Home Serviço Caixa PostalNão gostou 
do tom

Caixa PostalNão gostou 
do tom

Caixa Postal
Não gostou 
do tom
“Não entendo porque distorcer os fatos?! Seria para angariar “curtidas” através de uma manchete que diverge da realidade? Acredito que há uma banalização por parte da postagem no Facebook: “Processo tá rolando porque a Chapecoense não ajudou com um real as famílias das vítimas do trágico acidente aéreo de novembro do ano passado”.
Quando acessamos o texto verificamos que relata os seguros pagos, lá constam as doações que foram repassadas. Se vier a pesquisar um pouco, não vai precisar ser muito, mas pouco mesmo, verá que como qualquer empresa, instituição privada, a Associação Chapecoense de Futebol honrou com suas obrigações de empresa, pagou o salário até a data do acidente, quitou os valores de 13º, férias e outras obrigações a ela que são impostas por lei, “a partir de acordos com os familiares, foram quitados dias já trabalhos naquele mês de novembro, 13º salário e férias proporcionais, além de direito de imagem”, que estão numa reportagem disponível a todos pelo link http://www1.folha.uol.com.br/…/1865157-viuvas-acionam-a.
Ainda, segue o link referente às doações http://www.chapecoense.com/2016/noticias/463 . A instituição também está dando o suporte que lhe convém, conforme uma nota da própria Chapecoense, http://www.chapecoense.com/2016/noticias/415. Portanto, antes de publicar, postar ou compartilhar qualquer informação, busque não distorcer a “manchete” para angariar curtidas, faça isso prezando pela veracidade dos fatos.
Não estou defendendo a Chapecoense, apenas defendo que os fatos publicados sejam verídicos. Mas, infelizmente, sabemos que a mídia brasileira está sempre buscando banalizar e fazer barulho em cima de frases que estão fora do contexto, pois é mais simples destacar uma frase banal do que dar ênfase ao real contexto da situação.
Ass: Paulo Batiston
(Transcrito Ipsis Litteris)

Viúva de 
marido morto
“Parabéns a toda equipe do DIARINHO pelas notícias, comentários e publicações sempre bem atualizados e com imparcialidade, mas não pude deixar de notar uma pequena gafe, na edição número 10549, do final de semana 12/03, na seção Esporte, quando anunciaram que “viúva dos jogadores mortos”. Se é viúva é porque o esposo já faleceu. Tirando isso, parabéns mais uma vez.”

Ass: Fernando Cezar de Oliveira Vasconcelos
(Transcrito Ipsis Litteris)

Compartilhe: