Home Colunistas Memórias de um Papa Siri Histórias existem para serem contadas

Histórias existem para serem contadas

Alunos da primeira turma do curso de Jornalismo da Univali

O curso de Jornalismo da Univali completa neste dia 7 de março de 2017 exatos 26 anos de existência. Nesta data o jornalista Moacir Pereira proferia a aula inaugural do curso. Lembro bem porque estava com ele em um barzinho na frente da Universidade, após a aula magna, e recebi em meu celular uma ligação de minha mulher alertando que a bolsa havia rompido e precisava da minha presença urgente para levá-la ao hospital. Horas depois meu filho mais novo viria ao mundo. Data, portanto, inesquecivelmente bela.
Desde a formatura da primeira turma, em 1995, foram diplomados centenas de bons profissionais qualificados para o mercado local, estadual e até nacional. Sim, vários jornalistas aqui formados exercem hoje atividades em grandes veículos da mídia brasileira.
Mas como tudo, o Curso de Jornalismo da Univali também carrega uma história. E me permitam contar um pouco dela.
Em 1988 fui eleito presidente do Clube de Imprensa de Itajaí e Região – CIITA. No discurso de posse, que contou com a presença do então reitor da Univali Edson Villela, reivindiquei a criação de um Curso de Jornalismo na universidade, uma vez que a maioria quase absoluta dos profissionais que atuavam nos veículos de comunicação de Itajaí e municípios vizinhos, não eram formados.
Exerciam quase todos a atividade jornalística na condição de ‘provisionados’, uma espécie de autorização concedida pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), que levava em conta para permitir o exercício da profissão a quase inexistência de cursos superiores de jornalismo no Estado à época. Havia apenas um, na Universidade Federal de SC – UFSC.
A ideia de criar o primeiro curso do gênero fora da capital foi imediatamente acatada pelo reitor da Univali. Em 1991 o curso iniciava com uma turma de 40 alunos, dos quais apenas 14 deles chegaram até o final, entre eles eu. Foi a primeira turma de jornalistas a se formar no interior do estado. Eu me orgulho de ter feito parte desta história!

Memórias de um papa siri
Emerson Ghislandi é jornalista, estudou e trabalhou na Universidade do Vale do Itajaí.
Compartilhe: