Home Notícias Política Vereadores querem investigar rolos de corrupção na secretaria de Planejamento

Vereadores querem investigar rolos de corrupção na secretaria de Planejamento

Auditoria já tinha apontado indícios de fraude no setor onde trabalhou o engenheiro executado esta semanaMisterioso assassinato de ex-engenheiro da prefeitura reforçou suspeitas de xunxos na liberação de projetos

Os vereadores de Balneário Camboriú estudam a possibilidade de abrir uma comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pra investigar supostas irregularidades na aprovação de projetos de construção civil e na fiscalização de obras pela secretaria de Planejamento da prefeitura.
O tema ganhou repercussão depois da a morte do engenheiro Sérgio Renato Silva, 64 anos. Ele era ex-diretor de Análise de Projetos na prefeitura de Balneário e foi executado com dois tiros na noite de quarta-feira, no quintal de casa, na Praia Brava, em Itajaí.
Um relatório da controladoria entregue em dezembro para o Ministério Público e para o Tribunal de Contas do Estado (TCE) aponta possíveis fraudes ligadas à secretaria de Planejamento. A auditoria na pasta envolveu o período de 4 de maio a 20 de outubro de 2016 e mostra documentos rasurados, aprovação de projetos em locais proibidos, falta de fiscalização e irregularidades em liberação de obras.
O vereador Marcelo Achutti (PP), líder do governo na Câmara, recebeu o relatório na sexta-feira. Ele vai analisar as mais de 70 páginas do documento para decidir se cabe ou não uma investigação pelos vereadores. “Se for tudo isso que aconteceu, nós iremos propor uma CPI”, afirma.
Achutti também quer verificar que rumos o relatório tomou no ministério Público. A auditoria foi protocolada na 9ª promotoria, da área de Moralidade Administrativa, mas foi repassada para o promotor André Otávio Vieira de Mello, da 5ª promotoria, da área de Meio Ambiente. “Se a Câmara puder contribuir, vamos colaborar”, observa.
Para o presidente da Câmara, vereador Roberto Souza Júnior (PMDB), a abertura de uma CPI seria bem-vinda para esclarecer o caso. “A gente quer acompanhar de perto. Se existe irregularidade, tem que ser investigada”, avalia. Na semana que vem, Roberto vai avaliar com o departamento jurídico do Legislativo os encaminhamentos necessários. Pra CPI ser instalada é preciso a aprovação da maioria dos vereadores – 1/3 dos 19 parlamentares.
Ontem, o prefeito Fabrício Oliveira (PSB) assinou um decreto criando um grupo especial de trabalho para apurar “os fatos identificados no relátório de auditoria interna 01/2016”. A equipe é formada por Victor Domingues, secretário de Controle Governamental e Transparência Pública, José Alberton, procurador-Geral, e Edson Kratz, secretário de Planejamento Urbano e Gestão e de Obras.
O grupo tem seis meses pra fuçar na documentação da secretaria de Planejamento para ver se estão dentro da lei as aprovações de projetos e licenciamentos para a construção civil nos últimos cinco anos.

Botavam fé em Sérgio
Roberto Souza Júnior afirmou que Sérgio era reconhecido como uma pessoa muito correta. Ele acredita que a morte tenha a ver com o cargo que ocupou na prefeitura. “Alguém quis apagar alguma coisa”, suspeita. “Era um cumpridor de leis. Por isso, não muito querido pela construção civil”, reforçou Marcelo Achutti.
Sérgio foi exonerado em 31 de janeiro do cargo de diretor da secretaria de Planejamento, depois de 16 anos atuando em cargo comissionado.

Compartilhe: