Home Colunistas Memórias & Fatos “Vem comigo pescar”

“Vem comigo pescar”

Ouvi baixinho uma voz me chamando / Como vento suave a soprar
Pensei estar dormindo e sonhando / Ou se era meu ego a falar
Era doce essa voz maviosa / Tão gostosa lá dentro de mim
Era linda, era maravilhosa / Eu ouvia dizer bem assim:
Vem, vem comigo pescar / Que teu barco eu ajudo a guiar
Vem, não desista nem tenhas temor / Pois não há tempestade nas ondas do amor.
Vem, vem pescar com o teu coração / Vem que eu preciso de ti em ação
Vem, não desista nem tenha temor / pois não há tempestade nas ondas do amor.
Procurei desvendar o mistério / Com carinho e real comoção
Descobri que o chamado era sério / Vi espinhos, rosas, contradição
Desfraldei a bandeira de luta / Na esperança que a fé me conduz
Essa voz que eu ouvi baixinho / Com certeza era a voz de Jesus.
Vem, vem comigo pescar / Vem que teu barco eu ajudo a guiar
Vem, não desista nem tenha temor / Pois não há tempestade nas ondas do amor.
Vem, vem pescar com o teu coração / Vem que eu preciso de ti em ação
Vem, não desista nem tenha temor / Pois não há tempestade nas ondas do amor.
‘VEM COMIGO PESCAR’ – Esse poema cantado você pode ver e ouvir abrindo o canal do you tube ou então adquirindo o CD. Composição minha (direitos cedidos) que foi elaborada em 2005, para o Ano Vocacional das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Pela Canonização de Santa Paulina a Congregação das IIC lançou uo qual tenho outra composição: “A Coloninha” – que se refere à menina Amábile Visintainer que se tornou Madre Paulina. Da minha veia musical também saiu o ‘Canto de Amor à Penha’ que se tornou o hino oficial do município desde julho de 1998. Cláudio Bersi de Souza – Escritor – cadeira nº3, Academia de Letras do Brasil, Sec. Penha/SC

Memórias & Fatos
Cláudio Bersi de Souza é um escritor, romancista, historiador e cronista brasileiro. Considerado o mais prolífico autor de Penha, Bersi começou a publicar nos anos 1980, após uma carreira como marinheiro em embarcações pesqueiras. Seu primeiro livro foi lançado em 1984, "Um beijo na Tempestade". A esses se seguiram "Uma Luz na Solidão" (1988), "Muralhas de Água" (1992), "Penha: A história para Todos" (1995), "Pirajá" (1999) e "Piçarras de Todos os Tempos" (2000).
Compartilhe: