Alinhamento, balanceamento e cambagem: saiba a importância dessas manutenções

27/06/2018 15:04

Um dos hábitos mais importantes que um motorista deve priorizar é a revisão do seu carro.

Isso porque, com o veículo em dia, o condutor, os passageiros e as demais pessoas das rodovias estarão em segurança, visto que as chances de falha mecânica serão bem menores, devido à manutenção preventiva.

A importância de manter o carro em boas condições, no entanto, vai para além da segurança.

Conforme o artigo 230, inciso VIII do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), conduzir veículo que não foi submetido à inspeção de segurança veicular, quando obrigatória, configura infração de natureza grave, e o motorista fica sujeito à penalidade de multa, no valor de R$ 195,23.

 

Manutenção do veículo

Em primeiro lugar, é importante mencionar que o bom estado do veículo para circulação é uma condição prevista por Lei, como consta no artigo 230, inciso XVIII do CTB.

Assim, caso o automóvel esteja em más condições de conservação, comprometendo a segurança do motorista e a das demais pessoas, o condutor pode receber infração de natureza grave, cuja penalidade é multa e retenção do veículo para regularização.

Para evitar esse tipo de problema, é essencial manter periodicidade na revisão do carro.

Quanto a isso, existem três tipos de manutenção que seu veículo pode ser submetido: a preventiva, a corretiva e a preditiva.

A manutenção preventiva, como o próprio nome sugere, objetiva evitar que ocorram problemas mecânicos no futuro.

Nesse caso, alguns itens que essa manutenção abarca são: o filtro de óleo; o óleo, os pneus, as velas de ignição, os filtros de ar; o filtro do ar condicionado; o filtro de combustível; o óleo de câmbio manual; a correia dentada e o fluído de freio.

A manutenção corretiva, por outro lado, é realizada quando uma peça quebra ou apresenta defeitos. A troca de uma lâmpada queimada do farol é um exemplo disso.

E, finalmente, a manutenção preditiva, que é realizada a partir de uma análise prévia das condições do veículo, ou seja, o responsável técnico irá avaliar o carro para decidir pela necessidade ou não de realizar algum reparo.

Geralmente, a quilometragem rodada é um bom indicador de quando o veículo precisa ser levado à oficina para a revisão.

No entanto, alguns imprevistos podem acontecer, e essa ida ao mecânico pode ser antecipada.

Em uma viagem, por exemplo, as irregularidades das vias podem prejudicar as condições dos pneus, rodas e suspensão do carro, devido aos impactos sofridos.

E, como se sabe, rodas e pneus prejudicados comprometem todo o funcionamento do veículo.

Se isso acontecer, existem 3 reparos que podem ser feitos para recuperar os danos: o alinhamento, o balanceamento e a cambagem.

 

Alinhamento

Em primeiro lugar, é importante mencionar que carro desalinhado implica em prejuízos, tanto em relação à segurança do motorista e passageiros quanto ao desperdício de dinheiro.

Isso porque, com esse problema, os pneus desgastam mais rapidamente e, consequentemente, o consumo do combustível aumenta.

Se o veículo passou por algum buraco, valeta ou freada forte, por exemplo, o alinhamento das rodas pode estar comprometido.

O que vem a ser um facilitador é que o próprio motorista pode perceber esse dano.

Isso porque um dos sintomas da falha no alinhamento é sentido no próprio volante, pois ele tende a puxar a direção para um dos lados quando em movimento.

Além disso, o carro tende a não permanecer em linha reta, mesmo em uma estrada plana.

Outro aspecto que é possível notar no veículo fora do alinhamento é que uma das extremidades dos pneus fica mais gasta do que a outra.

Portanto, se você sentir qualquer um desses efeitos, é muito importante levar seu carro o quanto antes a um bom profissional.

Ele será capaz de identificar as falhas e, se confirmada a necessidade, realizar o alinhamento em seu veículo, garantindo, assim, sua segurança para trafegar.

O serviço pode ser considerado simples e, como o próprio nome pressupõe, o alinhamento será realizado para deixar as rodas em linha reta para que os desvios ocasionados por elas não sejam mais sentidos.

 

Balanceamento

O balanceamento do veículo é, basicamente, o equilíbrio do conjunto roda e pneu.

Se o carro não estiver com o balanceamento em dia, o motorista, assim como no caso do alinhamento, também poderá sentir os sintomas enquanto dirige.

Isso porque será possível notar uma vibração no volante, no banco e/ou no piso quando o carro atingir determinadas velocidades (geralmente, acima de 50 km/h)

Além disso, poderá haver um desgaste irregular nos pneus devido ao atrito entre as rodas e o asfalto.

Para realizar o balanceamento, o responsável técnico irá medir, com uma máquina, a massa do pneu e da roda, em movimento.

Se o peso originado não for distribuído de maneira uniforme em toda a roda, serão colocados pequenos contrapesos de chumbo em determinada parte da própria roda para que se alcance o equilíbrio necessário entre o conjunto.

Por isso, é importante realizar o balanceamento, inclusive quando os pneus do carro são trocados. Dessa forma, o conjunto (roda + pneu) ficará equilibrado, aumentando, assim, a vida útil dos pneus.

 

Cambagem

De maneira simples, a cambagem é um procedimento que visa à centralização do pneu.

Dentro das definições, é importante mencionar que o termo “camber” diz respeito ao ângulo que as rodas possuem no sentido do eixo perpendicular ao solo.

A cambagem é, portanto, o nome que se deu ao processo que ajusta esse ângulo.

Dentro desse processo, existe o “camber negativo” (quando as rodas do veículo estão inclinadas para fora da carroceria) e o “camber positivo” (quando estão inclinadas para dentro).

Não existe, no entanto, uma medida padrão de ângulo ideal; ela vai variar para cada carro.

No entanto, este tema é um tanto polêmico.

Isso porque 98% dos carros não possuem sistema de regulagem do camber, ou seja, eles não têm nenhum parafuso que faça qualquer tipo correção no ângulo.

O que alguns técnicos fazem, muitas vezes, de forma indevida, é utilizar um cilindro hidráulico para desentortar o conjunto da torre,  com a finalidade de colocar as rodas no ângulo ideal do modelo do carro.

 

No entanto, o procedimento mais correto (e honesto) deveria ser identificar a peça danificada e substitui-la, o que vale para qualquer peça da suspensão que possa ter sido afetada.

Por isso, é muito importante realizar as revisões em mecânicos de sua confiança para que você não pague a mais por serviços desnecessários e para que o tráfego possa ser sempre realizado com segurança.

Para aclarar possíveis dúvidas sobre o tema abordado, ou sobre demais assuntos relacionados, entre em contato com o Doutor Multas e tenha sua primeira consulta gratuita!

Fone: 0800 6021 543

E-mail: doutormultas@doutormultas.com.br

Compartilhe: