Home Colunistas Coluna do JC Topetudo largou Bellini

Topetudo largou Bellini

O ex-vereador e atual secretário de Finanças da piramidal casa do povo, Osvaldo Topetudo Gern, deixou o Partido Progressista. Gern quer ser candidato a deputado estadual, e não tem espaço. Os bastidores fervilham e a informação é que o Topetudo assinou a ficha no Partido da República e vai assumir a presidência da sigla em Itajaí, com a bênção do deputado federal, Jorginho Mello.

Juntos
A saída do PP teria sido tranquila. Gern entregou um ofício ao presidente dos progressistas, o ex-homem dos galináceos, ex-prefeito Jandir Bellini, e tchau e bença. Há quem afiance que Gern, na sua mudança para o PR, teria garantido levar mais progressistas. Murilo Pereira e Calinho Mecânico são os prometidos.

Filas
No PP, nome pra ser candidato a deputado estadual em 2018 é Jandir Bellini, vindo logo em seguida o menino de ouro da sigla, vereador Fernando Pegorini, o ex-candidato a prefeito, o polido João Paulo Bastos Gama. Lógico que João e Pegorini só poderão disputar se JB declinar. O que é difícil, pra não dizer impossível. Os próprios progressistas não deixariam.

Todos contra o manda-brasa
As próximas eleições devem fazer grandes colégios eleitorais tremerem. Alianças feitas em 2016 podem virar pó. Uma movimentação quase que militar do PSD da Santa & Bela Catarina opera para o total isolamento do PMDB em todo o estado.

Manda quem pode
Depois da estratégia de praticamente varrer diretórios e transformá-los em comissões provisórias, as executivas estaduais dos partidos passaram a controlar com mãos de ferro os quadros políticos das cidades. Sobraram poucos diretórios estabelecidos nos maiores colégios eleitorais da Santa & Bela.

Obedece quem tem juízo
Com essa manobra, os interesses estaduais das siglas passam a ter o poder das decisões das alianças, colocando assim em segundo plano os acasalamentos municipais, forçando suas bases a atenderem as táticas independente de acordos.

Na city
O modelo que se desenha, a partir da capital manezinha, e os tubarões que a cercam avançam, é que líderes políticos terão que isolar eleitoralmente o PMDB da city peixeira e seus candidatos em prol de seus projetos estaduais, sob pena de, inclusive, perderem seus mandatos e representações.

Maus lençóis
O manda-brasa peixeiro, além de contar com excelências excelentissímas na piramidal e o burgomestre barbudinho, tem a administração regional do governo do estado sob sua batuta e mais uma penca de cargos do estado. Se a super aliança se confirmar com o comando do PSD, será inevitável o encolhimento do já rachado PMDB.

A noiva
O namoro mais cobiçado de toda esta guerra fria é o PSDB. Tem o capital político considerável da minha musa BBB, Anna Carolina, na mira dos abobrões do estado, possibilitando assim que a galega continue protagonizando a execução do projeto político tucano.

Sinal
Um sinal foi dado quando de sua eleição ao comando do PSDB mulher do estado e consequentemente uma cadeira deliberativa na executiva estadual do tucanato catarinense.

Bizolhar
O tribunalão de contas da Santa & Bela deu um rasante na prefa da Maravilha do Atlântico, ontem, pra dar uma bizolhada nos projetos aprovados na secretaria de Planejamento durante o governo do homem pássaro, Edson Periquito (PMDB).

Abrigados
Uma equipe de Auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE) está averiguando os projetos aprovados pelo ex-secretário Auri Pavoni, Fábio Flor e Jade Ribeiro. Os ex-secretários que passaram pelo planejamento da Maravilha, Auri e Jade Ribeiro, estão hoje abrigados na administração pública peixeira.

Chamou de mentiroso
Fábio Flor, ex-vereador e candidato vice-prefeito, também sentou seus glutões nos altos da Dinamarca, digo, no Planejamento, após o MP pedir afastamento de Auri. Flor ainda deixou a pasta chamando Pirica de “mentiroso” por ter fabricado, digo, colocado Jade em seu lugar na disputa eleitoral de outubro passado. O enredo até parece aquele filme eu sei o que vocês fizeram no verão passado.

Eliane
No páreo da briga peixeira teríamos também a sumida dama de ferro, Eliane Rebello, desafeta de Anna Carolina, mas que não parece ser problema, já que a exemplo do governador em exercício, que tem buscado dialogar com seu algoz Clesio Salvaro, fica claro que lugar de mágoas é no passado. Oremos!

Labuta
O presidente da piramidal casa do povo, Paulinho Amândio (PDT), declarou ao socadinho escriba que continua na sua labuta de promover cortes e adequações no legislativo. Diz que pretende devolver dinheiro à prefa. Questionado pelo escriba que tudo parece uma nuvem de faz de contas, ou seja, a câmara faz de conta que recebe e devolve e a prefa de que vai usar os recursos.

Placas e valores
Paulinho garante que existe um acordo com o prefeito de que os valores que são de direito da câmara e, forem devolvidos devem ser utilizados em obras. E, que as obras devem ter uma placa, demonstrando que os recursos vieram da câmara e seus devidos valores.

Praças em Cordeiros
Paulinho Amândio relembra que, quando foi presidente do legislativo, justamente durante o governo do prefeito barbudinho Volnei, devolveu valores que acabaram sendo utilizados em muitas praças do bairro Cordeiros.

Escamosos em destaque
O secretário de Pesca da prefa peixeira, Valmir Vitorino Júnior, visitou a choupana do escriba. Diz que aceitou o convite do prefeito Volnei com o intuito de fortalecer a pesca. Revela que havia uma grande pressão para que a pasta fosse extinta.

Volnei e Lamim
Antes de continuar o papo sobre os escamosos, indagado pelo escriba, afirma que antes da campanha foi procurado pelo hoje presidente do PMDB, Laudelino Lamim e Volnei Morastoni. Então com 25 anos de PMDB peixeiro, foi convencido pelos dois a participar de um projeto por Itajaí. Vitorino torce pela integração da sigla. Ele fala que Lamim merece participar do governo, entende, contudo, que eles é que tem que se entender.

SITE DO DIARINHO

O DIARINHO errou o nome de Patrícia Souza, da agência Tempo Brasil, em uma das legendas da matéria “DIARINHO lança novo portal”, publicada na edição de ontem. A foto com a legenda correta está acima.

JC
JC é colunista político do Diarinho, o jornal que todo mundo lê, até quem diz que não. A missão do socadinho escriba é disseminar a discórdia, provocar o tumulto e causar o transtorno, para o bem da coletividade.
Compartilhe: