo prazo, as travessias mais importantes do circuito mundial, começando pela tríplice coroa da Itália – Capri-Napoli, Estreito de Messina, Lago Di Como”, contou a atleta, que em 2016 foi a primeira mulher a concluir a travessia do Leme ao Pontal, a maior maratona aquática do Brasil, com 35k.

Além de Patrícia, outros 20 atletas, sendo 3 para a travessia solo e 17 nadadores divididos em 3 equipes de revezamento, estão inscritos para nadar o tradicional percurso no dia 30 de junho. A largada para as travessias solo será dada ao mesmo tempo, mas cada nadador terá seu barco de apoio e traçará sua estratégia e rota para chegar na cidade italiana.

“As condições físicas e psicológicas de cada nadador é que irão definir seu tempo, pace e qual o melhor trajeto. Por isso não é apenas uma competição entre atletas de países diferentes, mas também um desafio individual, de você contra você mesmo, suas limitações e seu planejamento. Estou ansiosa, mas ao mesmo tempo muito tranquila, pois sei que fiz uma preparação muito boa para chegar lá e concluir esse trajeto”, contou Paty, que trabalha com uma equipe multidisciplinar, com preparador físico, fisioterapeuta, nutricionista, comandada pelo treinador Renato Ribeiro, principal referência em ultramaratonas aquáticas no país na atualidade.

Patrícia Farias tem 35 anos e é a única mulher que realizou a Travessia Do Leme ao Pontal, a maior maratona aquática do Brasil (35k). Atleta federada em piscinas até os 16 anos, passou a se dedicar à natação em águas abertas em 2011, sob orientação do treinador Renato Ribeiro, um dos grandes especialistas na modalidade. A carioca tem no currículo um título brasileiro nos 10k (2013), foi vice-campeã da tradicional 14 Bis (2016), entre Bertioga e Santos, e medalha de bronze na ultramaratona aquática da Ilha do Mel (2016).

Regatas em Ilhabela mesmo com pouco vento

29/05/2017 09:30

Neste domingo (29), mesmo com pouco vento, a organização da segunda etapa da Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela, conseguiu fazer regata e treinar os times para a Semana de Vela de Ilhabela, que será em julho.

O dia amanheceu quente e abafado em Ilhabela e o vento demorou a marcar presença, tanto que a comissão de regatas chegou a subir em terra a bandeira Recon, que indica a suspensão por tempo indeterminado das regatas do dia.

Na dúvida, depois de algum tempo, Recon recolhida, a flotilha se dirigiu ao extremo norte do Canal de São Sebastião, onde foi possível montar uma raia para uma regata barla-sota de aproximadamente 5 milhas para as classes IRC, RGS, Clássicos e Bico de Proa e uma um pouco menor, de 4 milhas, para a HPE25 e C30.

Largando por volta das 13h40 os veleiros das classes mais rápidas, conseguiram completar a regata com mais facilidade, já os clássicos e alguns RGS e IRC sofreram com a falta de vento ao final da competição.

Aliás, o vento sueste não passou dos 5 nós nesta tarde quente em Ilhabela. De qualquer modo, embora com um número reduzido de regatas neste primeiro final de semana, as posições começam se definir na etapa.

Na C30 o Caiçara, de Marcos de Oliveira Cesar, assumiu a liderança, com 5 pontos acumulados nas três regatas. Na sequência, com 7 pontos, o Caballo Loco, de Mauro Dottori e o Barracuda, de Humberto Diniz, vêm na terceira posição, seguido do +Realizado, de José Luis Apud.

Na HPE25 o Phoenix, de Eduardo Souza Ramos, confirmou a liderança, acumulando 7 pontos em três regatas. Em segundo, o Ginga, de Breno Chvaicer, com 9 pontos e o Atrevido, de Fábio Bocciareli, com 10 pontos, na terceira colocação,

O Bl3 Urca, de Pedro Rodrigues assumiu a liderança da IRC, com 4 pontos somados em duas regatas. Com 5 pontos o Argos, de Jaime Cupertino, vem na segunda colocação e o Asbar II, de Sérgio Klepácz, com apenas um ponto a mais, ocupa a terceira colocação da etapa.

O Mystic, de Carlos Gerevine é quem assumiu a liderança da RGS, com 3 pontos acumulados. O Karaca, de Morgan Watkins, com 5 pontos, vem na segunda colocação e o BL3, de Clauberto Andrade, com 6 pontos ocupa o terceiro lugar da etapa.

Os veleiros Clássicos, que participam da Copa Suzuki pela primeira vez com uma pontuação própria para a classe disputam concomitantemente a Copa Pimentel Duarte de Veleiros Clássicos, que ocorrerá em três etapas, aqui, na Semana de Vela e em Santos.

Dentre os clássicos, o Aries III, de Alex Calabria, um Frers F&C 43, de 1971, está liderando, com 3 pontos acumulados.

O Vendetta, de Marco D’Ippolito, um Tartan 44, de 1975, vem na segunda colocação, com 5 pontos, seguido do Turuna, de Regina Michel, um Classe Brasil 40, de 1952, também com 5 pontos acumulados.

A Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela prossegue no próximo final de semana, dias 3 e 4 de junho, quando acontecerá a premiação da etapa.
O evento é realizado pelo Yacht Club de Ilhabela, tem patrocínio da Suzuki Veículos e apoio e da Antena 1, O Ancoradouro, Balaio de Ideias, Fevesp, Revista Mariner, North Sails, Quantum Sails, Marina Supmar e Rádio Vozes.

O placar do segundo dia da America’s Cup

28/05/2017 21:54

O segundo dia de regatas nas Bermudas para definir o desafiante ao trono da America’s Cup foi ruim para o Land Rover BAR, comandado pelo tetracampeão olímpico britânico Ben Ainslie. Nos dois matchs deste domingo (28) contra ORACLE e Emirates, os ingleses perderam

E mais: a vantagem obtida na World Series 2015 e 2016 foi pro espaço. Eles já estão em segundo com Emirates Team New Zealand.

Saiba mais aqui

28/05/2017 – Bermuda (BDA) – 35th America’s Cup Bermuda 2017 – Louis Vuitton America’s Cup Qualifiers, Day 2
28/05/2017 – Bermuda (BDA) – 35th America’s Cup Bermuda 2017 – Louis Vuitton America’s Cup Qualifiers, Day 2

Copa Suzuki tem mais de 40 barcos

27/05/2017 23:33

A segunda etapa da Copa Suzuki – conhecida como Warm up – teve inicio neste sábado (27) com 46 barcos na raia. Os veleiros das classes C30, HPE 25, IRC, RGS e Clássicos fizeram uma prévia das regatas da Semana de Vela de Ilhabela, que ocorre de 7 a 15 de julho, no mesmo local.

Foto: Aline Bassi / Balaio

Na HPE25 que a equipe Phoenix,comandada por Eduardo Souza Ramos, venceu a primeira regata e ficar em terceiro lugar na outra regata do dia, assumiu a liderança do campeonato.

Pedro Lodovici, comandando o Dom, somou 7 pontos nas duas regatas e assumiu a vice-liderança da etapa. Em terceiro, o Atrevido, de Fabio Bocciarelli, com 8 pontos. Vale registrar que a HPE25 contou com nada menos do que 16 embarcações inscritas nesta etapa.

A classe C30, como sempre equilibrada, tem apenas 3 pontos separando os três primeiros, após duas regatas. O Caballo Loco, de Mauro Dottori, com 3 pontos, vem na primeira colocação, seguido do Caiçara, de Marcos de Oliveira César, com 4 pontos e com o Barracuda, de Humberto Diniz, com 5 pontos,  na terceira colocação.

Na RGS, O Bl3, de Clauberto Andrade, barco-escola aqui de Ilhabela, foi o vencedor da única regata do dia. O Colin de Sebastian Mendez, ficou com a segunda colocação, seguido do Karaca, de Morgan Watkins.

Na disputada IRC, foi o Asbar II. de Sérgio Klepácz, o vencedor da regata do dia. Na segunda e terceira colocações, respectivamente, o BL3 Urca, de Pedro Rodrigues e O Jazz, de John Julio Jansen.

Uma novidade desta segunda etapa foi a participação de veleiros clássicos, embarcações com 25, 50 e até mesmo mais de 90 anos, que correram a mesma regata para contornar o Farol dos Moleques.

Dos 12 veleiros inscritos na categoria, alguns já são conhecidos aqui das águas de Ilhabela, como o Atrevida e  o Áries III. Alguns, entretanto, disputaram sua primeira regata aqui no Canal de São Sebastião, como o Shogun e o Criloa.

Foi o Áries III o vencedor da regata do dia, seguido do Turuna e com o Aventura na terceira colocação.

 

 

America’s Cup tem início com domínio dos EUA

Os primeiros seis matchs da Louis Vuitton, regatas de classificação que definem o desafiante da 35ª America’s Cup, foram disputados neste sábado (27), na Baía de Great Sound, nas Bermudas. O evento mais esperado da vela mundial, ao lado da Volvo Ocean Race e Olimpíada, é disputado de quatro em quatro anos. Os atuais bicampeões, ORACLE Team USA tiveram 100% de aproveitamento.

27/05/2017 – Bermuda (BDA) – 35th America’s Cup 2017 – Louis Vuitton America’s Cup Qualifiers, Day 1, Live Photo
Os detentores do título, os norte-americanos do Oracle Team USA abriram as provas contra os franceses Groupama Team France. O time de Jimmy Spithill passou com sobras pelos adversários comandados por Franck Cammas, que já foi campeão da Volvo Ocean Race.
Na sequência, os suecos do Artemis, com medalhistas olímpicos da vela a bordo, passaram pelos orientais do Softbank Team Japan, após uma virada na reta final do match. Apesar de ser do Japão, o barco tem apenas um atleta local: Yuki Kasatani.
O terceiro match do dia foi Nova Zelândia x França. A tripulação neozelandesa venceu com tranquilidade os matchs contra Groupama (França) e chamou atenção do mundo da vela ao usar pedais para regular as velas. Os outrOs cinco usam os braços no chamado ‘grinder’.
Comandada pelo tetracampeão olímpico  Sir Ben Ainslie, a equipe britânica do Land Rover BAR estreou com vitória sobre os suecos do Artemis, com 11 segundos de vantagem na linha de chegada. A equipe conta também com Giles Scot, campeão olímpico na Rio 2016, e com o espanhol Xabi Hernandéz, atual comandante do MAPFRE na Volta ao Mundo e também ouro olímpico.
O penúltimo duelo do dia foi a reedição da America’s Cup 2013 entre Estados Unidos e Nova Zelândia. O ORACLE USA largou melhor, mas as pedaladas dos kiwis igualaram o duelo até um contorno de boia, onde uma quase batida entre os catamarãs foi pior para os kiwis, que perderam a prova.
No último match, os britânicos do Land Rover BAR foram penalizados no procedimento de largaram e perderam para os japoneses. O veleiro teve uma delaminação no casco.
As regatas voltam a ser disputadas neste domingo, a partir de 14h (horário de Brasília) com SUE x FRA, EUA x GBR, JAP x NZL, EUA x SUE, NZL x GBR e JAP x EUA. O evento é transmitido no Brasil pela ESPN+.

America’s Cup tem início no sábado!

26/05/2017 09:32
A organização da 35ª America’s Cup decidiu adiar para sábado (27) a abertura das regatas da Louis Vuitton, que definem o desafiante do ORACLE Team USA na decisão, chamada de America’s Cup. Os fortes eventos nas Bermudas, locais da provas com os catamarãs voadores AC35, impediram que o evento – o mais antigo em vigência do calendário esportivo mundial – tivesse início no meio da semana.
25/05/2017, Royal Naval Dockyard (Bermuda), 35th America’s Cup, 1 day to go
Os desafiantes ao trono do ORACLE são: Land Rover BAR (Reino Unido), Team France Groupama (França), Emirates Team New Zealand (Nova Zelândia), SoftBank Team Japan (Japão) e Artemis Racing (Suécia).
24/05/2017 09:34

Fala pessoal,

Notícia que chega da Espanha, da Copa del Rey, a Semana de Vela de Ilhabela do velho continente.

As regatas em Palma de Maiorca, na Espanha, recebem, de 29 de julho a 5 de agosto, as melhores tripulações do mundo em categorias como Swan 45, IRC, ORC, ​​Maxi 72 e os catamarãs voadores G32.

Manuel Fraga, diretor da regata, disse que a copa del Rey está na vanguarda da modalidade, sempre atualizando as classes, tanto em monotipo quanto em rating (precisa de fórmula para calcular o vencedor). ”A principal novidade desse ano é a primeira equipe da Espanha na categoria dos catamarãs voadores com a liderança do maior nome da vela de nosso país, o Iker Martínez’.

Em 2016, a Copa del Rey recebeu 126 barcos de 19 países e a organização espera aumentar esse número nessa temporada.

Copa Suzuki se torna um dos eventos mais tradicionais da vela

23/05/2017 18:32

Fala pessoal,

Hoje escrevo sobre a Copa Suzuki, competição disputada em quatro etapas ao longo de 2017. É apontada como a mais duradoura regata da costa paulista.

A organização estima que esta segunda etapa tenha mais de 40 embarcações participantes das classes ORC, IRC, C30, HPE-25, BRA-RGS, Clássicos e Bico de Proa. Tudo por causa da proximidade com a Semana de Vela de Ilhabela – um mês depois

Esta segunda etapa traz como novidade uma pontuação específica para os veleiros “clássicos”, embarcações com 25, 50 e até mesmo mais de 90 anos, como o famoso “Atrevida”, veleiro que sempre participa do circuito e que contará com a companhia de outros veteranos dos mares.

“Vamos fazer o possível para proporcionar aos participantes diversas situações de regata. Percursos maiores, menores, as do tipo barla-sota, possivelmente repetir o gate em algumas regatas na classe HPE e C30, enfim, queremos é que os velejadores compitam e se divirtam muito nesta etapa” comenta o diretor técnico da competição Carlos Eduardo “Cuca” Sodré. Para as equipes que correm todas as quatro etapas do circuito, esta segunda é a oportunidade de corrigir os erros, “afinar” tripulações e, claro, tentar se manter na liderança do campeonato que, afinal, chega à metade.

A Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela Oceânica é organizada pelo Yacht Club de Ilhabela.

Skate: Sandro Dias terá acampamento de férias de inverno

Já estão abertas as inscrições para a temporada de inverno do Sandro Dias Camp. O evento será realizado de 2 a 7 de julho, nas férias escolares. O acampamento fica na cidade de Vargem (SP) e é uma ótima oportunidade de lazer para a garotada dos 6 aos 17 anos, além de despertar a curiosidade para a prática do skate e de outros esportes radicais.

“Temos monitores especializados, preparados para ensinar desde aquele que nunca subiu em um shape até os mais desenvoltos, mas principalmente, focados em fazer toda a galera brincar e se divertir! Por isso, temos uma programação diária recheada de atividades. Tem half-pipe, pista com obstáculos de street, mini ramp, o maior bowl a América Latina, pista de BMX e mountain bike, cama elástica, slackline e se o tempo ajudar ainda dá pra ir pra represa encarar o boia Cross ou mesmo escorregar no tobolama”, contou Sandro dias, hexacampeão mundial de skate vertical.

Sandro Dias tem a propriedade desde 2009 e de lá pra cá, o antigo sítio ganhou cara de acampamento de esportes radicais. São 14 chalés para uma capacidade de até 100 pessoas. Além das atividades radicais, o local conta com sala de instrumentos musicais e jogos, piscina, refeitório e ampla área verde para passeios e trilhas. Neste ambiente o skatistas espera motivar novos campeões da modalidade e além de contribuir para integração social da juventude, tornando as férias da garotada um momento inesquecível em suas vidas.